CONTRA & VERSO é excluído de Coletiva na Câmara

1_contraeversoHQ

 

O Site de Notícias CONTRA & VERSO foi excluído de participar de uma Coletiva de Imprensa na Câmara Municipal de Caraguatatuba, marcada para hoje às 15 horas na sede do Legislativo. Na redação estima-se que seja uma represália pelos últimos textos publicados. A direção do CONTRA & VERSO condena toda forma de censura.

A Câmara Municipal de Caraguatatuba marcou para hoje às 15 horas um “Café com o Presidente”, o que na verdade seria uma entrevista Coletiva com os veículos de comunicação sediados no município. Este ‘bate papo’ é uma ação tradicional realizada pela Assessoria de Comunicação do Legislativo, geralmente no início da gestão de um Vereador Presidente, como forma de aproximar mais os veículos e profissionais de comunicação do Agente Político.

O Site de Notícias CONTRA & VERSO soube por colegas de imprensa do evento e após verificar a caixa de e-mail e a listagem de ligações do telefone fixo e celular da redação, percebeu que não houve um convite formal para o ato. Apenas na noite de ontem, após várias ligações não respondidas e mensagens em SMS não retornadas, para a Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal é que obtivemos a confirmação do evento e que apenas os veículos de mídia impressa e rádios haviam sido convidados. Numa pesquisa aprofundada descobriu-se que apenas o nosso veículo de Internet não recebeu o convite.

O Site CONTRA & VERSO comemora agora em fevereiro o seu segundo aniversário, com mais de 100 mil visualizações e 60 mil visitas ao longo do período. Voltado unicamente para Caraguatatuba e o universo político, adota um Jornalismo baseado na polêmica sadia e honesta e na produção de seus próprios textos. Trilhando seus caminhos em alternativas não adotadas por outros veículos, tem Editorias com Vídeos, Cenas de Cinema, Gastronomia, Turismo e Foto Legendas, além da Coluna Blogueando, líder de audiência publicando sempre o melhor dos bastidores da política local num tom ácido mesclando humor com um jornalismo sério e de qualidade. O Site é editado pelo Jornalista Pedro Monte-Mór que tem um currículo com mais de 30 anos, tanto na iniciativa privada como no Poder Público, sempre na área de comunicação.

A exclusão do CONTRA & VERSO da Coletiva de Imprensa na Câmara é fruto dos últimos textos publicados na área política, como os Arrependidos das Eleições, Direitos e Deveres dos Eleitores e do Vereador, a escolha do Novo Secretariado, a Familiarização do Poder com a eleição do Presidente da Câmara, o Assédio Moral sofrido pelo ex-Procurador Chefe da Prefeitura, a demissão do Ex-Secretário de Saúde do quadro médico da Prefeitura, a condenação do ex-Prefeito Aguilar no caso Mamulengo, o Corte da Carga Suplementar dos Professores Municipais e as estimativas sobre a atuação da atual administração, além de outros assuntos recebidos por esta redação e que estão sendo apurados, tanto na Prefeitura como na Câmara Municipal.

Atitudes como esta são vistas como atos de covardia dos Agentes Políticos e do despreparo de suas Assessorias de Comunicação que temem enfrentar jornalistas e veículos com perguntas e questões mais críticas e delicadas, por não saber como respondê-las. De uma maneira geral atos como este se assemelham a censura dada aos órgãos de imprensa durante os períodos de Ditadura no Brasil, como o período Vargas e o Regime Militar.

É a primeira vez que o CONTRA & VERSO enfrenta uma ação restritiva nos seus 24 meses de vida. Nem durante a gestão anterior, tida nos meios populares como vingativa este veículo sofreu qualquer represália. Nesta gestão é o segundo ato restritivo ocorrido com Meios de Comunicação, sendo o primeiro através da Câmara Municipal. No final de dezembro houve um entrevero entre a Comunicação da Prefeitura do atual governo e um radialista de uma FM local que proibiu seus assessorados de conceder entrevistas durante o anúncio do novo Secretariado.

Menções voltadas para a exclusão e a censura apenas reafirmam o bom trabalho, calcado no Jornalismo crítico e informativo feito pelo CONTRA & VERSO em prol dos internautas e seguidores. Torcemos para que estes atos covardes e baseados na política velha do “Só pode falar bem” desapareçam de uma vez da mentalidade dos políticos e dirigentes de nosso município, para o bem da democracia, da liberdade de expressão e para que os leitores/internautas possam ter mais acesso a informações de qualidade e conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *