Ingerir bebidas alcoólicas e dirigir nunca foi o melhor dueto na vida das pessoas, pois enquanto o primeiro traz satisfação, o segundo pode levar a morte. No Litoral Norte o assunto não é diferente e o número de acidentes reduziu, entre elas, devido a Tolerância Zero adotado pela Polícia Rodoviária Estadual. Conheça um pouco mais sobre os problemas do álcool ao dirigir.

O Litoral Norte de São Paulo é composto por quatro cidades que se envolvem numa malha viária de mais de 200 quilômetros de extensão, compreendendo cidades como Ubatuba, São Sebastião e São José dos Campos, em rodovias como a SP-99, SP-55 e SP-125. Destes apenas 97 quilômetros são gerenciados, observados e patrulhados pelo Tenente James Godoi e o seu pelotão, um Joseense de nascença, que frequenta a região desde criança, que está no comando da região há cerca de um ano.

Segundo o Comandante Godoi durante o verão as estradas da nossa região sob o seu comando movimentam respectivamente 150 mil veículos na SP-99, 15 mil na SP-125 e 35 mil na SP-55. Todo este movimento consequentemente gera um índice de acidentes diários e sazonais. Um exemplo disso é a SP-55 que é a campeã de acidentes por conter trechos urbanos, principalmente entre os quilômetros 102 e 112, com cerca de 60% e na sua maioria com motocicletas. Já na região Norte os maiores acidentes são as colisões traseiras com veículos.

Ainda segundo a Polícia Rodoviária houve uma redução no número de acidentes entre 2019 e 2020. De 23 de Dezembro de 2018 a 28 de Janeiro de 2019 foram 57 acidentes com vítima, sendo 12 graves e 63 leves, além de outros 106 acidentes sem vítima. No mesmo período deste ano foram 70 acidentes com vítima, sendo oito graves, 61 leves e um fatal, além de outros 94 acidentes sem vítima.

Os órgãos fiscalizadores das estradas brasileiras tem intensificado uma campanha direta e incisiva contra o alcoolismo nas rodovias e nos motoristas brasileiros e para isso são realizadas blitz periódicas em vias urbanas, intermunicipais e interestaduais fazendo uso do Bafômetro ou Etilímetro, nome técnico dado ao equipamento que afere a dosagem de álcool nos motoristas. Para a medição é necessário que o motorista assopre no aparelho para que a dosagem seja indicada. É bom lembrar que a margem de erro do equipamento é de 0,04mg/L e como a regra é “Tolerância Zero”, ou seja, qualquer resultado acima de 0,05mg/L irá resultar em multa para o motorista de R$ 2.923,00. No caso do Bafômetro mostrar mais do que 0,33mg/L constitui Crime de Trânsito por Embriaguez que resulta em proibição de dirigir por 12 meses e encaminhamento para a Delegacia de Polícia, podendo ficar preso caso não pague a fiança estipulada pelo Delegado até a audiência de custódia.

Quanto a esta questão envolvendo índices de álcool entre os condutores, alguns detalhes devem ser citados. Não importa que seja uma cerveja, uma taça de vinho, cachaça, caipirinha ou conhaque, o número de doses e a mistura de bebidas, o motorista ao ser flagrado será autuado, com a gravidade sendo estabelecida pelos índices apontados, mas existem algumas exceções.

A ingestão do famoso “Bombom de Licor” ou a pessoa que não bebe e recebe um beijo de alguém que ingere bebida alcoólica. Com certeza estas pessoas terão índice acima do permitido, mas para não serem multados, deverão informar a autoridade policial o que teria ocorrido para acusar índice acima do permitido. De acordo com os protocolos policiais a pessoa deverá lavar a boca ou fazer um gargarejo com água e aguardar por 15 minutos para uma aferição, para comprovar índice zero. Caso a irregularidade permaneça a pessoa será multada, ou seja, não adianta mentir para o policial pois a consequência será rígida. Este tipo de ocorrência acontece geralmente pois a porção de álcool está apenas nas papilas gustativas da pessoa e não na corrente sanguínea e nos pulmões.

Finalizando a Tolerância Zero quer apenas manter a segurança de motoristas e passageiros nas estradas brasileiras. Para a Polícia Rodoviária a dica é que você aproveite a sua praia e o trajeto escolhido com segurança, deixando para beber quando estiver parado e com o carro estacionado no local onde estiver residindo, sem oferecer perigo a quem quer que seja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *