Passados 30 dias do início da Intervenção decretada pela Prefeitura de Caraguatatuba em oito de Abril, a cidade já respira um Transporte Público de melhor qualidade e maior atendimento ao usuário. Transformações e alterações foram inseridas no dia a dia da Concessionária Praiamar Transportes, que continua tentando na Justiça reverter a situação, decretada pelo Prefeito Aguilar Júnior.

A guerra silenciosa e de bastidores entre a Praiamar Transportes e a Prefeitura de Caraguatatuba teve início em 2017, quando o Prefeito Aguilar Júnior informou pela Imprensa que não faria o reajuste da tarifa do transporte coletivo, devido a reclamações anteriores a eleição de 2016, feita pelos usuários do setor.

A partir daí a Prefeitura iniciou um pente-fino na empresa, emitindo diversas multas e aplicando sanções, pois a precariedade dos serviços era nítida e contínua. É bom frisar que os problemas surgiram antes da Pandemia do Covid-19 e se agravaram após a decretação de restrições e dos protocolos sanitários.

Numa revisão dos fatos está o recadastramento do passe dos idosos, que devido a um serviço mal organizado, trouxe constrangimento a categoria, que foi obrigada a ficar horas ao relento e em condições precárias para o seu atendimento,

A situação se complicou ao longo dos anos com as greves anuais decretadas pelo Sindicato da categoria, em busca de melhores salários e condições de trabalho aos motoristas e pessoal da administração. Devido as multas e sanções impostas pela Prefeitura, a Praiamar desencadeou uma série de ações na Justiça, que vem sendo debatidas pela Prefeitura, sem que qualquer decisão tivesse uma sentença contra ou a favor de ambas as partes.

Com os protocolos sanitários da Pandemia houve queda no movimento e consequentemente na arrecadação da empresa, que originou na demissão de vários motoristas e foi durante uma destas greves que a Prefeitura preferiu romper o silêncio da guerra travada entre ela e a Concessionária, informando as multas já aplicadas e outras que seriam elaboradas se os problemas no transporte coletivo continuassem.

As críticas a Praiamar se estenderam além do relacionamento entre ela e a Prefeitura, com todos os candidatos à Prefeitura nas Eleições Municipais de 2020 apregoando que trocariam a Concessionária se vencessem o pleito.

Com a decretação da Intervenção houve problemas com indícios de sabotagem na bilhetagem eletrônica, motoristas foram recontratados, 11 carros foram impedidos de rodar e passaram por minuciosa análise, o número de reclamações diminuiu, novas linhas foram criadas e horários foram ampliados, além das diversas tentativas de reverter a ação da Prefeitura na Justiça que foram negadas.

A Intervenção tem prazo até oito de Outubro, quando a Prefeitura deverá contratar uma empresa de forma emergencial, até que a uma Licitação seja realizada para a contratação de uma nova empresa e o cancelamento do contrato com a atual Concessionária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *