E a novela Eleição da Presidência da Câmara de Caraguá caminha para os últimos capítulos. Foram registradas ontem – quarta-feira, cinco de dezembro – apenas duas chapas que irão concorrer a direção do Legislativo local. Especulações davam conta de que três chapas fariam inscrição para a eleição no dia 20, às 10 horas. Nas últimas horas ocorreu de tudo, até recentes animosidades foram esquecidas e o principal ponto de indefinição continua.

Depois do cancelamento da Sessão Ordinária de terça-feira, quatro de dezembro, que impossibilitou a votação do Empréstimo de R$ 60 milhões requisitado pela Prefeitura, esperava-se um acordo que colocasse paz na disputa mais acirrada da história da Câmara Municipal de Caraguatatuba nos últimos anos. Ledo Engano.

Foram inscritas duas chapas que disputam dirigir a nova Mesa Diretora do Legislativo local para o Biênio 2019/2020. Era esperada a inscrição de uma terceira chapa. A Chapa 1, vamos chamar assim, tem Duda Silva como Presidente, Dennis Guerra como vice, Fernando Cuiú como 1º secretário e Vandinho como 2º secretário. Por conseguinte a Chapa 2 tem Carlinhos da Farmácia como Presidente, Salete como vice, Butiá como 1º secretário e De Paula como 2º secretário.

Como forma de se inscrever primeiro e ratificar os nomes de sua chapa, Duda Silva amanheceu na porta da Casa de Leis e logo no início do expediente surgiu um entrevero entre ele e o Vereador Carlinhos da Farmácia e seus respectivos assessores e apoiadores que resultou na ida de ambos a Delegacia de Polícia, pois um dos que acompanhavam Farmácia mostrava estar armado e nesse ínterim todos terminaram na Delegacia Central de Polícia Civil, para a lavratura de um Boletim de Ocorrência, onde constatou-se que esta pessoa portava um simulacro de arma de fogo, uma arma de brinquedo. Este foi o primeiro sinal de que o dia seria longo e muitos acontecimentos ainda estão por vir até o dia da eleição.

Ainda no período da manhã ocorreu a primeira demonstração de represália pela falta de quórum na sessão do dia quatro. O Vereador Vandinho não foi atendido na Sesep – Secretaria Municipal de Serviços Públicos quando lá esteve para solicitar um serviço na cidade.

Dentre as especulações, esperava-se a inscrição de uma terceira chapa, liderada pelo Vereador Chininha, tendo Tato Aguilar – O Mimado – como vice e que seria montada para reduzir a força de Duda Silva na disputa. Esta chapa teria o apoio comprovado de Aguilar Pai, que enfim, teria se decidido por quem nesta disputa. Junto com o ex-Prefeito estaria o Secretário de Governo Neto Bota – Maléfico – que após um entrevero em outubro com Aguilar Pai, teria voltado as boas e unidos almejavam colocar os seus protegidos na direção do Legislativo. Mas a intenção maior era a de prever a impugnação de Chininha após uma vitória no pleito e com isso O Mimado – expressão dada pelo Vereador Ceará num áudio de desabafo pelo voto a favor do ex-Prefeito Antonio Carlos quanto as suas contas – ocuparia novamente a Presidência e manteria a hegemonia familiar na política local. A não inscrição desta terceira chapa põe por terra este sonho megalomaníaco.

Como ainda tinha esperança de que a chapa de Chininha iria vingar, Aguilar Pai colocou boa parte do secretariado para tentar angariar votos e convencer os Vereadores a votar no seu novo pupilo, não obtendo êxito, pois não conseguiram conquistar os Vereadores necessários para montar a chapa e ao mesmo tempo aqueles que nela iriam votar. A esperança de Aguilar Pai e Maléfico era de tirar Farmácia da disputa para que o pleito legislativo se polarizasse, o que não foi conseguido visto que Farmácia não abriu mão de sua candidatura. Fala-se que Aguilar Pai teria prometido para Chininha oito votos para elegê-lo, o que tornou-se outra promessa não cumprida.

Já a chapa de Farmácia, que tem o apoio total de Wilson Gobetti segue na disputa pelo pleito e ao que parece, mesmo com a interdição da Drogaria onde o Vereador trabalha, não se abalaram com o fato e almejam os votos dos outros Vereadores. A interdição repercutiu negativamente perante a população nas Redes Sociais. Nesse ínterim sobrou tempo até para um novo entrevero, desta vez entre Aguilar Pai e o Deputado Federal Roberto Santiago, que recebeu o apoio de Duda Silva nas Eleições Gerais deste ano. A questão, obviamente política, não foi degustada a contento entre as partes e os mesmos se estranharam, causando uma nova ruptura.

??????????????????????????????????????????????????????????

Passado todo esse maremoto de fatos e emoções mantêm-se as indefinições, pois tanto Aguilar Pai como o atual Prefeito continuam indefinidos quanto a quem apoiam na eleição do legislativo deste ano, o que não causa espanto algum, visto que o Pai mostrou-se favorável a Chininha e agora deve ter bandeado para o lado de Farmácia e o atual Prefeito, que havia sinalizado apoio a Duda Silva agora mostra-se indeciso quanto a este apoio. Uma melhor definição do quadro só virá após Aguilar Pai e Júnior se reunirem com o grupo e tomarem uma decisão.

Esta indefinição pode manter e até aumentar o prejuízo político da família Aguilar, pois uma Sessão Extraordinária está para ser confirmada para o dia 10 – segunda-feira – às 18 horas e nela deverá ser novamente incluído o projeto do Empréstimo de R$ 60 milhões. Mais do que isso, a falta de uma reunião e de um acordo político poderá provocar a criação de um grupo de oposição dentro da Câmara, certamente formado por oito Vereadores, o que inviabilizaria, tanto o Empréstimo quanto o restante dos projetos que estão na pauta e serão incluídos até 2020. Até o dia 20 de dezembro muito está para acontecer!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *