ZONA AZUL ESTÁ ABAIXO DA EXPECTATIVA

Zona Azul 9

A chamada Zona Azul é nada mais nada menos do que o sistema rotativo de estacionamento em áreas públicas. Este sistema foi criado para dar chances aos motoristas que necessitam estacionar seus carros em áreas privilegiadas onde o número de vagas é menor do que a procura na região. O sistema nasceu em Caraguatatuba no ano de 1997, na primeira gestão do então Prefeito Antonio Carlos da Silva, gerando muita controvérsia quanto a operacionalização, escolha e gerenciamento do sistema, sendo cancelado posteriormente.

Passados 15 anos e novamente tendo Antonio Carlos da Silva no comando da cidade que está mais velha, aumentada, maior e com mais carros rodando por suas velhas ruas e avenidas, a população pediu a volta da Zona Azul. Em 2012 a Lei Complementar 46, de 6 de novembro de 2012 instituiu o sistema rotativo de estacionamento e no ano seguinte o Decreto 32, de 18 de março de 2013 estabeleceu o quadrilátero de alcance e demarcação do sistema, custos por hora para carros, motos e outros, as isenções e o número de vagas, na época 1.600 para carros e 755 para motos.

O raio de ação da Zona Azul em Caraguá ficou de certa forma assim distribuído: da Avenida Miguel Varlez até a Avenida Engenheiro João Fonseca e desta para a Avenida Dr. Arthur Costa Filho – Avenida da Praia, até a Praça Dr. Cândido Mota e Rua Altino Arantes. Estranhamente esta reedição da Zona Azul não teve o mesmo impacto, agilidade e dinamismo da ocasião anterior, visto que a Lei Complementar foi feita em 2012, o Decreto que criava as regras surgiu apenas no ano seguinte e o seu real funcionamento 12 meses depois e mesmo assim, com a declaração do Secretário de Trânsito da época de que não haviam sido catalogados e oficializados todos os pontos de venda.

Quando se fala em venda a Zona Azul em Caraguatatuba optou pela venda diretamente a funcionária da empresa terceirizada ou a compra pela Internet, bem como nos pontos de venda, espalhados pela cidade.

Ao longo do ano anterior surgiram reclamações quanto ao sistema e a quantidade de ruas e vagas direcionadas e tendo em vista estas manifestações, a Prefeitura fez por bem reduzir o número de ruas e vagas, sendo que das 2.355 vagas anteriormente separadas, hoje existem apenas um pouco mais de 1.900.

Para o Secretário de Trânsito, Segurança e Defesa Civil, Coronel Cláudio Miguel Marques Longo o sistema de Zona Azul é a maneira legal de disciplinar o trânsito e eliminar o flanelinha (clandestino), que extorque dinheiro dos motoristas. “Com a Zona Azul a cidade ficou com o trânsito mais tranqüilo, mas mesmo assim precisamos adaptar mais”, disse, referindo-se a regularização da ocupação das vagas no trânsito com a adição de outros sistemas como o Parquímetro.

Se por um lado o sistema organizou as vagas numa região do centro da cidade, por outro esta regularização não contemplou as expectativas da Prefeitura, que pouco fala sobre o assunto e da empresa terceirizada, a Sertel, que mostra-se descontente com os números mensais.

Para uma frota estimada em 55 mil veículos, de moto a carretas os números estão aquém do esperado. Segundo o contrato cada ponto de venda recebe 10% pelo valor vendido e a Prefeitura fica com 25% do valor gerado, que é repassado para a Secretaria Municipal do Idoso. Pelos números o leitor repara a variação na arrecadação.

MÊS TICKETS 25% PMC TOTAL $
Setembro 62.000 35.950,00 143.228,00
Outubro 68.985 39.646,00 157.954,00
Novembro 61.021 35.620,00 141.916,00
Dezembro 73.929 44.752,00 179.025,00
Janeiro 74.000 45.666,00 182.000,00
Fevereiro 54.521 32.000,00 125.000,00

Segundo informações os números estão bem abaixo da estimativa da Sertel, que imaginava em torno de R$ 300 mil/mês ou cerca de R$ 10 mil/dia de arrecadação.

Num cálculo de médias as porcentagens estão realmente baixas. Em Setembro a média ficou em 32,6 carros por vaga utilizada; em Outubro esta mesma média foi de 36,3 carros/vaga e assim por diante, com médias de 32,1 em Novembro, 38,9 em Dezembro, 38,9 em Janeiro e 28,6 em Fevereiro, a mais baixa do semestre consultado. Estes mesmos tickets representam uma média com relação a frota municipal que vai 11% em Novembro, passando por 33% em janeiro e negativo em 1% em Fevereiro, ou seja, relacionando o número de tickets com o total da frota municipal.

A Sertel, empresa terceirizada do sistema de Zona Azul em Caraguatatuba explica que não tem efetuado multas, contradizendo alguns críticos que chamam Caraguá de “A Cidade das Multas” e que está “redemocratizando o trânsito local”. “Temos um padrão muito melhor do que em outras cidades”, disse Marcos Vinícius, Coordenador do sistema na cidade. “Falta um maior comprometimento do comércio para com o sistema e as falhas na Internet foram apenas durante a temporada”, esboça o coordenador.

Quanto aos usuários as informações são variadas. Simone Mota alega que usa diariamente, mas nem sempre encontra vaga para estacionar. Mário Redo é outro usuário diário e alega sempre encontrar vaga para estacionar. O Veranista Antonio Carlos, de Itatiba acha vaga sempre, porém acha que não deveria pagar, pois é isento na sua cidade. Uma operadora de ponto de venda da rua Paul Harris alega que o movimento de compra é mediano e que os usuários reclamam que cai o sistema.

O funcionário do estacionamento no Caraguá Praia Shopping informa que aumentou o seu movimento, visto que as pessoas preferem ficar o dia inteiro paradas ali e não precisar renovar, pagando apenas quando sair. O custo no estacionamento do Shopping é igual ao da Zona Azul, r$ 2,00 por hora. O mesmo funcionário que não forneceu o nome informou que os usuários gostariam que o sistema adotasse o Parquímetro. Uma funcionária da Sertel, conhecida como Azulete informa que sempre há vagas no centro e que fora dos limites da Zona Azul está sempre lotado, principalmente dos veículos dos trabalhadores locais. Informa também que há ruas no centro, dentro da Zona Azul que o comerciante fica estacionado o dia inteiro na mesma vaga, renovando o pagamento há cada 2 horas, o que contraria a Lei e o Decreto que regulamenta o sistema.

Zona Azul 8