CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE A SUA POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar 2

Seja sincero. Você ficava feliz quando no pior da história, o Rin Tin Tin surgia com a Cavalaria. No Vigilante Rodoviário o Inspetor Carlos e seu cachorro Lobo eram os salvadores do dia. Kojak, Baretta, Dirty Harry, Columbo, John Mc Clane e tantos outros, são a imagem do bem contra o mal, o mocinho contra o bandido, a polícia e a lei. Esse é o papel da Polícia, defender a população contra os marginais, aqueles que são contra a lei e a ordem. Neste texto vamos mostrar um pouco mais sobre o trabalho da Polícia Militar do Estado de São Paulo, aproveitando para dar algumas dicas úteis de como se relacionar e entender esta força armada criada para defender a população paulista.

Iniciando do geral para o particular, vamos a alguns números globais da Polícia Militar no estado. No total são 93.316 Policiais Militares, distribuídos entre 545 Batalhões e Companhias em 2.245 instalações físicas. A Polícia Militar é presença nos 645 municípios do estado e conta com 15 mil viaturas, 23 helicópteros, 6 aviões e 450 embarcações, sendo 2 navios. A Informática está presente no dia-a-dia da Polícia Militar, que é dotada de 35 mil computadores e 32 mil rádios transceptores para sua comunicação, com um orçamento de R$ 9,558 bilhões – ano base 2012.

É interessante verificar a produtividade da Polícia Militar de SP. Foram mais de 43 milhões de chamados de emergência feitos ao Copom, numa média de 3,6 milhões de chamados / mês e 120 mil chamados / dia, resultando num total de 34 milhões de intervenções policiais, 614.500 resgates e remoções de feridos, 2.571.446 atendimentos sociais – auxílio ao público, partos, condução a PS/Hospital e abrigos, dentre outros, numa soma final de aproximadamente 100 mil prisões em flagrante, dentre elas 44.483 adolescentes, além de 12.950 armas e 57 toneladas de drogas apreendidas.

A Polícia Militar trabalha com 8 níveis de Controle Social: Família e Fé; Escola, Comunidade e Ordem; Trabalho, Leis, Polícia, Ministério Público e Judiciário e Sistema Prisional. A Polícia Militar vive o dilema de receber no seu colo os problemas da sociedade, assim descritos; Enquanto a Igreja não permite o Controle da Natalidade, os pais modernos dão cada vez menos Educação, o Estado cada vez menos Ensino, os Governos cada vez menos emprego e chances de evolução; a Justiça se apresenta mais e mais lenta e arcaica e para finalizar os menores estão ainda mais envolvidos com o crime, por serem inimputáveis, sobrando para a Polícia Militar a obrigação errônea de resolver tudo sozinho.

Curso de Tiro_PM_Taubaté 19

Falando agora da PM na nossa região os números são obviamente menores, porém de igual valor, qualidade e comparados aos melhores centros. Introduzindo um pouco de história, o 20º BPM/I – Batalhão de Polícia Militar do Interior teve sua origem em 1974 com a transferência da 3ª Cia Independente de Itapecerica da Serra para São Sebastião, sendo transformado em 1979 para a sua atual condição através do Decreto Estadual nº 13.167/79, recebendo a denominação de “Cel PM Edgard Armound”, que foi o responsável pela construção da estrada que ligava Paraibuna a São Sebastião com mais 15 praças. O Coronel em questão nasceu em Guaratinguetá, em 18 de junho de 1889, ingressou na Força Pública em 1914, atuou no Movimento Tenentista de 22 e 24, atuou nas Revoluções de 30 e 32 e em 1931, terminando por falecer em 29 de novembro de 1982.

Como forma de armamento e manutenção da ordem a Polícia Militar utiliza Fuzil FAL, Submetralhadora MT-40 da Taurus, Carabina CT-40 também da Taurus e completando a família as pistolas 9 mm, PT-100 e 24/7, ambas calibre .40, Carabina 556 da Imbel, Espingarda Calibre 12 e os famosos revolveres calibre 38, além da novidade do momento, o Fuzil IA2, da Imbel, calibre 5.56 . Fazem parte da família armamento Bombas de Gás Lacrimogêneo, de Efeito Moral, Bala de Borracha, Spray de Pimenta e Arma de Choque.

O 20º BPM/I está distribuído nas cidades do Litoral Norte. A sede está em Caraguatatuba, juntamente com a 2ª Cia; São Sebastião está com a 1ª Cia. com um pelotão na Costa Sul e outro em Ilhabela. A 3ª Cia. está localizada em Ubatuba. Muito se falou mas até o momento nada de concreto se fez para que Ilhabela tivesse a sua própria companhia, continuando a ter um pequeno pelotão pertencente a São Sebastião. O Batalhão é composto por 443 Policiais Militares, 109 viaturas e equipes do Policiamento Comunitário, Força Tática, ROCAM – Motocicletas e Rádio Patrulhamento Padrão.

Curso de Tiro_PM_Taubaté 52                Curso de Tiro_PM_Taubaté 59

Em termos de produtividade na região foram Mais de 67 mil chamados de emergência/ano no COPOM em São José dos Campos, perfazendo a média mensal de 5,6 mil chamados. Foram 6,9 mil operações policiais em 2014, além de 157 mil pessoas abordadas no mesmo período. Um total de 1.200 pessoas foram presas, 130 condenados foram capturados, 40 mil veículos foram abordados, 80 veículos recuperados, realizados mil e 115 armas apreendidas, tudo isso no ano passado.

No universo da 2ª Cia. todos os crimes tiveram redução de 2013 para o ano passado, com exceção dos Roubos/Assaltos e Homicídios. É bom frisar que se por um lado os roubos podem ser reduzidos com mais patrulhamento, os homicídios são crimes quase que impossíveis de serem impedidos, Quer um exemplo??? O que impede você, que neste momento está lendo este texto de matar quem quer que seja ao seu lado??? Nem um milhão de policiais impediriam isso agora.

Nunca esqueça que o canal de comunicação e ligação entre a comunidade e a Polícia Militar é o telefone 190 e como este telefone agora tem um aspecto regional e toca em São José dos Campos, tente, na medida do possível, em casos extremos explicar e dar o máximo de informações da forma mais calma e pausada possível, para um melhor reconhecimento do atendente que irá nutrir a viatura com as informações necessárias para o melhor atendimento.

Agora que você sabe um pouco o que a Polícia Militar tem feito na nossa cidade e região, é bom saber alguns detalhes que permitirão uma melhor interação, poupando-o de alguns entreveros com os homens da lei. A hierarquia policial divide seus homens de soldado a Coronel. De soldado a sargento você identifica com o chamado “galão”, que está inserido na manga da farda. De Tenente a Coronel a identificação está no ombro, chamado de “Divisa”. Uma dica para não errar é chamar os policiais sempre de “Senhor” e todos aqueles com divisa você pode generalizar, chamando-os de “Comandante”.

No trato com os policiais alguns detalhes são importantes e podem garantir um bom relacionamento e a sua vida. Evite locais mal vistos noite adentro, pois você corre o risco de ser revistado ou levado para esclarecimentos. Ande sempre com os seus documentos, Carteira de Trabalho, Identificação da categoria ou Crachá da empresa. Evite movimentos bruscos e não reaja as ordens dos policiais para apresentar os documentos ou ser submetido a revista pessoal. Quando tiver algo para mostrar à polícia, avise em alto e bom tom o que vai fazer e pegue o que tiver que mostrar com apenas 2 dedos, pois se pegar com a mão toda o policial pode interpretar como se estivesse pegando uma arma. Todo pedido deve ser precedido da palavra Senhor. Não esqueça, numa ação policial quem manda e detêm o poder é o policial.

Curso de Tiro_PM_Taubaté 61

A ação policial é um ato para manter o controle, a paz e a ordem perante a sociedade, mas isso não significa uso de força desnecessária, submissão, agressão ou humilhação. Caso haja qualquer indício de um destes atos, você deve encaminhar uma reclamação a Corregedoria da PM, informando data, hora, local e nome dos policiais e se possível o código da viatura ou a sua placa.

Durante uma ação policial evite algumas discussões do tipo “Vocês deviam estar caçando bandido” ou “Com tanto bandido na rua e vocês pegando no meu pé, enchendo o meu saco”. Preste atenção, se bandido portasse um aviso na testa, no peito ou nas costas, com certeza os policiais não estariam revistando ou pedindo os documentos das pessoas de bem. Você ainda corre o risco de ter que indicar onde estão os bandidos, já que reclamou tanto da ação policial.

Não preciso nem dizer que reagir a prisão ou ordem policial é crime, muito menos ofender o policial, que é desacato. Tentar subornar o policial é outro crime e fugir a um bloqueio é motivo do policial disparar contra você.

Lembre-se, o policial é amigo da população, então nada de ficar apontando um policial e relacioná-lo com maldade toda vez que o seu filho, sobrinho ou uma criança qualquer fizer algo de errado. Sendo assim nada de dizer; “Olha o policial, ele vai ficar bravo com você fazendo bagunça”. A interação entre policiais e sociedade é necessidade e eficaz para a manutenção da ordem e da lei. Respeite os policiais, peça ajuda sempre, informe e municie o policial com informações necessárias para o andamento do trabalho e confie sempre na polícia, pois ela está do seu lado, a seu favor, para o seu bem.

Curso de Tiro_PM_Taubaté 67