A Sessão Solene de Posse dos Vereadores, Prefeito e Vice realizada na noite da última sexta-feira – 1º de Janeiro – foi marcada pela inclusão de uma segunda chapa na última hora, ameaça de Impugnação do atual Presidente, Concentração do Poder Familiar na gestão e um recado direto sobre Infidelidade Partidária. Pela movimentação podemos afirmar que a cerimônia foi uma Avant-première do que será a atual gestão.

A Cerimônia de Posse, marcada por uma Sessão Solene, na Câmara Municipal de Caraguatatuba na noite de 1º de Janeiro – sexta-feira – ocorreu de forma On Line, devido a Pandemia do Covid-19, tendo dentro das dependências da Casa de Leis apenas o Prefeito Reeleito com a Primeira-Dama, o Vice-Prefeito, os 15 Vereadores e os poucos funcionários do Legislativo convocados para o evento, que marcou o início da 18ª Legislatura, para o Quadriênio 2021/2024. Os únicos visitantes foram o Tenente Coronel Paes e o Capitão Diniz, respectivamente Comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar do Interior e Comandante da 2ª Cia. do Batalhão.

Com 15 minutos de atraso a Cerimônia deu início com a chamada dos Vereadores em ordem alfabética, com preferência para a única Vereadora presente, vindo em seguida o Vice-Prefeito José Ernesto e o Prefeito Reeleito, Aguilar Júnior com a sua esposa e Primeira-Dama, Samara Aguilar. Por ser o mais votado nas Eleições Municipais de 2020 o Vereador Tato Aguilar presidiu os trabalhos, convocando o segundo mais votado, Marcos Kinkas para Secretariar os trabalhos, fazendo a leitura de um trecho da Bíblia e posteriormente a execução dos Hinos Nacional e de Caraguatatuba.

Em seguida houve a entrega dos documentos obrigatórios para a posse, como o Termo de Desincompatibilização, Exame Toxicológico e a Declaração de Bens. Em seguida fizeram o Juramento o Prefeito e o Vice, encerrando esta primeira fase com os discursos de ambos, quando José Ernesto falou em expectativas e Aguilar Júnior abordou conquistas e promessas. Após isso Prefeito e Vice seguiram para a Transmissão do Cargo no gabinete na Prefeitura. O Presidente Interino da Câmara pediu 10 minutos de intervalo para em seguida voltar para a Eleição da Mesa Diretora da Câmara para o Biênio 2021/2022.

Foi com o retorno do intervalo que a agitação política deu início na sede do Legislativo Caraguatatubense. Ao reiniciar os trabalhos o Vereador Aurimar Mansano pediu “Questão de Ordem”, colocando-se como Candidato a Presidência da Câmara, mesmo que fosse o único de uma segunda chapa, indicando que Tato Aguilar, inscrito em outra chapa, estaria em suspeição, pelo fato de ter seu pai, o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar sendo investigado por Propina pela Polícia Civil e pelo irmão, o Prefeito Reeleito Aguilar Júnior ter sido mencionado num Processo de Cassação.

Após o anúncio de Aurimar o Vereador Celso Pereira fez o mesmo pedido e concordando com Mansano, disse que faria parte da chapa, isso sem antes criticar o Prefeito e o Vereador Jameson. Antonio Carlos Júnior veio em seguida, emendando as palavras anteriores e colocando-se a disposição para assinar uma segunda chapa para concorrer a Presidência, frisando o quarto nome necessário viria do Vereador Fernando Cuiú, que desistiu da ideia, com Antonio Carlos Júnior pedindo o seu retorno. Ante o fato o Presidente Interino pediu cinco minutos de intervalo.

O Blog Contra & Verso havia recebido a informação de que uma segunda chapa seria inscrita para tentar ocupar a Presidência no primeiro Biênio, colocando Tato em suspeição devido ao Pai e Irmão. Segundo informações havia a certeza da derrota, porém o objetivo maior era o de tentar impugnar a eleição de Tato Aguilar por presumir que ele irá atrapalhar o andamento de Comissões e Investigações e de fazer o papel de opositores.

No retorno do segundo intervalo Antonio Carlos Júnior pediu questão de ordem para a leitura de um ofício do Diretório do PSDB na cidade, citando que o não seguimento das diretrizes do partido implicaria em Infidelidade Partidária e a perda do mandato, tendo em vista que o eleito ou reeleito ocupa uma cadeira do partido e não do candidato, sendo um recado claro e explícito ao Vereador Reeleito Fernando Cuiú, que respondeu não poder participar por estar enfrentando problemas de ordem particular e familiar.

Tato Aguilar fez uma nova chamada para comprovação de Quórum. A princípio haviam duas chapas, uma oficial, composta por Tato Aguilar, Presidente; Jameson Chick Show, Vice-Presidente; Agnaldo Butiá, 1º Secretário e Dé Construtor, 2º Secretário e uma chapa oficiosa, composta por Aurimar Mansano, Presidente; Celso Pereira, Vice-Presidente e Antonio Carlos Júnior, 1º Secretário. A Presidência Interina leu um despacho do Jurídico da Câmara, citando o artigo 8º do Regimento Interno para explicar a invalidação da chapa liderada por Mansano, que replicou abordando que o Regimento Interno não é claro quanto a uma chapa ser apresentada com um, dois, três ou quarto integrantes, ou seja, não é restritivo quanto a este fato e que Tato Aguilar estaria interpretando o Regimento Interno a sua maneira.

 

Tato Aguilar deu prosseguimento a sessão e neste ínterim o Vereador Fernando Cuiú abandonou a Cerimônia. A votação final apresentou 11 votos para a chapa do Presidente Interino e três votos para a chapa de Aurimar Mansano, que teve os votos considerados nulos, por estarem rasurados.

Nos discursos AC Júnior reprisou a Eleição 2020, enfatizou o nome do pai, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva e que será um fiscal dos trabalhos do Executivo. Aurimar Mansano citou o seu 7º Mandato, o pai que é falecido e o retorno do velho amigo Baduca Filho. Celso Pereira citou todos os colegas Vereadores e fez críticas ao Prefeito Aguilar Júnior. O novo Presidente da Câmara agradeceu a família, a namorada e sua equipe de trabalho, aproveitando para marcar uma Sessão Extraordinária para amanhã – terça-feira, cinco de Janeiro – às 18 horas, com a pauta já tendo sido enviada aos Vereadores. Pelas Redes Sociais a Sessão Solene de Posse teve 11 mil visualizações e mais de 2.200 comentários.

No fechamento deste texto soubemos que o Vereador Aurimar Mansano irá ao Ministério Público contestar a eleição de Tato Aguilar para a Mesa Diretora. O fato foi confirmado por uma fonte, porém o Vereador Mansano não respondeu ao nosso contato via Rede Social. O Vereador Fernando Cuiú também não retornou ao contato da nossa Redação quanto ao abandono da Sessão, a não participação na chapa e as insinuações sobre Infidelidade Partidária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *