Um grupo de forças policiais esteve ontem cumprindo Mandados de Prisão e de Busca e Apreensão no Litoral Norte, Vale do Paraíba e região de Campinas. A operação denominada “Código de Ética” foi realizada para cumprir determinações ligadas ao Tráfico de Drogas. Dentre os Mandados de Prisão estava incluído o Vereador Flávio Nishiyama, da Câmara Municipal de Caraguatatuba.

A Força Tarefa foi composta pela Polícia Federal, Polícia Militar, Polícia Civil e Ministério Público e foi originada graças a relatos do Ministério Público, que ouviu Traficantes presos, utilizando-se de Delação Premiada para obter informações. A Operação Código de Ética recebeu este nome pois haviam Mandados de Prisão contra Advogados que atuam no Litoral Norte, sendo realizada no dia de ontem – 11 de Agosto – Dia do Advogado.

No total foram 150 Mandados entre Prisão e de Busca e Apreensão em cidades como Campinas, Taubaté, São Paulo, São Sebastião, Ubatuba e Caraguatatuba. Quem passou pela Delegacia Central de Polícia Civil na manhã de ontem percebeu o intenso movimento de viaturas das Forças de Segurança, bem como os sobrevoos do Helicóptero Águia, da Polícia Militar baseado em São José dos Campos.

De acordo com informações a principal rota do Tráfico de Drogas vinha de Campinas, passava por Taubaté e terminava nas cidades do Litoral Norte, provavelmente para consumo na região ou encaminhada via Rio/Santos – BR 101 – para o Rio de Janeiro. Há relatos também que de Campinas era originada uma rota para o Tráfico Internacional de Drogas. Dentre os mandados foram 27 em Caraguatatuba, sete em São Sebastião, três em Ubatuba, dois em Campinas e um em São Paulo. Quanto a Caraguatatuba, dentre os presos apenas Nishiyama, sendo os outros dois com Mandado de Busca e Apreensão; L.E.R., C.C.S.A. e F.R.N.F. . O destaque da Operação Código de Ética ficou a cargo da prisão do Advogado e Vereador Flávio Nishiyama, encontrado logo ao amanhecer em sua residência, localizada na zona sul da cidade. O Advogado foi levado para Exame de Corpo de Delito e encaminhado ao CDP – Centro de Detenção Provisória – localizada na zona sul de Caraguatatuba.

Quanto ao restante das pessoas presas as mesmas foram identificadas por alcunhas como Véio, que seria o líder da organização, preso em Campinas, Loira, DG, Negão, Nicolas XT, Mutante, Macumba, Taliban, Da Mata, dentre outros. As prisões mexeram e tumultuaram o diário clima pacífico da cidade, bem como as fileiras políticas com a prisão do Vereador.

O Blog Contra & Verso acompanha a carreira política do Vereador Flávio Nishiyama desde que foi eleito em Outubro de 2016, que é recheada de altos e baixos e situações que geraram polêmica e muita discussão.

Eleito em 2016 Nishiyama era visto pela classe política e imprensa como um sinal de renovação para a categoria, tendo em vista o nível Universitário e a proximidade e conhecimento assimilado com o Legislativo, devido ao parentesco com um dos seus Servidores. Logo que assumiu Flávio enveredou em se candidatar a Presidência da Casa de Leis, com o objetivo de impedir o “Total Poder Familiar” na política local, representado pelo filho do ex-Prefeito Aguilar e o irmão, Vereador Tato Aguilar. Em entrevista na época o Vereador garantiu que teria bons resultados e sairia vencedor, mas estranhamente, no dia da Eleição, que ocorreu no dia da Posse, deixou o prédio da Câmara e nem se inscreveu para disputar o cargo.

Posterior a eleição chegaram a nossa Redação acusações de compra de voto, de apoio em troca de numerário e do não cumprimento do acordado com certos “Apoiadores”. Flávio negou totalmente as acusações. Outro fato que marcou a gestão de Nishiyama veio na disputa pela Presidência da Câmara, desta vez para o Biênio 2019/2020. Segundo consta o Vereador iria votar na chapa de Duda Silva, mas na última hora, sempre no último momento, mudou o voto e foi acusado de receber benesses para a mudança. Os comentários não foram agregados de provas materiais, porém Nishiyama foi efetivado como Secretário Municipal de Esportes e Lazer.

A sua gestão frente a Secretaria foi pífia, não foi notada e marcada pela Greve dos Árbitros de Futebol devido a falta de verba no Orçamento da pasta. A Imprensa o qualificou como “Figurante de Luxo”, pois nem as Licitações, Carta Convites ou contratos eram assinados por, mas sim pela Chefia de Gabinete do Prefeito. Desde que assumiu corriam rumores de que ele, como Advogado, era mais do que um simples profissional prestando serviço para os seus clientes, a maioria na esfera Criminal.

Recentemente pediu sua exoneração da Secretaria de Esportes para retornar a Câmara, com intenções de se preparar para a reeleição. O Vereador não disse nada ao ser preso. Segundo Nota Oficial da Câmara o fato ocorrido com Nishiyama não está relacionado a sua função no Legislativo, estando a Presidência ao dispor das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos e informações que sejam necessárias.

Momentos antes da publicação desta matéria recebemos uma Nota da Presidência da 65ª Subsecção da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – em Caraguatatuba, presidida por Felipe Tobias sobre a Operação Código de Ética. Segundo o causídico a entidade acompanhou o desenrolar da Operação Código de Ética, com base no artigo 7º – Parágrafo 6º do Estatuto da entidade, pois envolvia alguns Advogados. A OAB repudia o nome da Operação, pois significa uma afronta à Advocacia, que na sua maioria é honesta, moral e ética, ressaltando que o nome empregado revela o desrespeito aos profissionais que exercem o direito de defesa das pessoas brasileiras.

Felipe Tobias frisa que as prisões preventivas estão subordinadas a requisitos da Lei Processual e da Constituição Federal. Frisa também que a identificação dos acusados foi divulgada às sete horas, enquanto que o sigilo externo foi retirado às 14h32, com o decorrente vazamento de fatos sigilosos em prejuízo da Justiça. Finaliza afirmando que a magnitude, nomenclatura e data escolhida para a Operação Código de Ética serão objeto de apuração pelas autoridades competentes, com a imediata substituição da denominação jocosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *