Helinho Monteiro_Taxista

 

O taxista e líder estudantil Helinho Monteiro enviou carta a Prefeitura de Caraguatatuba solicitando melhorias para os estudantes universitários na cidade. Através da Ouvidoria a Prefeitura alega que auxilia dentro dos limites impostos pelas leis vigentes.

Helinho Monteiro ganhou notoriedade na última década, quando liderou uma luta pela vinda de uma Universidade Federal para Caraguatatuba, arregimentando apoio no meio político entre Vereadores, Prefeitos, Deputados Estaduais e Federais e Senadores.

Em correspondência endereçada a Prefeitura de Caraguatatuba em 12 de fevereiro deste ano, que foi redirecionada à Ouvidoria Municipal, Helinho Monteiro faz vários pedidos, como a gratuidade no transporte de estudantes universitários, um programa de estágio mais abrangente e a criação de cursos técnicos para cobrir a demanda de estudantes que necessitam entrar no mercado de trabalho.

O líder estudantil liderou a CTE – Comissão de Transporte Escolar entre 2014 e 2015 com 300 estudantes que se dirigiam diariamente, no período matutino e noturno para as cidades do Vale do Paraíba e uma de suas metas foi a inclusão de alunos dos cursos técnicos. Ao mesmo tempo a frota que servia os estudantes necessitava de renovação, o que foi conseguido graças aos esforços de Monteiro.

Outra questão abordada na carta diz respeito ao Programa de Estágio para profissões como Serviço Social, Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Psicologia, Veterinária, Turismo, Relações Internacionais, Marketing e Artes, dentre outras. Segundo Helinho apenas os cursos existentes nas Faculdades Módulo é que são oferecidos para estágio, estimados pelo autor da carta em cerca de 1 salário mínimo mensal para cerca de 280 alunos. Monteiro informa ainda que em carta anterior lhe foi informado que para estes casos existe o CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, mas a entidade em questão não absorve as necessidades dos alunos locais. Ainda no quesito estágio, Helinho solicita que a Prefeitura faça uma parceria com a iniciativa privada local para a contratação dos universitários, oferecendo como contra partida desconto nos impostos para aqueles que aceitarem.

O taxista finaliza solicitando que sejam oferecidas vagas de Cursos Técnicos que não existam na cidade, bem como o custeio do transporte para aqueles que forem cursar mestrado, o que Helinho estima em cerca de r$ 1 mil mensais, sem ter uma base de quantos alunos necessitam deste privilégio.

A Ouvidoria Municipal respondeu oito dias depois informando através de ofício encaminhado pelo setor de Bolsas de Estudo, Municipalização e Transporte Universitário da Secretaria Municipal de Educação que todos os esforços no intuito de atender os estudantes universitários estão sendo feitos pela pasta.

Na resposta o setor relata ser impossível conceder gratuidade aos estudantes universitários, pois teria que reduzir o número de estudantes servidos pelo benefício. Quanto aos alunos carentes que não podem pagar a taxa mensal de R$ 150,00 para o transporte universitário, a responsável pelo setor informa existirem critérios para auxílio aos alunos carentes que estejam dentro dos critérios estabelecidos no Decreto 480/16 que regulamenta o assunto. Salienta a responsável que 80 estudantes conquistaram este benefício. Na questão do estágio a Ouvidoria conta existem programas para as necessidades em diversos setores da Prefeitura.

O Site CONTRA & VERSO solicitou manifestação da Secretaria de Comunicação quanto a diversos quesitos envolvendo a questão, como o custo do transporte para a Prefeitura e o aluno, o número de alunos usuários do transporte, os períodos, a quantidade de linhas e o Orçamento da Educação para 2017 e especificamente para o transporte universitário e até o fechamento deste texto não recebeu resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *