Cuidado com os Estelionatários!!!

Estelionatário

Os malandros estão em alta e os Estelionatários continuam por aí!!! A frase deve ser interpretada como um alerta pois a onda de golpistas nunca deixou de existir e por sinal, continuam em alta, circulando pelas altas rodas, prédios públicos e áreas de grande movimentação, fazendo vítimas em todos os lugares com pessoas das mais diversas classes sociais e financeiras, cor de pele, credo, idade e sexo.

Leia e tente compreender a história. O larápio passa o dia a percorrer ruas, avenidas, loteamentos e bairros da cidade a procura de terrenos, lotes e glebas. No seu “passeio” descobre áreas que estão vazias, sem qualquer conservação, muro, capina e que estão bem localizadas, em locais estratégicos, além de bom tamanho.

O golpista escolhe o terreno desejado e consegue forjar documentos de posse como Escrituras e Termos de Uso Capião. A partir daí a área já está em seu nome e a próxima tarefa é a de pagar alguns meses ou até o último ano de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) do referido terreno, para em seguida vender por preço de mercado ou valor de ocasião, que não faz tanta importância, visto que o custo inicial foi bem menor do que o preço de venda.

O maior problema é quando o verdadeiro proprietário aparece e descobre que seu terreno, área, lote ou gleba foi vendida e alguém está até construindo nela, obrigando-o a entrar com uma Ação de Reintegração de Posse ou similar na Justiça comum, o que demanda tempo, dinheiro e paciência.

Em todo este trâmite ainda há espaços e partes escuras, sem entendimentos e desconhecidas para montar o quebra cabeça da falcatrua nos terrenos em Caraguá. Muitas são as acusações, para diversos setores, pessoas e locais, mas nada foi provado até o momento. Até o momento só se tem notícia que a malandragem continua e faz vítimas periodicamente.

Depois de explicado o golpe falaremos sobre o remédio que impede esta doença. A jurisprudência brasileira critica a especulação imobiliária no que tange a manutenção de suas posses e orienta que as propriedades devem ser resguardadas e policiadas pelo dono constantemente, ou seja, se você tem uma propriedade em seu nome, deve manter vigília constante, evitando invasões, aberrações, falsidades e falcatruas que lhe retirem a posse de suas mãos.

A melhor maneira de manter uma área sob sua responsabilidade é visitá-la periodicamente. A visita pode ser mensal, bimensal, trimestral e até semestral. A visita compreende vistoriar a área em todo o seu perímetro, identificando qualquer anormalidade que possa surgir. Um complemento importante para manter a sua propriedade é a de limpar o terreno periodicamente, construir um muro ao seu redor e colocar placas constando o seu nome, que é propriedade particular e que a entrada é proibida com visibilidade para todos os lados. Quanto mais dados existirem e desaparecerem com a sua visita, é sinal que algo de ruim está acontecendo.

Outra maneira de evitar estes atropelos é fazer uma parceria com alguma das imobiliárias existentes na cidade, com valores anuais que vão de 5 a 20% do total do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), para que um dos corretores ou funcionários da imobiliária visitem periodicamente o local em questão, acionando a polícia em caso de qualquer anormalidade. Lembre-se é seu dever tomar conta daquilo que é seu e deixar de lado é sinal de especulação imobiliária ou falta de cuidado. Este serviço não existe oficialmente na cidade e seus valores são especulativos.