O Funcionalismo e a Comunicação

O Funcionalismo e a Comunicação

No início veio a dúvida, o que escrever para uma classe lutadora, sofrida e por muitas vezes achincalhada de críticas. Com base na minha especialização ligada ao Marketing, Assessoria de Imprensa e Gestão da Comunicação poderia eu ligar os servidores com a comunicação? Claro que sim!!!

Pelo lado da Comunicação Empresarial, se colocar os Servidores Municipais como a linha de frente do atendimento e estes, com legítimos representantes da imagem da entidade, no caso Prefeituras, Governos Estaduais e o Federal, certamente poderemos relacionar os funcionários com a Comunicação.

A classe dos Servidores Públicos Municipais, assim como todos os funcionários públicos, são vistos por muitos como lutadores e batalhadores, mas por outro lado, por uma grande maioria, como uma classe desprovida de conhecimento do próprio serviço, de vagabundos e aproveitadores do dinheiro público. Mas será que isso é verdade??? E se for verdade, seria culpa do próprio servidor e não de seus superiores??? Pois bem, este será o tema do nosso texto.

Na Comunicação Empresarial a imagem da empresa está intimamente ligada ao atendimento, aos funcionários e seus afazeres, decisões e linha de trabalho, ou seja, uma tomada de decisão errônea, um mau atendimento ou uma ação desastrada colocam em xeque a imagem e a credibilidade da empresa. Para dirimir isso é necessário que o Servidor Público esteja munido diariamente de muita paciência, calma, atenção, um preparo e equilíbrio emocional dos maiores. Antes de tudo o atendimento é feito com atenção, paciência e um feeling todo especial para entender e conhecer o cliente, no caso o contribuinte, sabendo atendê-lo da melhor forma possível.

Muitos vêem os erros do servidor como uma falha própria dele, mas poucos enxergam que boa parte dos erros vem de seus superiores. Ordens não coordenadas, mensagens diferentes para servidores do mesmo setor, a falta de um briefing e atualizações diárias das ordens e ações levam o Servidor Público, seja ele municipal, estadual ou federal a ter o seu nome no fracasso e consequentemente o nome da entidade no lixo.

Mas como consertar tudo isso??? Ou melhor, como fazer a sua parte e livrar-se do estigma de ser mais um vagabundo que come o dinheiro público pela moleza??? A melhor dica é exigir de seus superiores atualização de ordens e ações diariamente. Uma reunião 30 minutos antes do início do expediente evita atropelos e falhas de trâmite nos processos e decisões. Não custa nada um memorando a ser distribuído por seu chefe sobre como deve agir em determinado caso. Seja paciente, atencioso, educado, trate o contribuinte como se fosse seu pai ou mãe, entenda que ele está ali para resolver uma questão que poderia ser a sua, o seu problema.

Agora, você Servidor deve pedir atualização diária de ordens e ações pelo menos uma vez por semana antes do expediente aos seus superiores, memorandos toda vez que as ordens forem modificadas e a padronização das ordens para os servidores do mesmo setor, pois não há nada pior do resolver a questão A para o Zé e não resolvê-la para o Antonio. Neste caso o servidor não deve pestanejar e afirmar que esta decisão partiu da chefia e não dele próprio, pois de nada adianta ajudar um amigo, prejudicar um contribuinte para proveito próprio, se no final quem irá ficar com uma mancha será o funcionário e a instituição.

Servidor!!! Lembre que você representa a instituição e como linha de frente, deve mantê-la com a moral alta e o nome em voga, evitando prejuízos que podem recair sobre você.