Falta criar a Fiscalização de Elevadores

Fiscalização Elevador 3

Caraguatatuba tem crescido a passos largos e sabidos, seja de modo ordenado e pensado, seja na tradicional baderna urbana, que cria enormes seqüelas e problemas difíceis de resolver, mas que se incorporam ao dia-a-dia da nossa comunidade.

De uma maneira preliminar Caraguatatuba está assim configurada: 110 mil habitantes, é o Portal de Entrada do Litoral Norte, é sede administrativa da região, tem a maior população da região, a segunda área em quilômetros quadrados e o segundo orçamento do Litoral Norte, sendo uma das maiores e melhores cidades da Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

Atualmente sedia a Unidade de Tratamento de Gás da Petrobrás, denominada “Monteiro Lobato” e o 20º Batalhão de Polícia Militar do Interior – 20ºBPM/I e futuramente terá uma nova versão da SP-99, a Rodovia dos Tamoios e um Hospital Regional, além de uma mediana estrutura comercial, que ainda padece do provincianismo e amadorismo.

As seqüelas urbanas estão localizadas na zona sul da cidade, onde a fiscalização não age com o mesmo rigor do que no centro e onde os moradores reclamam da falta de apoio em diversos setores por parte do Executivo e sua máquina administrativa.

Não podemos esquecer que ao falarmos de urbanismo, moradores e população, não podemos esquecer que são emitidos mais de 78 mil carnês de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), onde estão incluídos os condomínios térreos, verticais, casas, terrenos, chácaras, dentre outros. Você sabia que dentre este universo temos registrado apenas 565 prédios de apartamento ou unidades multi-familiares verticais. Não seria a hora de implantar um serviço de fiscalização exclusivo apenas de Elevadores?

Penso que já está na hora de criar um grupo de fiscalização exclusivo para os elevadores na cidade. Dentre o número já citado de prédios, temos vários com mais de 20 anos de idade e aí está incluído o seu elevador. A vivência e as informações dão conta de vários destes equipamentos causando problemas e trazendo medo a seus usuários.

A fiscalização dos Elevadores não iria apenas observar o funcionamento do maquinário, mas a situação do produto, se necessita de reforma e se a reforma foi feita, se está conforme regras e padrões estabelecidos a nível Brasil ou determinados apenas para Caraguatatuba. Assim como existe a Vigilância Sanitária para manejo de alimentos e afins, que liberou a Fiscalização do Comércio para outros assuntos, a Fiscalização dos Elevadores iria tirar da Fiscalização de Obras e Urbanismo um peso enorme no contexto de obras e construções.

Para quem pensa que 565 elevadores é pouco eu refuto. Se a Vigilância não consegue verificar todas cozinhas da cidade e se anualmente centenas de obras são regularizadas através de Projeto de Lei o número deste tipo de equipamento sem um trabalho específico é preocupante.

Fiscalização Elevador 2