Há quatro dias para a Eleição da Mesa Diretora da Câmara de Caraguatatuba para o Biênio 2019/2020 o que não faltam é emoções, fatos marcantes e subsídios que deixarão este pleito marcado eternamente nos anais da história política do Legislativo da cidade. Nos últimos dias foram anotados um princípio de infarto, ameaças via celular e até assédio de Secretário Municipal. O único ponto positivo é que o Prefeito de Direito manifestou o seu voto, mas mantêm-se quieto anti as atitudes de Aguilar Pai – O Prefeito de Fato.

Depois de muita briga e discussão, onde não faltaram nomes, apoiadores e indicações para formar uma chapa visando a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal, passando por nomes como o de Salete, que de candidata a Presidente tornou-se vice; de Chininha, que em situação eleitoral precária, serviria de Boi de Piranha para que Aguilar Pai mantivesse o poder Familiar na política local através do atual Presidente; de Carlinhos da Farmácia que de carteirada em carteirada e entre um Boletim de Ocorrência e uma interdição de Farmácia mantêm-se na disputa graças ao ex-Vereador Gobetti e de Duda Silva, que numa luta do mar contra o rochedo luta para ter o apoio dos Prefeitos da cidade, sobraram duas chapas e dois nomes que concorrem com seus pares ao cargo máximo do Parlamento local: Carlinhos da Farmácia e Duda Silva.

Esta guerra enveredou por outros lados, outros cantos e recaiu sobre outros assuntos. Devido à falta da confirmação de compromisso entre Aguilar Pai e Aguilar Jr. um grupo de oito Vereadores negou-se a comparecer numa Sessão Extraordinária e por causa disso, da falta de quórum, o Projeto de Empréstimo para a nova Prefeitura não foi votado. Passada uma semana e quando tudo parecia ter voltado a paz, o Prefeito retirou o projeto do Empréstimo por ofício, não deixou nem para o líder fazer as honras, enterrando neste ano, o sonho de um novo Paço Municipal. Segundo consta o assunto só voltará a ser discutido após a eleição, ou seja, no ano que vem.

Mas se este assunto colateral parecia estar resolvido, o quesito “APOIO” ainda era uma incógnita, um desconhecido. Mas ao que parece na última semana tudo estaria resolvido, pois o grupo liderado por Duda Silva se reuniu com o Prefeito de Direito e este manifestou o seu apoio ao seu correligionário novato, porém fiel. Faltava ainda a decisão de Aguilar Pai – O Prefeito de Fato – para sacramentar a questão, o que teria ocorrido, mas não da maneira que você imagina.

Ao saber que o Prefeito teria direcionado o seu apoio para Duda Silva um bate-boca digno de subúrbio tomou conta do encontro e rendeu um mal estar, no real sentido da palavra, ao ex-Vereador Wilson Gobetti, que sentiu-se mal e foi parar na UPA e dela para a Casa de Saúde Stella Maris e por conseguinte em São José dos Campos. Vitimado por um princípio de infarto o apoiador de Farmácia que quer porque quer, ser Diretor da Câmara colocou um Stent e continua internado. Mas o assunto não parou por aí.

Seguido do problema cardíaco de Gobetti, Aguilar Pai e alguns Secretários Municipais iniciaram uma blitzkrieg telefônica e política contra os Vereadores, principalmente os que compõem a chapa e dão apoio a Duda Silva. De acordo com informações foram seguidas, periódicas e intermitentes chamadas de celular, recheadas de ameaças e até assédio explícito contra estes Parlamentares, com o agravante de Aguilar Jr, sabedor do caso manter-se omisso quanto ao assunto. O caso chegou ao extremo de um destes Vereadores, estando com as gravações a ele dadas, encaminhou o áudio para o Ministério Público local e a Delegacia de Polícia Federal em São Sebastião, para que a lei tomasse ciência e brecasse este ato vil, digno de uma política antiga e baixa.

Se hoje, Segunda-Feira, a eleição tomou esta proporção, o que podemos esperar até quinta-feira???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *