Imagine a cena. Restaurante unicamente com Delivery se intitula cheio de Bossa trabalhando com comida Japonesa é lançado na cidade. Você liga, pede os pratos, acerta o pagamento com cartão e do outro lado lhe dão 30 minutos de prazo. Passados 5 minutos você liga e alegam que já saiu para a entrega. Após 70 minutos do pedido você descobre que a entrega foi feita a pé, que o entregador, que é dono não conhece a cidade e a máquina de cartão não funciona e o operador não sabe lidar com ela.

Parece piada mas não é!!! Esse é o retrato atual dos novos empreendedores que diariamente se estabelecem em nossa cidade, região, no estado e em todo o país. A falta de preparo é visível, pois a estrutura não existe, apenas a vontade de ganhar dinheiro, que sem o devido conhecimento, de nada adianta.

No Brasil é praxe constituir um empreendimento e vende-lo até o segundo ano de vida se o mesmo estiver em voga e estruturado. Caso contrário ou o proprietário se mantêm no comando ou o mesmo irá fechar. Aliás outra porcentagem triste é que a maioria dos pequenos comércios tem no máximo de seis a oito meses de vida que se explicam por várias razões.

O mais comum é aquele que recebe indenização por causa de um PDV – Plano de Demissão Voluntária e resolve ser o seu próprio patrão. Outros, dotados de ganância extrema, veem em comerciantes bem sucedidos a chance de ganhar igual e tem ainda aqueles que observam um nicho de mercado que tem lucros e acham que entrando nele terão a mesma sorte.

Caso você esteja num dos grupos citados no parágrafo anterior é bom ler com atenção os detalhes que vem a seguir: Constituir um comércio é algo que requer organização, detalhamento, previsão, paciência e estudo aprofundado. Primeiramente você deve escolher um nicho ou ramo de mercado que você conheça e goste. Caso não conheça o melhor é aprender como se lida com o ramo escolhido. Estudar o local em que irá se instalar é sempre bom e digo isso em termos de bairro ou cidade. Analisar a concorrência é mais do que salutar, é prioritário. Em termos financeiros você deve iniciar com preços promocionais e ter uma previsão de gastos, sem estimativa de lucro, de no mínimo 12 meses. Reservar uma parte do orçamento para a publicidade é mais importante do que a sua saúde, pois dela depende a vida da sua escolha.

Definir o tipo de serviço, escolher os melhores equipamentos e um grupo de fornecedores fixos são itens que devem liderar a sua lista de afazeres para não figurar como estatística negativa no empreendedorismo brasileiro. O recrutamento dos funcionários é outro item vital, pois vale mais a pena pagar bons salários e exigir qualidade dos empregados do que pagar uma miséria e viver na dependência da má qualidade deles. Lembre-se que em todas as vezes o barato sai caro. Se você estando preparado as emergências e contratempos acontecem, imagine montar um comércio a olho.

Relacionamos estas dicas de forma resumida para que você não fique cheio de bossa ao se tornar comerciante, quando na verdade você está é cheio de Bo……….!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *