Faltando menos de 30 dias para a eleição da Presidência da Câmara de Caraguatatuba o principal apoiador, o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar, enfrenta o seu maior dilema como o mandatário de fato do município, que é o de escolher quem irá apoiar para chefiar o Legislativo no próximo Biênio. A dúvida paira entre o novato Duda Silva ou o Vereador Carlinhos da Farmácia, que tem histórico de traição política em seu currículo político.

A Eleição da Câmara para o próximo Biênio está se tornando uma novela digna de horário nobre e até o seu pleito, em 20 de dezembro, muito ainda acontecerá, pois novos fatos se sucedem diariamente. A inscrição das chapas acontecem no dia três e a eleição numa sessão especial no dia 20, no horário tradicional da sessão, às 19h30.

O que começou com as pretensões tímidas dos Vereadores Salete, Duda Silva, Chininha e Carlinhos da Farmácia foi se transformando e afunilando ao longos dos meses que antecedem a eleição da Presidência do Legislativo local. Junto com os pretensiosos candidatos estavam os seus, também cheios de pretensão, apoiadores que agindo de forma externa tumultuam e oscilam o pleito, a movimentação de candidatos, interessados e Vereadores eleitores a procura do melhor candidato. São eles o ex-Prefeito José Pereira de Aguilar, o atual Prefeito, seu filho, o ainda Secretário de Governo, Neto Bota, o empresário conhecido como Péron e o ex-Vereador e Presidente da Câmara, Wilson Gobetti.

Ás vésperas da inscrição das chapas concorrentes são carta fora do baralho a Vereadora Salete, que estava junto com o Vereador Carlinhos da Farmácia e figuram sob o apoio do ex-Presidente Gobetti e o ex-Presidente Chininha, que já não tem mais o apoio de Neto Bota – Maléfico – que perdeu terreno político dentro do atual grupo dominante. A candidatura de Chininha é vista como instável, tanto pela falta do apoio como pela futura situação eleitoral.

Com isso polariza-se a eleição com Duda Silva e Carlinhos da Farmácia. O primeiro tem o apoio do Prefeito de Direito e do atual líder do Executivo na Câmara, Vereador Fernando Cuiú. Já Carlinhos da Farmácia corre apenas com o apoio do ex-Presidente Gobetti, que já foi o afilhado querido do Prefeito de fato, teve suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas e foi acusado pelo pai do atual Prefeito, através de áudio vazado pelas Redes Sociais, de ter usado o seu nome para conseguir apoio ao seu pupilo. Ambos querem ainda o apoio de Aguilar Pai.

Aliado a este cenário o histórico político de Farmácia só o prejudica, pois além de ser chamado de “Vereador Carteirão”, usou de pressão para mexer na Vigilância Sanitária quando a farmácia onde trabalha recebeu uma pesada sanção. As traições políticas do Vereador também são lembradas; A primeira quando de uma eleição para Presidente quando traiu o Vereador Celsinho a favor de Juarez Pardim e na última eleição quando pertencente as fileiras do PPS, resolveu apoiar Gílson Mendes na última eleição municipal.

No fechamento deste texto a situação de Farmácia se complica com a segunda interdição da Drogaria Oliveira, local onde trabalha, ontem, por uso indevido de medicamentos sem registro e por encontrarem talões de consulta com os nomes de vários médicos sem assinatura.

Próximo de finalizar esta novela, os candidatos restantes querem o apoio de Aguilar Pai para sacramentar a sua vitória, restando ao ex-Prefeito optar pelo novato fiel ou pelo antigo infiel. Não perca os próximos capítulos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *