Olavo 116

 

O velho ditado diz que “Quem casa quer Casa”. A moradia própria é um velho sonho de quem procura independência, dignidade e uma base para constituir a sua família. Com a crise financeira instaurada no país os preços de sobrados, apartamentos, casas e terrenos tiveram um aumento assombroso e mesmo as promoções, quando aparecem, não vislumbram uma garantia àquele que deseja realizar o velho sonho. Dentro dessa linha de pensamento a proibição do desdobro de lote além de impedir, causa também um problema social.

Imagine que você está procurando uma casa e os preços são exorbitantes. Apartamento nem pensar, pois existem outros custos que inviabilizam o projeto. Aí você pensa num lote, que na relação custo/benefício pode ser maior, mas aparece como a mais fácil.

O problema é quando você pensa em dividir o preço do lote com um amigo mais próximo, um irmão ou cunhado e por causa do Plano Diretor, é proibido, pois o terreno tem menos de 20 metros de testada (frente). A situação, que parece ser mais difícil, fica pior ainda com esta restrição.

No final das contas você vê que o mais fácil é repartir, de maneira oficiosa, o terreno e cada um constrói a sua casa numa metade da área e a escritura fica em nome do tal parente ou amigo. Está instaurada uma crise social.

Esta crise social irá se solidificar, pois você será e não será, ao mesmo tempo, dono do terreno e da sua tão sonhada casa e isso, com certeza trará problemas futuros, que poderiam ser evitados com a liberação do desdobro de lotes com menos de 20 metros de frente, assunto esse que merecia uma ampla discussão pelo próximo Legislativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *