CARAGUÁ: SEU TRÂNSITO, MOTORISTAS E MULTAS

Trânsito em Caraguá 4

Desde que foi criada em 1998 a na época Divisão de Trânsito (Ditran) – hoje Secretaria Municipal de Segurança, Trânsito e Defesa Civil e seus Agentes Municipais de Trânsito – Marronzinhos, muito se falou, se fez e criticou sobre a malha viária local e seus usuários, os tradicionais motoristas. O que ontem era chamado de “Terra da Multa” ou “Indústria da Multa” hoje é citada como a cidade de alguns motoristas imprudentes.

A Divisão de Trânsito – Ditran, foi criada em setembro de 1998 fazendo parte da Secretaria de Serviços Municipais e contava com iniciais 25 Marronzinhos. Junto a nova divisão foi criada também a JARI – Junta Administrativa de Recursos de Infração, que julga as contra razões dos motoristas que sintam-se injustiçados pelas autuações a eles conferidas.

A divisão nasceu quando a cidade apresentava uma acentuada movimentação em sua malha viária e o movimento de trânsito sobrecarregava a Polícia Militar, que tinha a criminalidade de algumas comunidades para conter e controlar. Sendo assim o Prefeito da época, Antonio Carlos da Silva/PSDB, achou por bem criar um setor administrativo municipal que cuidasse do trânsito local, organizando-o e tirando da PM uma tarefa que mais se assemelha a um transtorno diário.

Com a criação do Ditran instaurou-se na cidade o slogan de “Cidade da Multa” ou “Indústria da Multa”, pelo fato de multar por multar e cada vez mais multas aplicar nos motoristas, sem que houvesse uma campanha de orientação e um período de adaptação para com os motoristas. Com o tempo as críticas se mantiveram, mas diminuíram de intensidade.

Nesse meio tempo o trânsito local também sofreu um revés, com a instalação do Sistema de Zona Azul, que meses depois foi cancelado, devido a críticas da população, a mesma que reclamava da falta de vagas para estacionamento no centro da cidade. As críticas se basearam na época no gerenciamento da empresa, sistema empregado para a cobrança, falhas no atendimento, preço cobrado, número e localização das vagas determinadas.

Atualmente Caraguatatuba tem uma frota estimada em mais de 55 mil veículos, que vai da mais simples motoneta a mais potente e pesada carreta, uma Zona Azul que foi reeditada em 2014 com apenas 1.600 vagas espalhadas pelo centro urbano e nervoso da cidade.

Antes de apresentar a versão da população serão demonstrados os números da Secretaria de Trânsito sobre as multas e os locais onde são mais aplicadas num período que vai de julho a dezembro de 2014. É bom frisar que do valor arrecadado com as multas, 50% vem para o município e o restante para o estado, que faz o processamento via Prodesp – Processamento de Dados do Estado de São Paulo.

As 10 maiores infrações cometidas no mês

Infração Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
Velocidade acima permitida 2861 2858 3029 2762 2520 1997
Não identificar condutor quando pessoa jurídica 490 786 734 526 658 435
Dirigir usando Celular 387 376 336 351 333 418
Velocidade acima mais de 20% a 50% 386 430 465 373 304 275
Falta de Cinto 317 263 406 562 530 418
Parar na faixa 263 297 263 251 241 247
Estacionamento Proibido 97 91 84 95 110 79
Conversão à esquerda em local proibido 93 84 000 117 132 155
Avançar Sinal Vermelho 83 81 000 000 000 000
Transitar Contra Mão 76 80 74 112 109 188

Obs: Nem todas as infrações citadas aparecem no ranking das 10 mais nos últimos 6 meses, sendo trocadas outras de menor número

 Os 10 locais onde mais são cometidas infrações

Local Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
Frei Pacífico Wagner com Oswaldo Cruz 1473 1067 1189 1101 884 765
Av. Praia centro/bairro altura 2077 552 355 641 779 857 653
Vereador Aristides Anísio bairro/centro altura do 594 385 209 685 77 000 000
Av. Praia bairro/centro altura do 169 373 254 417 441 468 323
Av. Geraldo Nogueira centro/bairro altura do 1400 340 216 180 000 000 000
Av. Geraldo Nogueira centro/bairro altura do 2114 339 250 305 394 342 269
Oswaldo Cruz com Frei Pacífico Wagner 260 137 175 151 126 129
Av. Praia centro/bairro altura do 315 255 147 286 309 328 248
Av. Geraldo Nogueira bairro/centro altura do 644 127 114 197 276 225 194
Av. Geraldo Nogueira bairro/centro altura do 2114 100 88 129 158 132 145

Obs: Há outras ruas que aparecem no ranking dos locais onde mais se cometem infrações e por isso, os locais desta lista aparecem como zero em alguns meses.

Trânsito em Caraguá 2           Trânsito em Caraguá 1

Ao ser multado o motorista recebe em sua casa via correio uma notificação de trânsito. Nessa hora ele deve conferir o dia, hora e local onde foi autuado e alterar o nome do condutor do veículo no caso de não ter sido ele o motorista no momento da infração. É nesta hora que você percebe se há algum erro de forma que pode invalidar a notificação quando esta se dirigir para a autoridade de trânsito dar o seu visto.

No caso de deferimento por parte da autoridade de trânsito uma nova notificação é enviada, agora com valor e data de pagamento ou prazo para apresentação de recurso junto ao JARI – Junta Administrativa de Recurso de Infrações, que deve ser o mais explicativo possível com as suas alegações e defesa quanto a infração. O JARI se reúne 2 vezes por mês. Ao todo são apresentados cerca de 90 recursos e destes 10 são deferidos em média.

Os valores das multas variam de 4 a 7 pontos; Infração média – 4 pontos – r$ 85,13; Infração grave – 5 pontos – r$ 127,69 e infração gravíssima – 7 pontos – r$ 191,54 sendo que um total de 21 pontos invalida a Carteira de Habilitação.

Entre os usuários, leia-se motoristas a opinião da maioria fala mais em infratores e descumpridores da lei do que vítimas ou perseguidos, alegando que as penalidades financeiras são as melhores, pois atingem o bolso e causam impacto perante a população. Há os motoristas que falam apenas em notificação e não a lavratura de multas, pois as mesmas vem dos vícios adquiridos ao longo dos anos. Há também os motoristas que concordam com a infração cometida, mas alegam em contrapartida cometerem o mesmo erro dos Agentes de Trânsito, como o de transitar de moto com a viseira levantada.

É voz corrente entre nossos motoristas que há muitos “colegas” folgados e que os turistas são os mais desleixados. Outros mostram não terem cometido a infração de má fé, mas foram penalizados devido a falta de uma boa apresentação de recurso. A questão da segurança é usada como razão para transgredir o Código de Trânsito Brasileiro, como a de avançar o sinal vermelho de madrugada durante o feriado de Carnaval. Reclamações quanto a interpretação dos Marronzinhos tem espaço nas declarações dos usuários, a maioria alegando que foi autuada em noites escuras ou chuvosas e a uma certa distância com limitações.

Mais do que acusar a cidade de criar a “Indústria da Multa”, o motorista de Caraguá deve se conscientizar sobre as leis de trânsito e o benefício que causa respeitando-a, seja para viver melhor entre seus vizinhos, seja para economizar com tempo e dinheiro os recursos e eventuais multas. Obviamente exageros devem ser coibidos e para isso existem as instituições e a imprensa, como o BLOG CONTRA & VERSO.

Trânsito em Caraguá 1