Navio Cidade de Caraguatatuba_BR 02

 

Depois de ganhar nome de rua na própria cidade como em outras deste país, Caraguatatuba agora é nome de um navio da Petrobrás – Petróleo Brasileiro S.A. . Trata-se do Navio-Plataforma Cidade de Caraguatatuba – MV 27, que servirá para as áreas de Pré-Sal da estatal do petróleo.

Caraguatatuba agora é nome de navio. O Navio-Plataforma da classe FPSO – Floating Production Storage Offloadling Unit), que traduzindo significa Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência de Petróleo. Este tipo de navio tem a capacidade de separar o óleo do gás e da água durante o processo de produção, armazená-los nos tanques de carga para transferi-lo para navios petroleiros, que farão o transporte até o litoral.

O navio obedeceu algumas etapas até ficar pronto. Primeiramente o seu casco foi feito na cidade de Chiba, no Japão, no estaleiro MÊS – Mitsui Engineering & Shipbuilding, a integração dos módulos no estaleiro Keppel, em Cingapura e a conclusão da integração da unidade no estaleiro Brasfels em Angra dos Reis.

O navio pertence ao consórcio que detém a concessão do campo no Bloco BM-S-9, que tem a Petrobrás com 45%, a BG E&P Brasil, subsidiária da Royal Dutch Shell pic com 30% e a Repsol Sinopec Brasil com 25%.

Após o lançamento oficial, o Navio-Plataforma Cidade de Caraguatatuba dirigiu-se para o campo de Lapa, no Pré-Sal da Bacia de Santos, entrando em operação no mês de agosto, distante cerca de 270 quilômetros da costa paulista, numa profundidade média de 2.140 metros.

Os números do navio mostram a importância do seu trabalho. Sua produção de petróleo é estimada em 100 mil barris/dia, o que representa 10% da produção do Pré-Sal no país. Serão 5 milhões m³/dia de tratamento e compressão de gás, 120 mil barris/dia de tratamento de água de injeção e 1,6 milhão de barris de óleo a sua capacidade de armazenamento. O Navio-Plataforma Cidade de Caraguatatuba tem comprimento de 337,4 metros e largura de 60 metros. A denominação veio com base na implantação da UTGCA – Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba Monteiro Lobato.

A Assessoria de Comunicação da Petrobrás não informou quando foi denominado o Navio-Plataforma e nem quem o denominou, bem como o tempo de construção, o valor total da construção e nem se houve ou haverá o lançamento de quilha da embarcação.

Navio Cidade de Caraguatatuba_BR 05

Fonte: Assessoria de Comunicação Petrobrás/RJ

Fotos: Steferson Faria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *