A MULHER PODE COMEMORAR O QUE???

Mulher 1

Neste domingo comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Não poderia ficar de fora de data tão importante sem escrever algo. Bom, escrever nós escrevemos sobre vários assuntos, agora, no caso das Mulheres elas já estão em condições de comemorar alguma coisa??? Ainda mais em uma de suas datas tão especiais???

Partindo do geral para o particular as mulheres comemoram a sua data internacional devido a um empresário de muito bom coração, educação, bom senso e honestidade, que ao receber as reivindicações de suas trabalhadoras, simplesmente trancou-as no galpão de sua empresa, atearam fogo e as transformou em churrasquinho. Este ato hediondo transformou aquelas senhoras em mártires e o dia – Oito de março – em data internacional.

Depois disso as mulheres brigaram pelo direito ao voto, de poder se candidatar e por um infinito leque de igualdades sociais.

Automaticamente veio a fase em que foi subjugada na família e posteriormente os lares tiveram a liderança matriarcal. Atualmente as mulheres são fonte de referência na família, ou seja, o marido não faz nada se não consultar a esposa, que se tornou a principal referência consumidora, tanto como família como pelo segmento pessoa.

Ainda no caminho da história e mantendo o raciocínio mulher, houve o tempo em que os direitos iguais foram a tônica principal. As mulheres falaram, esbravejaram, chegaram a queimar sutiãs numa praça pública de Belo Horizonte.

O resultado disso é que ela estudou e continua estudando mais que o homem, dirige boa parte das companhias, empresas, escritórios, hospitais e indústrias deste país. Infelizmente toda essa conquista veio acompanhada de uma diferença a menor de até 30% no salário, quando comparada com o homem na mesma função.

Uma vida e caminhos tortuosos posso afirmar que é o destino das mulheres. Por um lado mostrou ser igual, pelo outro demonstra não suportar a pressão interna de uma equipe por inserir mais paixão do que razão se comparada a um homem. Existe a questão da gravidez, que o homem do passado utiliza como desculpa para desacreditar, desmoralizar e manter a mulher em casa e na cozinha e nunca no trabalho.

Ah….!!! Falando em homem do passado a mulher enfrenta o seu mais novo dilema e luta; Conscientizar o outro lado que pode andar como quer sem sofrer cantadas, maledicências e infortúnios. No passado roupas sensuais indicavam mulheres fáceis e de pouca moral, seguidas de cantadas pesadas e assobios. Essa maneira tornou-se tradição, a ponto das mulheres se olharem num espelho se passassem por uma obra e não recebem um gracejo, do mais simples que fosse.

Seguido a essa conturbação surgiram os “encoxadores do metrô”, as mulheres andando com apitos e agulhas de tricô, os vagões e ônibus cor de rosa e as discussões em plena rua sobre a maneira de tratar uma mulher. Hoje as mulheres querem deixar claro que a roupa que estiverem usando, seja ela curta, transparente ou justa, representa o gosto e a vontade dela e sua vontade merece respeito.

Eu disse que o caminho é tortuoso. Luta e briga por seus direitos numa nova sociedade, mas em contrapartida suas correligionárias continuam usando e abusando dos decotes, transparências, roupas justas e curtas, biquínis dos mais ínfimos e acessórios sensuais para vender produtos e o seu corpo como Paula Fernandes e Anita. É triste se não for medonho e inconcebível a garota da propaganda da Cerveja Itaipava, chamada “Verão”, andar de um lado para o outro exibindo suas curvas e rebolado levando garrafas de cerveja aos clientes. É triste ver ela rebolando com a garrafa na mão e medonho quando diz para o colega de balcão, toda alegre, “vamos vender tudo” e pensar que todo esse trabalho representou um salário bem baixo para ela, visto que bunda grande e seios roliços não são currículo para almejar altos pagamentos.

Quero crer que este atual caminho feminino será feito sempre desta maneira, pois o destino da mulher é lutar, lutar e sempre viver lutando por algo melhor, seja como mulher, como mãe, como esposa, avó, empresária. Até parece que a mulher não vive bem se não tiver uma boa luta pela frente.

Mulher 2