ame-lixeira-criativa-52

 

Ao longo destes mais de 19 meses da criação do Site de Notícias CONTRA & VERSO, algumas pautas tornaram-se mais comuns nas publicações. Além da Política local na sua respectiva coluna e do Blogueando, líder incondicional no ramo e das matérias de Geral e Cotidiano o AME – Ambulatório Médico de Especialidades – Unidade Caraguatatuba é praticamente um parceiro deste Veículo de Comunicação, na maioria das vezes apontando erros e problemas desta Unidade de Saúde do Governo do Estado de São Paulo de suma importância para os usuários do Litoral Norte, Região Metropolitana do Vale do Paraíba e até do Sul de Minas Gerais.

Desde que foi criado o AME – Ambulatório Médico de Especialidades – Unidade Caraguatatuba já figurou por quatro ocasiões; Quando o AME cobrou pontualidade do usuário não realizando o contrário; A Saga do Raio-X de Carga que se arrastou por um ano; O caso da Lixeira Criativa, as fotografias do futuro Laboratório de Análises Clínicas que valeram até ameaça contra a nossa equipe de Reportagem e por último a obrigação em apresentar documento com foto para a realização de exames e retirada dos respectivos laudos.

Quanto a pontualidade a Unidade de Saúde simplesmente cancelou a consulta que a mãe deste Redator tinha pelo fato de ter chegado alguns minutos atrasada, mesmo com a consulta em andamento, ou seja, poderia ter sido colocada no final da fila de pacientes para ser atendido. A gerência do AME entrou posteriormente em contato e marcou a consulta para outra data, dando alegações que não condiziam com o bom senso. Este texto figurou no rol do mês de Maio de 2015, com mais de 2.770 visualizações, 1059 visitas e uma média de 2,61 visualizações por visita num período com 49 textos publicados.

Em seguida vem o destaque desta pauta. A Saga de um Raio-X de Carga tornou-se um assunto cômico que nasceu trágico. A simples solicitação do médico Ortopedista para um Raio-X de Carga transformou-se num fato inusitado na Medicina Brasileira, pois as atendentes não tinham conhecimento do fato, bem como outros médicos perguntados sobre o assunto. Para o AME tratava-se de um exame especial, feito em máquina diferenciada que não existia no local, devido ao meu peso, e que nunca chegou a ser contratada, pois não existia. Ao final o citado exame nada mais era do que o paciente ser radiografado em pé, pois a carga exigida seria o peso do paciente sobre os joelhos. Este texto continua sendo lido até o momento, com mais de 423 visualizações, sendo que em agosto deste ano obteve a sua maior média, com 48 visualizações.

A Lixeira Criativa foi outra bela pauta realizada por este Veículo de Comunicação. De um certo período até os dias de hoje, a administração do AME instituiu a etiqueta de identificação para os pacientes e uma outra, com a palavra “Acompanhante” para quem os acompanhava. Como eram etiquetas auto coláveis viu-se que melhor maneira de dispô-las ao final da consulta seria uma bola de isopor, onde simplesmente as etiquetas eram coladas, tinham uma disposição final e não sujavam o ambiente. Esta lixeira fica na porta de entrada do AME e foi fotografada pela Reportagem do CONTRA & VERSO. Este texto rendeu 51 visualizações quando da sua publicação, em fevereiro deste ano.

Há também a matéria que fala na obrigatoriedade de apresentação de documento com foto para a realização de exames e retirada de laudos, pois segundo a unidade, haviam pessoas que se faziam passar por outras e a possibilidade de haver erro quanto a realização do procedimento.

Finalizando, a última pauta até o momento diz respeito as fotografias do início das obras do futuro laboratório de Análises Clínicas, que valeram a ameaça de um funcionário do AME e uma pseudo informação errada por parte da segurança, que desconhecia as restrições e direitos que são impostas ao trabalho do Repórter Fotográfico. Este texto rendeu 100 visualizações que continuam aumentando a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *