As Eleições Gerais de 2018 em primeiro turno em Caraguatatuba já provocaram uma crise e uma sequela na Prefeitura. Ao reclamar de não ter apoio integral para o seu candidato a Deputado Federal, o Secretário de Governo Neto Bota teve uma discussão áspera e para lá de acalorada com o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar. Devido ao entrevero vieram a tona uma série de notícias e acontecimentos que podem culminar na exoneração do Secretário e seus asseclas nomeados na atual gestão.

O que parecia ser apenas o apoio de uma liderança política para um candidato Paraquedista nas Eleições Gerais deste ano em primeiro turno na cidade desencadeou a maior crise política do atual Prefeito desde que assumiu em janeiro de 2017. Discussão áspera, traição política e racha do atual grupo caracterizam a atual situação no Executivo de Caraguatatuba que pode resultar na exoneração de dois Secretários Municipais e um certo número de Servidores Públicos Comissionados.

Tudo começou com uma simples reclamação, nos últimos dias do Secretário de Governo Neto Bota para o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar, pai do atual Prefeito sobre o porquê de não apoiar o candidato a Deputado Federal Carlos Sampaio. Segundo consta o ex-Prefeito teria explicado os comprometimentos políticos que tem com os candidatos a Deputado Baleia Rossi e Jorge Caruso, fato esse que não convenceu o Secretário Municipal de Governo, resultando numa áspera e ríspida discussão com direito a dedo em riste de Bota para o ex-Prefeito.

A situação se complicou após o ex-Prefeito saber por alguns Vereadores que o Secretário de Governo havia ligado para eles pedindo apoio antecipado para sua candidatura a Prefeito nas Eleições Municipais de 2020. O Blog Contra & Verso consultou alguns Vereadores que ou desconheciam o assunto ou não quiseram falar sobre o caso. Esta informação contradiz os rumores de que Neto Bota teria acordado ser o vice do atual Prefeito na campanha de reeleição Municipal. O caso ganhou mais volume quando o pai do atual Prefeito soube durante a eleição que o Secretário de Governo teria mentido para conseguir o apoio das Secretarias Municipais do Idoso, Esporte e Lazer e Turismo. Neto Bota teria pedido que estas Secretarias apoiassem Carlos Sampaio com o aval do pai do atual Prefeito. Descoberta a inverdade os adesivos colocados em alguns carros foram retirados e trocados pelo adesivo de Baleia Rossi. A discussão com o pai do Prefeito, o pedido de apoio antecipado a candidatura do Secretário e a liberação mentirosa de apoio repercutiram muito mal dentro do grupo dominante da Prefeitura.

Segundo consta alguns Secretários Municipais teriam se reunido para discutir o assunto. Apoiadores da campanha que elegeu o atual Prefeito teriam pedido a exoneração de Neto Bota como forma de penalizá-lo pela discussão e traição política. A situação chegou a tal ponto do Secretário de Governo não comparecer a inauguração da nova UBS do Sumaré em cinco de outubro e de ficar esperando por horas e não ser recebido em audiência pelo Prefeito em seu gabinete. Nos Bastidores os comentários fluem para o convite ao ex-Vereador e candidato a vice-Prefeito nas eleições de 2016 pela chapa de Gílson Nunes, Baduca Filho, para ocupar a Secretaria de Governo. Perguntado afirmou que não aceitaria o convite.

A história conta a razão para tanta notoriedade e repercussão neste caso. Neto Bota sempre foi considerado o “Sonho de Consumo Político” do ex-Prefeito Aguilar, que quando ainda dizia que seria candidato a Prefeito, em 2016, revelou em duas reuniões com eleitores que adoraria tê-lo como o seu vice. Nesta mesma eleição Bota foi preterido por Antonio Carlos da Silva como o candidato a sua sucessão, por ainda acha-lo novo e inexperiente para o cargo. Em represália o ex-Vereador passou a apoiar o filho de Aguilar e no meio político este apoio teria sido decisivo para a vitória do atual Prefeito. Como prêmio Bota recebeu posteriormente a Secretaria de Governo, além da Secretaria de Turismo para o seu irmão, Cristian Bota e a contratação em comissão de vários protegidos políticos. Dentro do atual grupo político que domina a Prefeitura, Neto Bota é adulado e protegido apenas pelo ex-Prefeito Aguilar, o qual, segundo informantes ambos estão de relações cortadas, não nutrindo adeptos ou simpatizantes dentre o restante dos componentes, devido a sua maneira de ser e de como conduz o seu estilo político.

Para pôr um ponto final neste imbróglio, uma reunião com maiores influenciadores e apoiadores do atual Prefeito estiveram reunidos ontem, segunda-feira, para decidir sobre a manutenção ou exoneração de Bota, seu irmão e agregados comissionados. A não dispensa de Bota poderá agravar ainda mais as relações entre o grupo político dominante, colocando em risco a estabilidade política do atual Chefe do Executivo. Até o fechamento deste texto a fonte não havia sido encontrada para falar sobre o resultado da reunião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *