Bloguear 6

E o Blogueando continua a sua busca incessante às informações visando as eleições de 2016. Os bastidores políticos e o maior número de informações possíveis sobre o assunto é o principal mote perseguido por esta coluna e seu colunista principal.

Rachada

Essa notícia é novidade e vai balançar os alicerces políticos em Caraguatatuba. Segundo consta a base governista na Câmara Municipal está rachada e não representa um apoio forte, único e de total devoção ao Prefeito Antonio Carlos.

Visão

Segundo as fontes o racha vai ser visualizado no ano que vem, ano de eleição, quando qualquer represália do Prefeito Todo Poderoso não surtirá efeito algum.

Consciência

Para o Vereador Tato Aguilar os votos contrários as contas do ex-Prefeito José Pereira de Aguilar, seu pai, dados pelo Vereador Lelau não o deixam triste, chateado ou magoado. “Política é assim mesmo, ele tem que ver com a consciência dele”, disse.

Secretário

Lelau foi Secretário de Esportes quando Aguilar foi Prefeito, além de ser conhecido como o “Cão de Guarda” da administração, por ser o mais agressivo dos membros do primeiro escalão.

Fica

E falando em Lelau, uma fonte dentro do PT me confidencia que o Diretório Petista não irá expulsar o Vereador, como foi dito nas colunas anteriores. A fonte cita que seria uma reviravolta muito grande para a legenda.

União

Tato Aguilar acha que as oposições devem se unir quanto ao assunto Eleições 2016, pois a desunião leva a diversos candidatos e resulta em votos pulverizados, o que não ajuda ninguém.

Consenso

O Vereador filho do ex-Prefeito concorda que a fogueira das vaidades deve ser colocada de lado e um candidato de consenso deve sair desta união, o que fortalece e garante mais chances de vitória.

Pesquisa

O Parlamentar diz que o pai se reuniria e discutiria com as oposições, visando determinar um candidato de consenso, desde que haja uma pesquisa para se basear e poder discutir.

Reunião

Não é por nada não, mas o Tato Aguilar está correto quando fala em união, consenso e pesquisa entre as oposições. Segundo consta, fontes nos informam que Gílson Mendes, Secretário de Obras Públicas e esperançoso pela benção do Todo Poderoso, anda realizando reuniões em comunidades com líderes de bairro e cabos eleitorais.

Apoio

Segundo consta já tem Vereador trabalhando para agregar valor a pré-campanha de Gílson Mendes, visando que o Secretário conquiste a indicação de Antonio Carlos.

Pior

E o relacionamento entre o Vereador Neto Bota e o Prefeito Antonio Carlos da Silva não é lá mesmo dos melhores. Em uma certa reunião o Todo Poderoso comparou o Caiçara da gema com os ex-Presidentes Gobetti, Kazon e Diniz.

Ruim

Na mesma reunião o Todo Poderoso teria exclamado em alto e bom som. “O Neto foi o pior Presidente de Câmara que eu tive”.

Interpretação

A fonte nos garantiu que a comparação foi feita pelo Prefeito para com o Vereador. A interpretação é por sua conta!!!.

História

A história política local apontam alguns problemas para estes ex-Presidentes citados.

Intromissão

Na história política de Caraguatatuba alguns Prefeitos sempre se intrometeram na eleição da Presidência da Câmara, pois viam num Presidente mais próximo e fiel, a chance de poder governar com menos problemas.

Prefeitos

Ao que se sabe Boneca não dava muita bola não, mas torcia para que fosse um nome que tivesse sintonia com ele. O finado Jair Nunes não se importava com quem fosse o Presidente, mas ajudava o Vereador que pedisse apoio.

Prefeitos 1

Já o Furacão da Mantiqueira, José Bourabeby, se intrometia, manipulava e escolhia quem seria o Presidente da Câmara, pois a única direção que o Turcão não queria problemas era a direção do prédio da Câmara. Dúlio Peixoto é prova disso.

Prefeitos 2

Aguilar apoiava o candidato de sua escolha, mas sua administração foi mais tranqüila, pois não havia oposição a sua pessoa na época.

Prefeitos 3

Finalizando, o Todo Poderoso, ao longo dos 16 anos no poder não dava bola para quem seria o Presidente da Câmara, mesmo havendo comentários de que existiam candidatos apoiados por ele. Estranhamente nesta última gestão tratou de se intrometer, querer dirigir, gerir e administrar um nome indicado por ele no Legislativo.

Lástima

Pena que na primeira e efetiva vez não tenha se dado tão bem. A primeira vez ninguém esquece. Esperamos que na segunda vez, que termina em dezembro de 2016 ele não se arrependa também.