Blogueando 21 – MAI – 2015

Bloguear 12

Subindo

E segundo consta a audiência do BLOG CONTRA & VERO vem aumentando a cada dia, em especial a leitura da coluna Blogueando. Fontes nos confidenciam que tem gente influente que já tornou obrigatória a leitura da coluna diariamente.

Autor

E o autor do projeto que aumenta de 15 para 17 o número de Vereadores na Câmara Municipal de Caraguatatuba,  Francisco Carlos Marcelino – Carlinhos da Farmácia, falou com a coluna Blogueando sobre seu projeto e assuntos correlatos.

Objetivo

A razão do Vereador em apresentar a propositura diz respeito ao crescimento da cidade, o que justificaria o aumento dos fiscais do povo na Casa de Leis.

População

Segundo Carlinhos a população de Caraguá já está beirando, com certeza, 120 mil habitantes, o que enquadraria a cidade num outro patamar, justificando mais Edis.

Favorece Prefeito

Segundo o Vereador aumentando o número de Vereadores é aumentar o número de candidatos a proporcional para os candidatos do majoritário, ou seja, os candidatos a Prefeito terão mais candidatos a Vereador em suas chapas.

Favorece Eleitores

Farmácia continua, ressaltando que com 17 Vereadores os eleitores, os contribuintes teriam mais condições de fazer seus pedidos. “Os Vereadores hoje não dão conta de atender o povo”, disse Farmácia.

Favorece Candidatos

Obviamente, na sequência de favorecidos não poderíamos deixar de lado os candidatos, que terão mais chances de se eleger. “Há muita gente boa por aí, muitos nomes novos, líderes que podem servir ao povo”, frisou o Vereador.

Qualidade

Ao mesmo tempo, aumentar o número de Edis na Casa de Leis não irá incidir na redução da qualidade da Vereança, segundo o Vereador. Farmácia ressalta que mais Vereadores darão mais atendimento ao povo.

Sem Coligação

Discorrendo sobre o assunto, Francisco Marcelino é favorável ao fim das coligações e do Quociente Eleitoral para o Proporcional, premiando com a cadeira de Vereador os mais votados na quantidade de cadeiras delimitadas.

Teoria Nivaldo

Sobre a famosa “Teoria Nivaldo Alves”, a qual quanto maior a Câmara, mais difícil o Prefeito terá o controle nela, Carlinhos da Farmácia não concorda. “Esta teoria não existe!!!”, enfatizou o Parlamentar.

Reeleição

Ao contrário do que foi veiculado no projeto de Lobinho, que tinha por base proteger os Vereadores dos perigos da não reeleição, o prático em Farmácia garante que isso é balela. “Eu não temo perder a eleição, pois tenho meu trabalho. Elaborei a proposta com base nas declarações anteriores”, frisou.

Trabalho

Carlinhos disse que quando da votação do projeto usará de franqueza com os colegas Vereadores. “Elaborei o projeto e o coloco em votação. Se quiserem aprovar tudo bem, se quiserem rejeitar não há problema algum. Ser Vereador não é trabalho, é função passageira e dela depende a vontade do povo”, ressaltou.

Estrutura

Ainda nesse papo, que está dando pano para manga e motivo para fofoca, comentário, conjectura e bafafá, Carlinhos da Farmácia acha que aumentando o número de Vereadores, os Parlamentares não perderão em estrutura, que de 4 baixou para 2 e há risco de ficar apenas 1 Assessor. “Diminuir não vai. Com o aumento no orçamento, o Duodécimo da Câmara aumenta e se mantêm com os 2 Assessores, voltando aos 4 quando o Orçamento Municipal aumentar”, disse.

Assessores

O Vereador reclama que o número de assessores foi reduzido de 4 para 2 devido a uma orientação e sugestão do Judiciário. Na opinião do Vereador houve intromissão dos poderes constituídos, que segundo a Constituição Federal são harmônicos e independentes.

Não Manda

Para o Vereador os Poderes não podem intrometer-se na seara alheia, ou seja, o Judiciário não pode por bedelho no Legislativo e vice-versa. “A Justiça não manda na Câmara”, disse o Parlamentar.

Financeiros

O BLOG CONTRA & VERSO desconhece a orientação/sugestão do Judiciário e tem conhecimento apenas de um Relatório, elaborado pelo setor Administrativo e Financeiro da Câmara, onde é sugerido que a Câmara, ou melhor, os Vereadores, manteriam a mesma estrutura se o Legislativo mantivesse o número de 10 Edis, podendo aumentar até 11 ou 13, mas nunca 15 como estão atualmente.