E para manter a curiosidade e o interesse na coluna, damos continuidade ao Blogueando anterior. Aqui você sempre fica sabendo de tudo dos Bastidores Políticos da cidade!!!

 

Corporativismo

O fato de proibir e coibir o trabalho de cadastrados em Aplicativos de outras cidades pode ser visto como Corporativismo, mas tendo em vista a situação da economia e a “liberdade” que os Aplicativos dão a seus cadastrados, faz-se necessário tal ação.

 

Emprego

Ação igual foi feita no passado, com respeito aos empregos dos moradores locais em obras realizadas no município. Até Projeto de Lei foi feito, pena que totalmente inconstitucional.

 

Autora

A autora de um Projeto de Lei deste naipe foi a ex-Vereadora Wilma Teixeira, que não se reelegeu.

 

Expertise

A questão só não deu resultado em Caraguá porque a maioria dos empregos exigia conhecimento específico que o povo local não tinha.

 

Aviso

Quando a Petrobrás estava se instalando na cidade, reuniões foram feitas com a comunidade e a eles foi dado o aviso que sem cursos e conhecimento específico em determinadas funções ou áreas, as contratações seriam de pessoas de outros municípios.

Trecheiros

E devido a isso surgiram em Caraguá, ou melhor, a cidade conheceu o Trecheiro, trabalhador que vive de cidade em cidade, de obra em obra que aceite a sua função. Uma hora você está em Caraguá e em outra em Roraima, no Mato Grosso ou no Rio Grande do Sul.

 

Prazo

Na mesma reunião foi dito que com cursos técnicos as contratações de pessoal local seriam preenchidas após 10 anos, prazo este somado ao curso e a experiência adquirida para a contratação.

 

Acordo

Em São José dos Campos não foi feito Projeto de Lei, porém a Prefeitura conversou com as Empreiteiras que tinham obras na cidade e num acordo de cavalheiros, foi solicitado que contratassem moradores locais.

 

Resolver

Desta maneira boa parte dos empregos ficou com o pessoal de São José, resolvendo em partes a situação, graças a uma ação de consenso.

 

Paqueiros

E para deixar a situação ainda pior surge neste imbróglio a figura do Paqueiro, uma espécie de intermediador de empregos específicos para uma determinada empresa.

 

Exemplo

O Paqueiro é como o Coyote que te ajuda a atravessar a fronteira do México com os Estados Unidos. Este personagem vai as empresas, oferece o cardápio de empregados para as funções específicas e especiais de uma determinada empresa numa certa obra, visando a contratação e o preenchimento das vagas faltantes.

 

Estrutura

O Paqueiro, além de conseguir a vaga para o Trecheiro, consegue a estrutura necessária como Alimentação e Moradia, que fica por conta do empregado. Por toda esta intermediação o Paqueiro recebe uma porcentagem do primeiro e até do segundo salário do contratado.

 

Este assunto dá margem para muito debate!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *