Sandro Matias_Construart 44

 

Mais uma vez estou de volta e para falar de um assunto a qual está intimamente ligado a minha profissão, ao meu trabalho e ganha pão. Falar de Urbanismo é descrever como pensamos, vemos e desejamos que as cidades sejam, lugares sensatos que equilibrem máquinas e homens.

Para iniciar quero deixar a minha opinião. Prefiro o homem a máquina, ou seja, a preferência ao ser humano através de calçadas mais largas, mais amplas e ruas mais estreitas e de preferência de mão única, com espaço para estacionar. Logicamente que as vias expressas precisam ser mais espaçosas e largas, garantindo o fluxo de carros para bairros ou pontos distintos. Voltando as calçadas mais amplas e largas, elas trazem conforto ao ser humano além de maior comodidade, como a instalação de bancos, floreiras e mesas dos bares e restaurantes que lá estiverem instalados.

Quando falo em Bares e Restaurantes estou me referindo também aos equipamentos comerciais restantes, como lojas e prestadores de serviço. Penso que um Urbanismo sensato, equilibrado e de bom senso não pode ser igual a Capital Federal, onde cada setor abriga um tipo de comércio. Prefiro a bagunça organizada da maioria das cidades, onde em cada bairro ou comunidade você encontra um exemplar de vários comércios e prestadores de serviço.

Voltando a falar dos carros penso que o estacionamento em 45 graus é a melhor opção, mas como sugeri ruas e avenidas mais estreitas, o estacionamento de um só lado é mais conveniente, pois mantêm o fluxo e libera local para o motorista estacionar. Como eu falei em estacionar penso que a Zona Azul só poderá existir nos centros nervosos do comércio ou quarteirões bancários.

No quesito moradia vejo com bons olhos a possibilidade de desdobro de lotes em bairros populares, com fachadas de até 7 metros, abrindo um leque para os construtores aumentarem o volume de trabalho, favorece o dono do imóvel desdobrado que terá mais chance de construir a casa dos seus sonhos e a Prefeitura por sua vez, teria um aumento na arrecadação de IPTU devido ao maior número de imóveis, obviamente com um padrão que não leve aquele bairro ou comunidade a um processo de favelização.

Falar em Urbanismo é equilibrar uma calçada que drene a água de chuva, que mantenha um nivelamento para o pedestre e tenha acessibilidade visando o cadeirante. Perceba que as questões urbanísticas são infindáveis e neste texto fizemos uma preliminar do que é viver em harmonia numa cidade moderna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *