O ex-Prefeito José Pereira de Aguilar negou que a Prefeitura esteja em crise política por causa de uma desavença com o seu protegido, o Secretário de Governo Neto Bota. O mal estar teria sido gerado com base em apoio a candidatos a Deputado nas Eleições Gerais deste ano apenas no primeiro turno. Por causa do entrevero uma série de fatos vieram a tona ressaltando a conturbação política. O fato do ex-Prefeito negar este maremoto de problemas não passa de estratégia política com intuito de evitar um desequilíbrio político a 24 meses das Eleições Municipais.

O problema que culminou com a crise política instaurada na Prefeitura vem ocorrendo desde o período da Propaganda Eleitoral para as Eleições Gerais deste ano e teve o seu ápice as portas da votação em primeiro turno, no dia sete de outubro.

A origem da crise interna na Prefeitura de Caraguatatuba vem de uma reclamação do Secretário de Governo Neto Bota para o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar, pai do atual Prefeito por não ter apoiado o candidato a Deputado Federal Carlos Sampaio. A explicação do ex-Prefeito não teria convencido o Secretário resultando numa áspera e ríspida discussão com direito a dedo em riste de Bota para o ex-Prefeito.

O caso ganhou volume quando o ex-Prefeito soube que o Secretário de Governo teria usado falsamente o seu nome para conseguir o apoio das Secretarias Municipais do Idoso, Esporte e Turismo. Descoberta a fraude os adesivos do Federal Tucano foram retirados e trocados pelo adesivo de Baleia Rossi, do MDB. Se não bastasse o ex-Prefeito soube por alguns Vereadores que Bota havia pedido apoio a sua candidatura a Prefeito nas Eleições Municipais de 2020, contradizendo a informação de que Neto seria o vice do atual Prefeito na campanha de reeleição Municipal. Todos estes fatores contribuíram para um clima pesado dentro do grupo dominante da Prefeitura.

Informações dão conta de que alguns Secretários se reuniram para discutir o assunto, além de apoiadores de campanha que pedem a exoneração de Neto, pela discussão e traição política. Provas da situação são o não comparecimento do Secretário de Governo a inauguração da nova UBS do Sumaré no início do mês e de não ser recebido em audiência pelo Prefeito em seu gabinete.

Neto Bota é considerado o “Sonho de Consumo Político” do ex-Prefeito Aguilar, sendo considerado decisivo para a vitória do atual Prefeito em 2016.

De acordo com nossas fontes o ex-Prefeito nega que tenha havido qualquer entrevero com Neto Bota, apenas um “Incômodo Político” por causa da eleição, pois tanto ele quanto Bota conversaram sobre as candidaturas. Ao mesmo tempo amigos próximos de Neto Bota confirmam que ele se considera “candidatíssimo” para 2020, chegando ao ponto de convidar pessoas comuns para compor a sua chapa de Vereadores. Segundo consta, quando é perguntado, Neto Bota nega a candidatura. Sobre as reuniões que discutiram a crise interna na Prefeitura, ocorreu uma na segunda-feira entre alguns Secretários e uma outra reunião, ontem – terça-feira, com o staff do grupo político. Mesmo como todo problema constatado, um possível racha no grupo e o clima de instabilidade reinante, Neto Bota e seu irmão, mais os Servidores comissionados contratados por esta gestão não serão exonerados até o momento.

No meio político a negativa do ex-Prefeito é vista como estratégica, pois não é interessante deflagrar uma crise política interna 24 meses antes do pleito municipal de 2020, o que desequilibraria o grupo dominante e toda organização política visando a reeleição nas Eleições Municipais. Ao mesmo as informações dão conta de que a situação de Neto Bota na Prefeitura tornou-se insustentável, sendo esperada uma atitude do ex-Prefeito ou de seu filho, o atual Prefeito Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *