Uma imagem vale por mil palavras, diz o velho e verdadeiro jargão mas a movimentação que a foto acima causou, agitou o meio político e familiar local desde a última quinta-feira. Há também o motivo do encontro, que faz parte da história política do Litoral Norte, por selar a paz entre duas cidades vizinhas, aliás as mais estruturadas da região.

Na última quinta-feira, 10 de Junho, estiveram reunidos no Gabinete do Prefeito Aguilar Júnior, em Caraguatatuba, além dele o seu irmão, o Presidente da Câmara, Tato Aguilar, o Assessor Parlamentar Wilson Agnaldo Gobetti, o Vereador Tucano Fernando Cuiú e o Prefeito, também Tucano, de São Sebastião, Felipe Augusto. O motivo do encontro foi o de aparar as arestas entre os dois governantes, selar a paz entre as maiores cidades vizinhas do Litoral Norte e iniciar trabalhos conjuntos visando o atendimento à Saúde entre os municípios, mais precisamente no que tange a Covid-19.

Desde que o homem surgiu na terra e a humanidade foi concebida, ele trava guerras com o seu próximo, seja pelos mais diversos motivos; Mulheres, Minério, Terras, Impérios, pelo Poder, Água, Dimensões, Comida e Ouro. Hoje, 2 mil anos depois as batalhas continuam, por outros motivos e posições geográficas menores, mas continuam.

Este “Acordo de Paz” já é histórico, quando o assunto é a rivalidade entre Caraguatatuba e São Sebastião. Lembro bem dos tempos de juventude onde os embates esportivos tinham torcidas efervescentes, que na maioria das vezes terminavam em vias de fato, mas antes tinham gritos de guerra do tipo “Povo da Lama, abram caminho para a Turma do Petróleo!!!”. Mesmo com esta rivalidade esta época dá saudade, era muito boa!!!.

Os tempos passaram, os protocolos mudaram, a Sociedade Civil Organizada se modernizou, mas em alguns momentos a rivalidade entre Caraguatatuba e São Sebastião se manteve, ora em níveis menores, ora em níveis maiores e sempre na política. Na gestão dos ex-prefeitos Ernane Primazzi e Antonio Carlos da Silva a questão era a Saúde, quando a reclamação era de que moradores de Caraguá superlotavam o sistema de Saúde Sebastianense.

Mas em nenhum momento da história política do Litoral Norte uma fotografia movimentou tanto os Bastidores do Poder de ambas as cidade. Um Prefeito Tucano de São Sebastião levado por outro Tucano, de Caraguatatuba, vai até o Gabinete do Prefeito vizinho, que é do MDB, acompanhado de seu irmão, do PSD, ou seja, uma simples reunião causou um estrondoso Tsunami político no Litoral Norte.

Desnecessário afirmar que os Diretórios Tucanos de Caraguatatuba e São Sebastião ficaram agitados com o encontro, pois além de partidos diferentes, haviam rumores de uma suposta “Guerra Fria Política” entre ambos, com o intuito de tumultuar a gestão em São Sebastião.

Por outro lado pesou a questão familiar neste encontro, pois Felipe Augusto, até o mês anterior, fazia parte da família com grande peso político na cidade, a família de Antonio Carlos da Silva, pois Felipe era casado com a filha do ex-Prefeito, Michelli Veneziani. Desnecessário mais uma vez lembrar que na última Eleição Municipal, Mateus Veneziani, irmão de Michelli e filho de Antonio Carlos, disputou a cadeira de Prefeito com Aguilar Júnior, que conseguiu a reeleição por uma margem superior a 2 mil votos.

Obviamente a necessidade de aparar arestas foi facilitada com a Separação Consensual de Felipe Augusto e Michelli, pois se isso ocorresse antes as sequelas seriam enormes e dificilmente seriam sanadas no meio político/familiar. Na verdade o mais importante foi o fato de ambos os dirigentes políticos passarem uma borracha no passado e a partir daquela quinta-feira, estabelecer uma novo e harmonioso relacionamento em prol do desenvolvimento das cidades e da melhoria na qualidade de vida de seus respectivos contribuintes, pois este objetivo está acima dos interesses políticos e familiares de cada um, e que a Paz seja duradoura!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *