A greve dos Transportes Coletivos em Caraguatatuba continua pelo seu quarto dia e não aparenta ter uma data para terminar. Em Assembléia realizada na madrugada de hoje na porta da empresa os Motoristas recusaram a proposta da Praiamar, que vincula a concessão de reajuste desde que a Prefeitura atualize o valor da tarifa, congelada desde 2016. Uma Audiência de Conciliação será marcada para os próximos dias no TRT – Tribunal Regional do Trabalho – em Campinas para tentar resolver a questão.

Os motoristas da Praiamar Transportes, Concessionária dos Transportes Coletivos em Caraguatatuba estão em greve desde a madrugada de Sexta-Feira – 20 de Maio – solicitando reajuste de salário e aumento real. Em Ofício enviado em três de Março pelo Sindicato da categoria é solicitado aumento de 100% do INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, de Maio de 2021 a Abril de 2022, mais 26,58% de aumento real.

O Sindicato aponta no Ofício que os salários dos Motoristas da Praiamar são os mais baixos da região, recebendo abaixo da média regional, orçada em R$ 2.345,61 citando também que há um desequilíbrio financeiro da Praiamar quanto a tarifa, e o cálculo da Prefeitura mostrando que o valor de r$3,80 está acima do encontrado pelo Executivo Municipal que é de R$2,96.

Desde Sexta-Feira o Transporte Coletivo está apenas com 30% dos seus 50 carros existentes rodando pela cidade para atender os usuários. Segundo Francisco Israel, Presidente do Sindicato da categoria na cidade, uma Assembléia na madrugada de hoje decidiria sobre o destino do movimento.

De acordo com o Sindicalista foi decidido na Assembléia que a Greve irá continuar, pois ao invés de negociar o reajuste, a Concessionária preferiu vincular o aumento com a majoração da tarifa, congelada desde 2016. Em documento enviado ontem ao Sindicato a Praiamar se compromete a pagar o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor – a partir de Maio de 2021 até que se chegue ao valor solicitado, desde que a Prefeitura subsidie os valores de custeio da empresa ou atualize o valor da tarifa. A proposta foi recusada por unanimidade.

Com base na decisão e no fato da Praiamar não solicitar o Dissídio de Greve, o Sindicato o fará, agendando para os próximos dias uma Audiência no TRT em Campinas para discussão sobre o assunto. Apenas 15 carros estão atendendo os usuários na cidade. A Prefeitura acompanha o movimento de perto, informando que a população não pode ficar sem o mínimo de carros exigidos por lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *