A um ano do término do primeiro Biênio da atual Legislatura na Câmara Municipal de Caraguatatuba o clima de Eleição da nova Mesa Diretora começa a tomar forma, com alguns nomes sendo mencionados como pretensos candidatos a função. O Blog Contra & Verso se adianta e cita hoje quem deseja a cadeira mais cobiçada do Legislativo local.

A Mesa Diretora da Câmara é composta por um Presidente, um Vice-Presidente, um Primeiro Secretário e um Segundo Secretário, para um mandato de dois anos, com início em 1º de Janeiro de 2023 e término em 31 de Dezembro de 2024. Para o segundo Biênio as chapas deverão ser oficializadas até o dia 15 de Dezembro, com a eleição sendo feita exclusivamente pelos Vereadores em 20 de Dezembro.

A função de Presidente do Legislativo abrange as áreas Política, Administrativa e Financeira e concede alguns direitos ao mandatário do cargo, como deliberação do que será ou não votado em plenário, direcionamento do Orçamento Legislativo, dentre outras deliberações.

Faltando aproximadamente 12 meses para o novo pleito interno alguns nomes já estão se movimentando e se lançando ao cargo mais importante da Casa de Leis em Caraguatatuba. Esta movimentação é válida e tradicional, com os nomes afunilando na preferência dos Parlamentares, ou seja, se há 12 meses da Eleição da Mesa Diretora surgirem de quatro a cinco nomes, próximo a data e com as chapas inscritas apenas dois candidatos irão concorrer, mesmo podendo se inscrever até três chapas, pelo fato de haverem 15 Vereadores.

O que seria a única restrição para a Eleição do segundo Biênio da Mesa Diretora da Câmara Municipal e diz respeito ao atual Presidente, o Vereador Tato Aguilar, segundo o próprio, durante Coletiva à Imprensa realizada há poucos dias o Regimento Interno permite a reeleição dentro da mesma Legislatura, desde que tenha o aval dos Vereadores em plenário, sendo que no mais todos os Vereadores poderão se candidatar, mesmo os que fazem parte da atual Mesa Diretora.

Segundo a Redação do Contra & Verso apurou com as suas fontes nos bastidores da política local, figuram como pretendentes os Vereadores Dé Construtor, Jair Silva, Baduca Filho, Fernando Cuiú e Marcos Kinkas.

O Vereador Dé Construtor está no seu primeiro mandato com grandes ligações políticas e pessoais com a família Aguilar, principalmente com o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar e isto deverá contar como ponto na hora de formar uma chapa e angariar votos junto a seus pares.

Jair Silva está no seu segundo mandato, sendo que o primeiro ocupou a cadeira como Suplente. Na sua primeira gestão como Vereador Eleito firmou-se como Líder do Executivo na Casa de Leis, sempre apresentando argumentações baseadas em análises e estudos aprofundados, seja para defender as proposituras do Prefeito, seja para pedir a rejeição das propostas da oposição. Para o Blog Contra & Verso afirmou que no momento não tem interesse na candidatura presidencial.

Baduca Filho é veterano como Vereador e retorna a sede do Legislativo depois de uma interrupção de quatro anos. O Vereador quer aliar sua experiência e conhecimento na Vereança para dirigir a Câmara nos próximos dois anos. É bem quisto e considerado um estrategista, principalmente quando saiu do PSDB em 2019 e se filiou ao MDB, partido do atual Prefeito apostando na facilidade de ser eleito, mas é só isso, pois existem outros Vereadores mais próximos ao Prefeito e seu nome não encontra êxito ou favoritismo entre os pré-candidatos.

Fernando Cuiú é outro veterano, ocupando a cadeira no seu segundo mandato, fazendo as vezes de situacionista e oposicionista, mostrando-se agora como apoiador da segunda gestão do Prefeito Aguilar Júnior. É visto como uma Terceira Via, mas sabe-se que suas intenções são fortes e que estaria esperando o desenrolar das candidaturas para declarar suas intenções ou apoiar uma das chapas que porventura irão se inscrever.

Marcos Kinkas é outro dos Vereadores que tem um grande comprometimento juntamente com a família Aguilar e neste caso nos três pontos deste triângulo político/pessoal, pois foi assessor de Tato Aguilar em gestões anteriores, ocupou função na Secretaria Municipal de Habitação na gestão Aguilar Júnior, além da proximidade com o ex-Prefeito Aguilar.

Existe também a possibilidade de Vereadores que ocupam função no Executivo, como Carlinhos da Farmácia na Habitação e Marcelo Pereira na Sesep – Secretaria Municipal de Serviços Públicos que renunciariam ao cargo para retornar ao Legislativo e tentar a vaga mais cobiçada da Casa de Leis.

Atualmente estas são as cartas dispostas na mesa visando a Presidência da Câmara para Dezembro de 2022. Resta saber se em alguns meses as pretensões serão as mesmas ou se novos nomes poderão surgir. A bem da verdade as chapas e os nomes que concorrerão ao cargo vão depender muito do agrado e proximidade com o Prefeito Aguilar Júnior, visando uma melhor sintonia entre Executivo e Legislativo para os dois últimos anos de sua gestão.

1 Comment

  1. ILSON VITÓRIO DE SOUZA

    A fome do poder pelo poder e a estratégia para manter o controle do poder mais importante da esfera municipal, são motivos suficientes para tirar o sono de muita gente! É evidente que alguns vão ficar só sem sono e na vontade! Quem estiver vivo verá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *