Por Beá Moreira

 

Eu tenho meu lado de dentro,

Reconheço!

Amargos tropeços!

Insanos começos!

E finais sem fim!

E o lado de dentro

É meu anjo avesso!

É ora Demônio, ora Serafim!

Sou estátua de gesso

de lábios carmim

E é lá, dentro, no fundo

É no meu outro mundo

onde tudo o que existe

Toda a intimidade.

A saudade, a espera,

O sonho, a quimera!

O que há de maior!

Trago em mim meus dias tristes!

O tempo que não tenho mais!

Trago dentro, em meu avesso,

O sonho do recomeço,

Acompanhando a saudade,

A espera, que não tem preço!

Eu parte da eternidade.

 

 

Beá Moreira é Cientista Social, e comenta sobre o cotidiano e suas nuances, de forma descontraída e despretensiosa, buscando fazer do leitor de qualquer idade, um companheiro de bate papo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *