BLOGUEANDO 02 – ABR – 2015

Bloguear 11

Passou

Depois das notinhas mentirosas do 1º de abril, vamos voltar a realidade, aliás, gostou da brincadeira??? Em caso positivo repetiremos no ano que vem. Já sei, você não gostou e está até agora xingando a minha mãe!!! Tudo bem, já  passou e você volta a me xingar no próximo ano ou quando eu voltar a te cutucar!!!

Arrependido

Toda vez que vou ao AME digo que não preciso levar a câmera, pois estou lá para assuntos particulares e não devo misturar com assuntos profissionais. Estou errado, sou jornalista todos os dias e todas as horas do dia e a notícia não tem hora para acontecer. Sendo assim, câmera e bloco com a caneta estarão comigo diariamente.

Desordem

E como sempre acontece, o AME é uma desordem só. Imagine que da hora de chegada a realização do exame foram exatos 80 minutos, ou seja, 1h20. Até aí tudo bem, palmas para o pessoal de lá. O pior foi a sequência, para marcar o retorno. Uma espera de 90 minutos. Inacreditável, simplesmente inacreditável.

Lentidão

Simplesmente o guichê com 8 lugares tinha apenas 2 pessoas marcando o retorno. Depois de algum tempo surgiram outras pessoas, mas a lentidão continuava e as senhas chamavam apenas os guichês 6 e 8. Uma bagunça desencontrada, uma falta de respeito com as centenas de usuários que esperavam um bom atendimento.

Desrespeito

Mesmo com a visita dos diretores da Seconci (Sindicato da Construção Civil) e com este escriba tentando explicar num momento de tosse e falha da garganta, os almofadinhas engravatados não deram a devida bola, respeito e consideração. Esse é o retrato da Saúde que o estado terceiriza para cuidar de você que paga seus impostos.

Relembrando

E a repercussão sobre a Dengue está dando o que falar e um dos envolvidos neste rolo todo já tem história. A dona Vanguarda é useira e vezeira em usar o seu poder em prol de um ibope duvidoso e às vezes, antiético.

Analisando

Vamos analisar a situação. Uma única dona de pousada, com 12 apartamentos tem o cancelamento de algumas acomodações e ao ser ouvida pela Vanguarda, alega que a Dengue é a culpada. Ao mesmo tempo o Supermercado Silva, que tem mais de 100 empregados tem 4 deles afastados por causa da doença. Finalizando, a situação não se repete no resto da cidade, mas a emissora de TV coloca como se fosse maioria entre os moradores.

Disseminando

A partir daí dissemina esta “meia informação” em todos os seus telejornais e com certeza distribuiu para as outras emissoras da rede. Esta atitude pode gerar uma redução nas reservas e prejuízo no último feriado antes da baixa temporada. Em tempo: A Associação de Hotéis e Pousadas pediu para ser ouvida e proferir a versão oficial da entidade e a emissora nega a entrevista.

Estranheza

É estranho, esquisito, entenda como você quiser, mas a matéria cai muito bem numa hora onde a baixa temporada se inicia, juntamente com o Outono, época do ano mais direcionada para Campos do Jordão e sua elite dirigida e sazonal, onde bastou esfriar, a direção é a Serra da Mantiqueira.

Época boa

Na verdade Caraguatatuba e o Litoral Norte como um todo tem um clima admirável e agradável durante os 12 meses. Uma época de calor forte e outra de temperatura amena, onde até o frio não impressiona e convida para uma meditação. As chuvas da Primavera fazem uma avant premieré do que vem posteriormente. Em suma, Caraguá é turismo o ano todo e precisa apenas de investimento, apenas isso.

Passado

A Dona Vanguarda já tem experiência nesse ramo, no ramo de fazer ibope com pouca coisa ou da maneira errada. Certa vez um senhor de nome Souza, aposentado e conhecido na cidade distribuiu cartazes criticando os Vereadores que nada fizeram pelo bairro dele. A questão chegou na redação da Vanguarda que desceu e fez matéria sobre o assunto.

Versão

Na versão da emissora é o Vereador que faz obra e realizações na cidade, quando na verdade o Parlamentar é o fiscal do povo perante a Prefeitura, devendo fiscalizar seus atos e cobrar atitudes conforme os pedidos dos moradores.

Dirigido

A Vanguarda dirigiu as entrevistas como se a sua versão fosse a correta. Entrevistou a Presidência da Câmara da época que mostrou o caminho correto, mas de nada adiantou. Ao final, além de crucificar os Vereadores, ainda fez uma charge achincalhando os Parlamentares.

Parceiro

Toda essa novela se explicaria de outra maneira se houvesse uma “parceria”, entre a emissora e os Poderes Públicos da cidade ou entidades, porque para certos veículos de comunicação estas “sociedades” significam silêncio, acobertamento, mudança de posicionamento ou proteção contra críticas e problemas.