Quem tem acompanhado esta coluna leu sobre vários momentos desta vida de tormento que é a de um Viciado em Drogas. Porém muitos sabem o que nos levou a isso, mas desconhecem o que se passa na hora em que você está drogado. Este capítulo irá narrar os momentos que vive um drogado.

Bom, que eu sou um Viciado, oriundo de uma família de bem e com posses, que tenho um amigo, Cícero, que me acompanha nesta loucura e duas amigas, Olívia e Simone, que compartilham deste momento comigo, com direito a sessões de Sexo Explícito do mais alto grau de libidinagem e o nosso Traficante Fornecedor, Pitomba, você já sabia. Agora você vai saber por qual turbilhão passei quando me drogava.

Minhas noites de droga e devaneio obedeciam uma praxe, um regulamento, assim como uma cartilha, onde eu seguia passo a passo uma sequência. Costumávamos reunir na casa do Cícero, onde não faltavam almofadas, sofás e muito gelo. Sim, porque a maratona de se drogar começava com uma boa dose de Uísque, Vodca, Rum ou Tequila, não havia uma ordem ou sequência, era um ou outro ou todas as bebidas numa noite.

Enquanto nos embebedávamos Cícero ia preparando os cigarrinhos da Maconha e as meninas a Cocaína. Ficar bêbado é algo que não preciso narrar, pois acho que você já ficou assim algum dia, numa festa, comemoração ou algo parecido. Quando você já está na fase do Macaco da ingestão alcoólica vem a Maconha ou a Cocaína. Bastou um daqueles cigarros ou duas fileiras de pó e o mundo começava a mudar, a girar, a se transformar.

Sentia-me completamente anestesiado, ficava leve, minha cabeça girava a mil, parecido com ser movido a 440 volts. A imaginação ficava numa velocidade impressionante, sentia-me livre, falava o que queria e o que não pensava que um dia iria dizer. Minha visão enxergava figuras estranhas, onde interpretava cenários de uma forma incomum, estapafúrdia e completamente enlouquecida. A cabeça girava sem parar, uma alegria sem noção tomava conta de mim. Você que está lendo não tem noção do que eu sentia, pois era uma sensação inigualável. A Vida vazia, sem rumo e futuro não existia, tudo tinha um caminho, direcionado para o prazer e satisfação. As luzes eram mais fortes e brilhantes, as vozes ecoavam num volume altíssimo e meus movimentos, mesmo os mais rápidos, pareciam para mim que eram em Câmera Lenta.

Você deve estar perguntando como era a transa nestes momentos. Posso dizer apenas que só conseguia transar e gozar após esta primeira fase, pois depois o sexo fluía de uma forma alucinante. Quanto a famosa Larica, a fome após se drogar é verdade, mas como a maioria das vezes em acaba adormecendo, acabava sentindo a fome normal depois de uma noite de sono, onde acordava no mesmo mundo vazio que vivia.

Consumir drogas ou bebidas alcoólicas é caminhar num mundo de ilusão e sonhos doidos por momentos, com um retorno a vida normal que você tanto repudia logo em seguida.

Não vale a pena!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *