Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites www.bets.zone Read the reviews and compare sites to quickly discover the perfect account for you.
Últimas Notícias
Home / Coluna Política / O terrível primeiro ano desta gestão

O terrível primeiro ano desta gestão

Há cerca de um ano o Blog Contra & Verso escreveu quais eram as perspectivas e opiniões acerca da atual gestão que controla a Prefeitura de Caraguatatuba. As estimativas não eram as melhores. O Blog acertou em pelo menos 90%.

Passado um ano que o atual Prefeito e sua trupe conquistaram a Prefeitura pela inacreditável margem de 37 votos, podemos dizer que o período de trevas e Peste Negra que assolariam a cidade se instalou definitivamente nos céus deste recanto abençoado por Deus. Entre os poucos erros, muitos acertos e uma série de presepadas administrativas e políticas, podemos dizer que em apenas um ano a atual gestão se superou, iniciando com falhas e uma má gestão que só seriam visíveis ao final do quadriênio.

Falemos primeiro dos erros. Há cerca de 12 meses apontamos que esta gestão seria isolada pelo Governo Estadual pelo fato de não pertencer ao mesmo partido ou corrente política. Erramos porque não observamos ser o ano que passou pré-eleitoral e o Governador Alckmin, não poderia perder terreno, tendo em vista que necessita eleger o seu sucessor ao Palácio dos Bandeirantes e almejar a Presidência da República.

Erros a parte vamos agora aos acertos. Uma gestão empreguista, voltada para o acolhimento de afilhados políticos e colaboradores de campanha, na sua maioria pessoas despreparadas para a função e desprovidas do interesse comum e social foi um dos ápices deste ano.

Ao mesmo tempo a perseguição política tomou conta do Paço, vide o que ocorreu com o ex-Procurador Jurídico Chefe e com vários Servidores Públicos trocados de função e Secretaria, por demonstrarem sua predileção pelo lado derrotado. As perseguições prosseguiram extra fronteiras da Prefeitura, atingindo parentes de funcionários em seus núcleos de emprego.

Procedimentos licitatórios suspeitos foram outro problema detectado ao longo de 2017, seja na compra de mobiliário para o gabinete, que não estava incluído no Edital inicial, de alimentos para a Sesep, de Material Escolar na Educação e outros mais, que não tiveram a devida explicação por parte do Poder Público através da Secretaria de Comunicação e da Ouvidoria quando do primeiro questionamento e na falta deste, tornam-se duvidosos.

Uma gestão calcada no poder paralelo de pai e filho e dividida no Legislativo com o irmão é o retrato da precariedade política que domina esta gestão onde impugnados politicamente dão as cartas em diversos setores e apoiadores de índole duvidosa tem acesso e regem os destinos políticos, financeiros e sociais desta cidade.

Se por um lado a vitória foi apertada, passados 12 meses o número virou de forma estrondosa, visto o grande número de arrependidos e preteridos que receberam promessas impossíveis de formar este time de incompetentes e incapazes políticos e administrativos que hoje domina a cidade.

As Redes Sociais deram o tom deste primeiro ano de governo trágico e inaceitável na sua maneira de governar. As provas estão aí para todos verem, lerem e ouvirem, seja na promessa de cargo não cumprido, da compra de votos para a Presidência da Câmara e fechando o ano, uma conversa entre um ex-Vereador e o ex-gestor dos shows deste verão, onde a corrupção é evidente e o nome de pessoas importantes ligadas a Prefeitura são mencionados. Uma tentativa de explicação, mal feita, onde a emenda foi pior do que o soneto apenas comprovou que há muitos erros dentro do Paço Municipal.

Como citamos a Câmara o tema vale algumas palavras. Uma administração que censura Veículos de Comunicação, comete erros primários e paga valores acima do mercado nas suas licitações, além de não solucionar casos de pedido de vaga feita por suplente e permitir que um membro da casa consiga a troca de comando de um setor da Prefeitura, mostram que Legislativo e Executivo caminham pela mesma estrada errada, que não tem volta, que não tem retorno.

De mais a mais as promessas de campanha não cumpridas unem-se as demissões na Secretaria de Esporte, aos atos políticos praticados em nome do comércio irregular, aos carros abandonados a céu aberto pela cidade e aos Secretários que perderam a compostura do cargo e protagonizaram discussões desnecessárias nas Redes Sociais e Audiências Públicas. Não devemos esquecer também que a desunião reina dentro do próprio grupo político dominante atual, visto a tentativa de retirar dele mais do que um Secretário, um membro forte e atuante que muito trabalhou pela vitória do grupo que aí está.

Tendo em vista os acontecimentos do primeiro ano, receamos que os próximos 36 meses sejam ainda mais catastróficos, pois a escalada do poder e a ganância sem medidas na política geram uma sequência ainda mais gritante de medidas duvidosas, errôneas e prejudiciais a cidade de Caraguatatuba.

Torçamos para que isso tenha um fim.

Sobre Pedro Monte-Mór

Pedro Monte-Mór tem 54 anos, é Jornalista Profissional, formado pela Universidade de Taubaté em 1986 e Pós-Graduado pela mesma Universidade em Assessoria de Imprensa, Gestão da Comunicação e Marketing em 2005. Carioca de nascença mora em Caraguatatuba há 44 anos e incorporou-se ao modo de vida paulista. O início da sua vida profissional se dá na década de 80, quando fez Free Lance para a Rádio Oceânica – AM 670 e Jornal Expressão Caiçara. No período universitário trabalhou de 1984 a 1986 na GAZETA DE TAUBATÉ, sob o comando do Jornalista Djalma Castro e como Correspondente em Taubaté do extinto JORNAL DO VALE, de São José dos Campos no ano de 1986. Trabalhou para o SEBRAE Litoral Norte – Regional São José dos Campos, Prefeitura Municipal de Caraguatatuba de 1989 a 1992, além de diversas outras entidades de classe, Como ACE (Jornal do Comércio) e AEAA-C (Jornal dos Engenheiros), sempre na direção Editorial. Prestou Assessoria de Imprensa para a Praiamar Transportes. Fundou os jornais O NOROESTE e NOROESTE NEWS em Caraguatatuba, respectivamente de 1997 a 1998 e de 1998 a 1999. Foi Correspondente do JORNAL IMPRENSA LIVRE, de São Sebastião, o único diário do Litoral Norte do Estado de São Paulo, de 1992 a 1996 e de 1999 a 2001. Trabalhou como Assessor de Comunicação da Câmara Municipal de Caraguatatuba de 2001 a 2012, exercendo também as funções de Relações Públicas, Cerimonialista e Mestre de Cerimônias. Exerceu função na Assessoria de Comunicação da Prefeitura de São Sebastião de Agosto de 2013 a Julho de 2014 e escreveu para o Jornal InfoImóveis de Dezembro de 2013 a Fevereiro de 2014. Ministrou aulas na UNIP em São José dos Campos (Marketing Político) e no Módulo – Comunicação (Fotografia e Teoria da Comunicação). Atualmente ministra aulas no IBRAP (Instituto Brasileiro de Administração Pública), nos cursos de Ouvidoria, Assessoria de Comunicação, Estruturação de Assessoria de Comunicação e Media Training.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Criado por Invicta Code