AME de Caraguá quer cobrar pontualidade

Fachada AME 64

Mais uma vez me deparo com uma cena bizarra, um acontecimento que mais se assemelha a um Teatro de Horror, uma tragicomédia feita com o pior mal gosto que alguém pode supor. É inexplicável como existem seres humanos que sujeitam outros da sua espécie aos piores níveis de tratamento, de atendimento, de serviço. Eu nunca imaginei que o homem chegaria a este ponto.

Novamente o caso ocorre no sistema estadual da saúde e nessa hora peço licença para escrever em primeira pessoa o ultraje sofrido por uma idosa, que por causa de 43 minutos, perdeu tudo que havia agendado para esta quinta-feira, 28 de maio, no período da manhã, no prédio do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), de Caraguatatuba.

A pessoa em questão, minha mãe, tinha agendada uma consulta com o Neurologista Celso Sadahiro Yagni para esta quinta-feira – 28 de maio, às 7h10, com chegada às 7 horas, na sede do AME de Caraguatatuba. Devido a problemas de última hora houve atraso na chegada ao posto e o horário de entrada foi confirmado às 7h53, ou seja, atraso de 43 minutos. É a partir daí que tem início o Circo dos Horrores.

Ao chegar o funcionário da portaria se assustou e tratou de confirmar o horário no celular e marcar na ficha, orientando-nos a ir para o balcão de atendimento. Neste balcão a funcionária vê que estamos atrasados e fala em se comunicar com o Serviço Social. Pergunto qual o problema e tanto o primeiro funcionário como a sua colega no balcão falam do atraso. Não me contive e dou uma risada, perguntando desde quando médico é o profissional que respeita horário. Eles respondem que é o procedimento padrão neste caso. Aguardo por pelo menos 20 minutos, até que recebo a informação de que a consulta foi cancelada, pois o médico não receberia mais minha mãe por causa do atraso, segundo relato da funcionária do Serviço Social. Nesse entremeio uma senhora com o seu filho, vinda de Ilhabela também teve sua consulta cancelada, mas estranhamente uma acompanhante chegou antes do paciente e não teve sua consulta cancelada. O mesmo ocorreu com outra mulher, que atendida por outra funcionária que não foi a mesma que me atendeu, liberou a paciente para o atendimento. Ao perguntar, tanto essa outra funcionária como um terceiro colega de trabalho que o procedimento não é para todos os casos, ou seja, no AME cada caso é um caso e deve depender do funcionário e da cara do usuário.

Ouvidoria AME 61

Dirijo-me ao setor responsável para a marcação de nova data para consulta e posteriormente vou a Procuradoria, onde aguardo por 22 minutos e nenhum funcionário do setor aparece ou dá sinal de vida. Pergunto aos funcionários e os mesmos dizem que os membros da Procuradoria estão solucionando um caso fora da sala, atitude essa errada e totalmente fora de padrão, pois funcionário de Procuradoria não resolve casos, simplesmente vai buscar informações para repassar aos reclamantes, tendo sempre que manter pelo menos uma pessoa no local, para o atendimento do telefone e captação de reclamação. A grosseria e falta de tato com um usuário idoso é atitude comum neste ambiente de saúde.

Para não dizer que há exageros analisemos o caso da seguinte plataforma: Como pode um estabelecimento de Saúde e um profissional Médico cobrar pontualidade, se os mesmos não tem esse costume???. Lembrando dos últimos 30 anos que freqüento um consultório médico, nunca vi um destes “homens de branco” ser pontual. Outro ponto ainda diz respeito ao horário. Mesmo com 43 minutos tenho certeza que todos os pacientes agendados para esta quinta não haviam sido atendidos e provo isso com provas: Tirando por base 12 pacientes neste dia e cada um deles com um atendimento de 20 minutos, teríamos um total de 240 minutos ou 4 horas de atendimento e sendo assim, minha mãe, que já estava agendada estaria incluída neste período para o dia de hoje. Devido a falta da Procuradoria no nosso caso, nos dirigimos a Assessoria de Imprensa da Seconci – Sindicato dos Empregados da Construção Civil de São Paulo, onde a Gerente Médica, Cecília Maria, entraria em contato conosco. Até o fechamento deste texto a pessoa destacada não havia entrado em contato. Sabemos que este não foi o primeiro e tampouco será o último caso de mal atendimento no AME, só esperamos que os usuários tenham mais um cuidado mais digno, um atendimento mais decente e um serviço de melhor qualidade onde o povo é patrão e não gado para abate ou porco para engorda.