E a novela Eleição da Câmara de Caraguá para o Biênio 2019/2020 chega ao seu ápice, com grandes emoções e reservada para aqueles dotados de coração forte. Polarizada entre os Vereadores Duda Silva e Carlinhos da Farmácia, ambos querem o apoio do ex-Prefeito José Pereira de Aguilar para definir o pleito que está marcado para o dia 20 de dezembro, às 10 horas no plenário do Legislativo. O problema é um dos lados não admitir a perda do apoio e isso resultar em prejuízo para a atual gestão. Há risco do projeto do Empréstimo de R$ 60 milhões não ser aprovado por falta de quórum.

O resumo da história você deve conhecer e lembrar e é sempre bom relembrar. Tudo começou com Chininha tendo o apoio de Neto Bota – o Maléfico, Gobetti investindo em Salete e Carlinhos da Farmácia e Duda Silva carregando a tiracolo o apoio do Prefeito de Direito.

Passados uns meses Gobetti desistiu de Salete e manteve suas apostas em Farmácia – o Carteirão, Chininha perdeu apoio e prestígio dentro da casa devido a sua situação eleitoral e Duda Silva continuou com o atual Prefeito querendo mais proteção. Nesse ínterim deve-se registrar as incursões de Gobetti utilizando-se do nome do Prefeito de fato – Aguilar Pai, que foram negadas com base no vazamento de um áudio nas Redes Sociais. O problema é que todos querem o apoio do ex-Prefeito.

E nessa obsessão de firmar a candidatura com o apoio duplo – do Prefeito de Fato e do Prefeito de Direito é que torna esta Eleição da Mesa Diretora uma novela de grandes e fortes emoções, onde só os bravos convivem e resistem. Essa mesma obsessão, vista de forma estranha se visualiza no ex-Vereador Wilson Agnaldo Gobetti, que deseja porque deseja eleger o Vereador Farmácia. Quais interesses e objetivos cercam esta investida do afilhado político de Aguilar Pai???.

O que deveria ser o apoio líquido e certo de Aguilar Pai para Duda Silva mudou e de uma maneira velada e silenciosa, o ex-Prefeito estaria apoiando o Vereador Carlinhos da Farmácia, tendo inclusive colocado na disputa o Secretário de Planejamento Márcio Cândido para procurar os Vereadores, em nome de José Pereira de Aguilar, buscando votos para Farmácia. Já é público e notório a ideologia do “Jogo Duplo” exercida por Aguilar Pai e Aguilar Júnior, pois com ambos apoiando lados diferentes, não importa o vencedor, eles sempre estarão com o poder. Não é à toa que a Crônica Política apelidou-os de “Bagres”, por estarem sempre armados com seus espinhos e intensamente lubrificados, escorregando até das mãos mais ágeis.

Mas um acordo unilateral não está afastado. Segundo fontes a chapa de Duda Silva poderia ser alterada, com a troca de cargos entre ele e Fernando Cuiú, passando o líder para a função de Presidente e Duda para vice. Segundo a nossa checagem isso só aconteceria em último caso e com a aceitação do novato que deseja ser Presidente.

A grande questão é que os Parlamentares não admitem este jogo duplo e querem um apoio uníssono da família Aguilar na questão e caso não haja uma definição, esta atitude pode causar um grande prejuízo político ao atual grupo político dominante, pois circula nos corredores da Câmara que os integrantes e apoiadores de uma das chapas não estariam presentes na Sessão Ordinária de amanhã – terça-feira, quando será votado o Projeto de Empréstimo dos R$ 60 milhões para a construção do novo prédio da Prefeitura e Câmara. Resta saber se até lá um acordo será feito ou se a Prefeitura irá suportar o prejuízo da viscosidade pelo poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *