“Tenho sido cobrado constantemente para voltar e resolver este desgoverno que está na cidade!!!”. É com esta citação que a redação do Blog Contra & Verso, numa entrevista coletiva fala com o Ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva há 17 meses do próximo pleito municipal, marcado para outubro de 2020. Nessa entrevista o Ex-Prefeito fala da cidade, compara gestões e mostra suas intenções em retornar a ocupar o cargo mais importante do município.

Foi durante um dia de semana, numa manhã ensolarada de Outono, tomando um café expresso entre os vários compromissos diários que conversamos com o maior líder político da atualidade no Litoral Norte. Se por um lado a atual gestão provoca tristeza no ex-Prefeito, as velhas frases e promessas de cuidar da própria vida e de seus negócios vão dando lugar a um desejo crescente de retomar o controle da cidade e retornar ao tradicional stress político diário.

Faltando um pouco mais de um ano já se pode falar em Guerra Política na cidade??? O ex-Prefeito evita falar neste tom. “Não se pode falar em guerra. Eu gosto de observar sempre. Sou da paz e sei das necessidades de um prefeito. O momento ainda não é de Guerra Política, mas sim de preparação para o que virá”, disse.

Perguntar sobre a cidade para Antonio Carlos da Silva é receber sempre uma resposta positiva, recheada de algumas alfinetadas. “Caraguatatuba é uma cidade privilegiada em termos de Orçamento Municipal, já éramos uma empresa pública e forte, com Políticas Públicas diferenciadas criadas por nós e a atual gestão, com R$ 200 milhões a mais desde 2017 não apresenta o mesmo padrão”, disse.

Como comparação o ex-Prefeito cita algumas de suas realizações ao longo dos últimos 16 anos. “Fizemos 93% das salas de aula existentes, construímos o Museu, o Teatro, uma orla pavimentada, 85% do esgoto tratado e coletado, mais as escolas, 25 ginásios poliesportivos, dentre outros. Se não registrarmos a história não teremos referência para o futuro”, enfatizou.

Antonio Carlos critica com firmeza as mentiras que são dadas ao seu nome e ao seu trabalho desenvolvido. “Não sou uma unanimidade, porém muitos acreditam nas mentiras contadas a meu respeito, principalmente para 40% da população que é composta por moradores que aqui moram há 10 ou 15 anos e não sabe como a cidade era antes de assumirmos”, ressalta com uma célebre citação de Madre Tereza de Calcutá, “O maior dos males é a mentira”.

Quando o assunto é o atual desgoverno cita a agora Alimentação Escolar, que já foi considerada na sua gestão uma das melhores do país, quando era comprada, elaborada, produzida e distribuída, sendo que a atual gestão devolveu para o Governo do Estado. Outra prova do atual desgoverno com superávit Antonio Carlos demonstra ao citar que deixou a cidade com R$ 90 milhões em investimentos, o que representava na época 19% do Orçamento Municipal, além de cinco prédios escolares, dois asilos, um Centro do Idoso, a UBS do Perequê e mais R$ 5 milhões em pavimentação que não foram terminados, juntamente com uma sobra de R$ 30 milhões.

Como forma de resolver as cobranças para voltar e resolver as pendências deste atual desgoverno, o ex-Prefeito Antonio Carlos vai elaborar um Plano de Governo com registro em Cartório e uma Pesquisa de Opinião para escolher um candidato visando as Eleições Municipais de 2020.

Numa mensagem final o ex-prefeito orienta as pessoas sobre como devem escolher o seu voto no próximo ano. “Muitos querem ser candidatos pelo poder, o dinheiro e a vaidade. Devemos escolher candidatos que tenham uma história voltada e envolvida com o social, com as pessoas, que tenha um comprometimento com a cidade. Este é o verdadeiro ideal!!!”, finalizou.

 

Nota da Redação: No fechamento deste texto recebemos informações e documentos que mostram a inelegibilidade do ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva. Procuramos sua assessoria que informou estar providenciando todos os documentos e instrumentos jurídicos – leia-se recursos –  para reverter as decisões apresentadas e manter os direitos políticos do ex-mandatário da cidade com vistas ao pleito municipal do próximo ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *