Uma Eleição no Tapetão é o cenário que se vislumbra em Caraguatatuba. O Prefeito Aguilar Júnior apresentou Representação contra o candidato Mateus Veneziani pelo fato do adversário usar fotos de seu pai, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva em sua campanha, o que poderia estar induzindo o eleitor a erro. O Juiz Eleitoral qualificou como improcedente a denúncia.

A Coligação MDB/PDT, respectivamente com Aguilar Júnior e José Ernesto Ghedin deu entrada com nova Representação na Justiça Eleitoral, desta vez para reclamar que Mateus Veneziani, da Coligação PSDB/PSL, que tem Sérgio Braz como vice, estaria usando em sua Campanha Eleitoral fotos de seu pai, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva, que está inelegível, fato este que estaria induzindo o eleitor ao erro, que no entender do atual Prefeito, estaria votando em Mateus imaginando estar votando no ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva.

O Blog Contra & Verso solicitou a inicial da Representação da Coligação do MDB para citar e entender os detalhes abordados para informar seus leitores e recebeu como resposta que deveria procurar o Ministério Público Federal. Mais estranho do que negar informar a inicial é endereçar a pesquisa do Repórter para um órgão que não lida com este assunto, pois as questões Eleitorais são encaminhadas para o TRE – Tribunal Regional Eleitoral – seja através do Cartório Eleitoral e do Ministério Público Eleitoral, localizados em Caraguatatuba.

Analisando a História Política da cidade, lembramos que em 2016 o PSDB, em chapa encabeçada por Gílson Mendes, entrou com Representações na Justiça Eleitoral, a primeira obrigando o candidato Aguilar Júnior a mencionar e escrever o seu nome por completo e não apenas o termo Aguilar, que estaria induzindo o eleitor a erro, por pensar em estar votando em seu pai, o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar. Em 2016 Aguilar Júnior foi obrigado pela Justiça a escrever o nome completo no material publicitário.

Sem a inicial para levantar os detalhes, restou a esta Redação pesquisar com base no que foi veiculado nas Redes Sociais. Verificando as fotos e a campanha como um todo do candidato Mateus, bem como acompanhamos a Convenção do partido em 16 de Setembro, podemos perceber que mais uma vez a atual gestão apresenta acusações inconsistentes.

É fato que em 100% da Propaganda Política de Mateus Veneziani, seja em áudio, vídeo, texto e fotografias, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva aparece em destaque ao lado de seu filho e do vice Sérgio Braz, porém é nítido que no material de campanha está frisado, bem visível e sem qualquer dúvida que Mateus é o candidato e que Antonio Carlos estaria indicando-o como seu sucessor e candidato a Prefeitura nas Eleições Municipais deste ano na cidade. Uma prova disso é que Mateus aparece como candidato, com o seu nome e cargo pretendido em evidência e destaque, assim como de Sérgio Braz para vice e que Antonio Carlos aparece apenas como pessoa que estaria indicando o filho ao cargo que ele ocupou por 16 anos.

O candidato Mateus Veneziani não se manifestou quando solicitado sobre o assunto. De acordo com sentença do Juiz Eleitoral Fábio Fernandes, não há fatos visíveis, concretos e cabais que concordem com a Representação do MDB, ou seja, que induzam ao erro ou interfiram na escolha do eleitor, ficando claro quem é o candidato. O Juiz cita que este é um caso típico de “Apoio declarado por Terceiro”, sendo permitido que o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva, mesmo inelegível, possa participar da campanha. Finaliza o Magistrado julgando improcedente o pedido de Aguilar Júnior pela Impugnação de Mateus Veneziani.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *