CARAGUÁ COMEMORA MAIS UM ANO DE VIDA

Brasão Caraguá_madeira 01

O mês de Abril é extremamente prazeroso no que tange a datas e efemérides. Dia do índio, Aniversário de Roberto Carlos, Tiradentes, Descobrimento do Brasil, Força Aérea Brasileira, Aniversário de Roberto Freire, Polícias Civil e Militar, do Disco, do Diplomata, Exército, Juventude e porque não, da nossa querida Caraguatatuba. São 158 anos de muita história, mas eu pergunto: Temos o que comemorar ou vamos apenas dizer “mais um ano se passou???”.

Somos a cidade mais populosa do Litoral Norte, além de ser o Portal de entrada da região. Temos o segundo orçamento e área das mais belas praias deste lado do Atlântico. Ao todo são 26 quilômetros de praias, temos água em larga escala (não se deve mais falar em abundância), pelo menos 20 bairros e mais de 20 mil vias públicas. O único, maior e melhor Shopping Center da região está em Caraguatatuba, que tem também uma das mais novas e maiores Unidades de Tratamento de Gás da Petrobrás.

O esporte aqui é disputado e realizado em larga escala: Kart, Vôo Livre, Paraglider, Futebol, Futsal, Futebol de Areia, Volei, Tênis, Rugby e até Futebol Americano. Uma malha viária de diversas alternativas garantem a fácil locomoção para qualquer lado do município sem estrangular ou engarrafar o trânsito. Um comércio variado e com a presença das principais lojas de rede está aqui instalado, juntamente com os maiores bancos do país. Não temos indústrias, mas um tímido grupo de Prestadores de Serviço.

Isso tudo seria motivo para comemorar??? Comemorar o que??? Temos motivos para comemorar o aniversário de Emancipação Político-Administrativo de nossa cidade pela 158ª vez??? Além de analisar o passado, defrontar com o presente o que podemos esperar do futuro??? Teremos todo esse Currículo para mostrar a apresentar no próximo ano??? E nos próximos 158 anos, qual será o cenário???

Ser a mais populosa também nos traz o amargor de ser uma das mais violentas, mesmo que a violência independa de soluções comuns, carregamos este trauma por todo ano, em qualquer ocasião que se mencione o nome de Caraguá. De que vale ser o segundo orçamento se não há um equilíbrio entre atender ao contribuinte local e profissionalizar o Turismo, se a Saúde ainda padece de mais ordem e se as obras feitas na cidade são como cascas de ovo, onde o que vale é custar menos com menor qualidade, pois a reforma e um novo orçamento virá em 5 anos.

São praias e mais praias em quilômetros de areia, porém nem todas estão a salvo da boa educação de turistas, veranistas e moradores locais. A Prefeitura por sua vez não se aproveita do preamar e seu inverso para limpar as areias onde a água esconde. O comércio ainda é amador e não tem vontade de se profissionalizar, pois convivem com a Sazonalidade e a falta de opções para se virar ante ao Pacote de Maldades que o Governo Federal nos impôs. Os bancos não enxergam a cidade e região como um assunto diferenciado e nos tratando como gente comum de grandes capitais ou cidades industriais, nos dirigem cada vez mais para uma vala profunda e mal cheirosa. As lojas de rede são na verdade o chamado “Progresso de Fachada”, pois o grosso do dinheiro arrecadado com as vendas é direcionado para a sede da empresa, em cidades como São Bernardo, Valinhos, São Paulo, dentre outras, ficando para nós apenas os valores dos impostos, taxas e tributos municipais, além dos salários dos funcionários e da renda com os empregos indiretos.

A Base de Gás veio como sendo a salvadora da cidade, mas tornou-se o inferno em nossos quintais, pois acreditou-se que os funcionários do estabelecimento da Petrobrás dariam um novo ânimo, mas o que se seguiu foram a busca desenfreada por lucro por parte de alguns, desencadeando alterações no mercado imobiliário que hoje ainda tem reflexos. Espera-se a volta a anormalidade nos próximos anos.

Vamos comemorar 158 anos de uma cidade com identidade turística e balneária??? Acho difícil, pois vivemos do estigma da Sazonalidade, onde mais amador do que o comércio local é o Poder Público, que destina anualmente no Orçamento Municipal valores tão miseráveis para o Turismo que o Secretário pode andar com o montante total no bolso da calça durante o ano inteiro, que não irá lhe incomodar e possivelmente ainda irá sobrar no final do ano. Faltam ações inteligentes, certeiras, pensadas e arquitetadas visando trazer turistas do Brasil e do Mundo de janeiro a dezembro.

O esporte pode ser movimentado na cidade, mas nos diversos anos em que disputamos torneios, taças e copas esportivas não conseguimos os melhores lugares pois temos a tradição de não “contratar” estrelas de outras cidades e modalidades, porém também não destinamos verbas, suor e dedicação para a preparação das camadas de base. Temos um parque esportivo para alguns invejáveis, com ginásios poli-esportivos, piscinas, raias, campos e outros equipamentos, que por falta de interesse das famílias e das crianças e jovens da cidade, deixam estes locais praticamente vazios na maior parte do ano.

Caraguá pode se considerar a cidade mais politizada do Litoral Norte. Não há esquina, buteco, fila do açougue ou ônibus urbano que não se discuta, brigue, debata, explane-se e se comente sobre algo de relevância no município. Junto com isso é inegável que temos um Prefeito Empreendedor, que tem faro para os negócios, que conhece o mercado e os seus direcionamentos. Pena que ele padeça sobre as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal e que visivelmente tenha prosperado em seus negócios particulares e não juntamente com os negócios públicos, visto a situação da cidade. Ao mesmo tempo como podemos comemorar aniversário numa cidade onde as lideranças morreram??? O atual Prefeito é o principal culpado disso, pois as lideranças que nasceram ao seu lado foram ofuscadas por ele próprio e as que vingaram do lado oposto foram dizimadas por ações maquiavélicas. Aliado a isso os opositores estão “Caiçaras” demais, ou seja, descansados e despreocupados com o assunto, não observando a distância que separa o atual Alcaide de qualquer intenção de vencê-lo nas urnas em 2016.

Este é o retrato da nossa cidade, de uma cidade que já desertou por causa de uma epidemia no passado, que já padeceu por causa de uma Tromba D’Agua em 1967, que já teve uma quadra inteira de praia aterrada para a construção civil, que já foi esquecida e abandonada por seus mandatários, mas que continua forte, recebendo mais e mais pessoas diariamente, pela beleza de suas paragens, de suas praias, pela alegria do seu povo e a tranqüilidade de poder criar seus filhos em paz. Agora é com você, fica a seu cargo achar se devemos ou não comemorar os 158 anos de Caraguatatuba.