O Banco do Brasil deu entrada com uma Ação de Execução no Fórum de Caraguatatuba contra Aguilar Júnior, sua esposa e Tato Aguilar, seu irmão, pelo não pagamento de dívida de valor acima dos R$ 400 Mil contraída pelas empresas pelas quais são proprietários. A dívida estava sendo paga em parcelas e venceria em 2024, porém estão inadimplentes desde Março deste ano.

O setor de Cobranças do Banco do Brasil deu entrada com uma Ação de Execução contra o Grupo Zelar, formado pela Zelar Hidráulica e Elétrica e a Zelar Lar e Construção, através de seus representantes, José Pereira de Aguilar Júnior, Samara Fraschetti Bastos de Aguilar e Renato Leite Carrijo de Aguilar na última Segunda-Feira – 10 de Agosto – no Fórum de Caraguatatuba pela falta de pagamento de uma Operação de Crédito contraída junto ao Banco.

Segundo o Banco do Brasil os devedores não demonstraram interesse na Audiência Preliminar de Conciliação, de uma Operação de Crédito realizada em 27 de Junho de 2016. A Operação é denominada de Cédula de Crédito Bancário, no valor de r$ 493.893,94 (Quatrocentos e Noventa e Três Mil, Oitocentos e Noventa e Três Reais e Noventa e Quatro Centavos), com vencimento previsto para 25 de Junho de 2024.

A Operação em questão foi avalizada com garantia de Hipoteca de 1º grau, dividida em 90 prestações mensais na ordem de R$ 14.500,00 sendo que os devedores estão inadimplentes desde 25 de Março deste ano. O Banco alega que fez várias tentativas extrajudiciais sem êxito, com o total da dívida atualizada em r$ 462.522,56 até o dia 31 de Julho, para o pagamento em até três dias. Ainda na Ação de Execução o não pagamento no valor e data estabelecidas reverte em Penhora dos Bens até o valor da dívida, conforme artigo 854 do Código de Processo Civil.

A Redação do Contra & Verso solicitou manifestação, via Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Caraguatatuba, de José Pereira de Aguilar Júnior, sua esposa Samara Fraschetti e seu irmão Tato Aguilar sobre o assunto. Alegando que não trata de assuntos particulares do Prefeito de Caraguatatuba, nos foi repassado o endereço eletrônico dele e por conseguinte, o endereço da Loja Zelar. Na resposta respondeu que a empresa Zelar renegociou com a instituição Financeira as cinco parcelas que estavam em atraso, num contrato onde o montante total é o valor citado. Informa também não diferente de grande parte das empresas, também está passando por ajustes financeiros, de modo a priorizar o pagamento

pontual de fornecedores e colaboradores, o que permitiu manter o quadro, sem demissões no período da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *