O Pré-Candidato a Prefeito pelo PTC – Partido Trabalhista Comunitário – Léo Lima anunciou que não concorrerá mais nas Eleições Municipais de Novembro deste ano, devido a problemas administrativos de filiação entre duas legendas, o PSL e o PTC, questão que não terá tempo de solução até o registro final em Setembro. Para ocupar o seu lugar foi indicado o seu filho Mateus Lima. Mas ao que parece o Pré-Candidato contornou a situação e irá causar um grande imbróglio Eleitoral na cidade.

O Pré-Candidato a Prefeito, o Empreiteiro Léo Lima comunicou no início desta semana – 10 de Agosto – que não irá mais concorrer a vaga de Prefeito pelo PTC nas Eleições Municipais deste ano, que extraordinariamente acontecem em 15 de Novembro por causa da Pandemia do Covid-19. Lima relata que desistiu devido a uma falha administrativa do PSL – Partido Social Liberal – e de uma distração da sua parte quanto a filiação.

Léo Lima conta que estava no PSL buscando a Presidência do Diretório Municipal e a legenda para Prefeito nas Eleições Municipais deste ano e para solidificar suas bases e apoios conseguiu a proximidade com o Deputado Estadual Castelo Branco. A questão é que com o passar do tempo as relações entre os integrantes do PSL e o Presidente Bolsonaro estremeceram, com severas críticas feitas pelo Deputado Estadual Bozella contra o Presidente da República, que acabaram recaindo sobre a sua ligação com o Deputado. Ao mesmo tempo conta que uma disputa interna na legenda em Caraguatatuba dificultava os seus objetivos eleitorais e por causa disso, teve sua ficha de filiação física rasgada numa maratona de filiações.

 

Nesse ínterim recebeu convite para integrar as hostes do PTC na cidade, com certa influência no Vale do Paraíba e foi aí que percebeu os erros cometidos. “Errei por não ter pedido que os meus amigos, as pessoas que filiei, saíssem do PSL e fossem comigo para o PTC e quando percebi isso, já havia passado o prazo final para novas filiações e troca de legenda ou domicílio”, disse. Certo de que estava filiado ao PTC, ao verificar sua situação eleitoral percebeu que sua filiação a nova legenda havia sido recusada, pois ainda se mantinha filiado ao PSL. “Minha filiação ao PSL foi feita em quatro de Abril deste ano pelo partido, data em que eu já havia saído e estava no PTC”, frisa.

Lima só percebeu o que ocorreu em 16 de Abril, quando não havia mais tempo de transferir a filiação. “O meu Advogado disse que posso reverter esta situação, mas sem prazo para isso ocorrer e muito depois de setembro, quando será feito o registro no TRE”, conta. Tendo em vista o cenário que se apresentava, resolveu lançar o filho Mateus Lima como Pré-Candidato a Prefeito pelo PTC.

O Empreiteiro diz que agora no PTC quer fortalecer a legenda em Caraguá e no Litoral Norte, com intenções de sair a Deputado Estadual em 2022. Sobre o ocorrido o ex-Pré-Candidato fala em tom de mágoa e chateação. “Fui sacaneado pelo PSL e nunca faria isso com ninguém”, explica.

Segundo fontes ligadas ao PSL, Léo Lima se filiou pelo sistema WEB em outubro de 2018 e a sua ficha de filiação não “Subiu” para o Diretório Estadual. A expressão “Subir” significa que após a filiação pela Internet, a ficha preenchida pelo filiado segue para aprovação do Diretório Estadual e consequente registro no TRE, juntamente com a filiação física, preenchida a mão pelo correligionário. Este mesmo procedimento ocorreu em 2019 e as filiações também não foram remetidas a Estadual. Em Abril deste ano todas as fichas assinadas subiram para a Estadual ao mesmo tempo, sendo que ninguém no partido conferiu se a pessoa ainda estava ou não filiada no PSL e sem a filiação física de Léo Lima, constatando erro do partido que prejudicou Léo Lima.

Quando tudo parecia estar resolvido, com a filiação de Léo Lima no PSL e a indicação de seu filho no PTC, vem a notícia de mudança de planos de Léo Lima, que está sendo checada tanto com o Empreiteiro como com a direção da legenda na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *