Os Gastos no Mundo Atual

Os Gastos no Mundo Atual

Você vive endividado? Seu orçamento está no limite? Os gastos mensais têm aumentado mais do que você ganha? Esta é uma situação vivida não apenas por você, mas por grande parte da sociedade brasileira. Mas o que este problema tem a ver com esta série de textos? Simples, graças ao Marketing e o seu “Conceito de Vida” e a natureza humana que sempre “quer ter mais”, economizar está cada vez mais difícil ou então você passa ao largo do consumismo e fica a observar os outros com cada vez mais novidades.

Vamos começar este texto com um simples flash-back. Porque o seu pai ou o seu avô sempre tinha dinheiro sobrando? Estou excluindo os gastadores inveterados, beberrões, mulherengos e jogadores desta pergunta. Pare para pensar, quais eram os gastos do seu avô e do seu pai diariamente, mensalmente. Quais as contas e os investimentos que faziam, a poupança, os planos, suas metas. Estamos baseando este texto para um homem ou mulher de 40 anos, um pai ou mãe de 70 anos e seu avô ou avó de aproximadamente 95 anos.

Agora é na ponta do lápis. No que o seu avô gastava o suado dinheirinho conquistado dia-a-dia? Conta de água não existia, pois ela vinha do poço no fundo da casa. A luz vinha do gerador, que poderia ser próprio ou fornecido pela Prefeitura, sem que houvesse a devida cobrança. Telefone certamente ele não tinha e gás muito menos, pois o fogão era a lenha. Restavam apenas a comida do mês e o custo de manutenção da charrete e do cavalo que a conduzia. As férias eram aproveitadas na casa de parentes e as roupas que não eram de grife, eram feitas em alfaiates ou costuradas pela própria vovó. Os estudos eram em escola pública e não havia uma lista imensa de material escolar. O lazer se baseava em jogos de futebol, pescarias no lago e almoços com toda a família no domingo. Ah! a cerveja não era tão cara e muito mais saborosa.

Chegou a vez do seu pai. A charrete foi substituída pelo carro, que não gastava muito e sequer tinha acessório. A compra do mês continuava existindo, mas o mix de produtos apresentados não aviltava de maneira alguma o orçamento dele. Já existiam as contas de gás, luz, água e telefone e juntamente com a gasolina, não tinham aumentos constantes. O entretenimento já começava a tomar forma, mas os preços não eram compatíveis com a classe média ou aqueles que não tinham um diploma na parede. O costume de freqüentar botecos já tomava forma e seus custos não eram exagerados. O lazer já contava com bons hotéis e almoçar fora em restaurantes começava a se tornar uma mania. As roupas já tinham grife, mas as costureiras e alfaiates ainda tinham um grande mercado pela frente.

Estamos nos dias de hoje e falaremos do seu orçamento. Os salários foram achatados ao longo dos anos. As roupas agora têm grife e custam os olhos da cara. Suas contas de água, luz, telefone, gás, gasolina e álcool aumentam devido às majorações impostas pelo governo. O seu carro hoje não pode andar sem um mínimo de 4 acessórios, incluindo alarme, ar condicionado e trava elétrica. Surgiram nos últimos anos os gastos com informática, que se supera a cada dia. Atualmente você tem que ter um telefone celular e uma provedora. Os produtos, os mais variados possíveis, surgem em catálogos ou pela internet. A compra do mês tem um mix ainda maior e parte desta verba do seu orçamento tem que ser compartilhada com produtos light ou diet. Esqueci da TV a Cabo ou por Assinatura, o DVD ou o Vídeo Cassete, os patins ou skate das crianças e o mundo das bijuterias e dos cosméticos que são indispensáveis às mulheres.

Nos tempos de nossos avós e pais o mercado não conhecia a globalização, então os produtos daquela região circulavam pela região e como não havia inflação, o preço final era menor e com um lucro maior. O mercado não sofria oscilações, mas como não tinha defesas, uma grande reviravolta trazia grandes prejuízos a todos.

Nesta época não havia o “Conceito de Vida”, tema inspirador do Marketing para a avassaladora compra de mais e mais produtos, que observando o instinto humano do consumismo, nos faz gastar a cada dia um pouco mais. Em resumo, o que difere os gastos mensais de nossos avós e pais é que temos a mesma fonte – salário – mas com uma diferença; a lista de gastos é infinitamente maior.

O que consumidor e empresário precisam observar nos tempos de hoje é que economizar ainda é necessário, que obter sempre o máximo em tecnologia não é imprescindível e que nem tudo que o Marketing apela para que compre deve ser comprado. E olha que eu não estou falando em comprar aquilo que não está ao seu alcance.