Câmara Caraguá_Tumulto 75

 

Na última terça-feira – 13 de outubro, um grupo de Agentes Municipais de Trânsito, leia-se Marronzinhos, estiveram na Câmara Municipal para entregar um documento com uma série de reclamações contra o Secretário Municipal de Segurança, Trânsito e Defesa Civil, Cláudio Longo, onde pesam Assédio Moral e alterações da Carga Horária de Trabalho.

Antes de qualquer questionamento sobre o teor das críticas, este texto tem por objetivo mostrar o despreparo de ambas as partes envolvidas, Agentes, Secretaria, Câmara e Prefeitura e a seleção de Presepadas que certamente não irão culminar em nada, pois uma ação que nasceu política terá um fim político, com certeza. Leia e entenda.

Tudo tem início com as reclamações dos Agentes Municipais de Trânsito contra o Secretário Claudio Longo. Por um lado os agentes preferiram uma ação política, evitando a imprensa e tentando uma solução “entre amigos” de reclamações como Assédio Moral e alteração no horário de trabalho e redução das horas extras. Pelo lado da Secretaria o Coronel Reformado Cláudio Longo deveria se situar e entender que ele não está mais tratando e lidando com guerreiros armados, treinados e doutrinados no combate ao crime e no ambiente militar das casernas e dos quartéis. Quem não conhece a vida militar não entenderá nunca homens como Longo, Djalma, Marchi, Amandes e Romano.

Agora vamos a seleção de presepadas. Segundo consta uma reunião às 19 horas de terça, na Câmara Municipal, foi realizada entre um grupo de Agentes de Trânsito e os Vereadores. A imprensa não foi convidada e nenhuma cópia do documento entregue aos Parlamentares foi dada ao membro do Contra & Verso pelos Agentes.

Estranhamente os mesmos Vereadores, segundo o Presidente da Câmara já haviam se reunido com o Prefeito Antonio Carlos na terça-feira, só que às 16 horas para tratar do mesmo assunto. Realmente a estranheza começa por aí, pois se os Vereadores se reuniram antecipadamente com o Prefeito, por que os Agentes não estiveram presentes a este encontro??? E se os Parlamentares tiveram um encontro antecipado, por que realizar a reunião posteriormente, no mesmo dia a noite na Câmara Municipal???

O Site de Notícias Contra & Verso foi proibido de participar da reunião e acabou sendo expulso do hall de entrada para a sala da Presidência, sala de Reunião e Plenário por um mero porteiro terceirizado. Na saída da reunião os Agentes de Trânsito informaram que dois documentos sobre o assunto; um direcionado ao Prefeito e outro aos Vereadores, estavam em poder da Câmara, mas em nenhum momento se comprometeram a entregar uma cópia destes documentos a imprensa, momento esse que cometeram a sua falha mais grave, pois os Meios de Comunicação seriam parceiros dos reclamantes, mostrando o problema à população.

 

Coletiva Chininha 0315 4

Momentos depois pedimos explicações ao Presidente do Legislativo, popularmente chamado de Chininha. O Presidente Vereador confirmou as reuniões antecipada e posterior e explicou que a Câmara não ficou com nenhuma cópia dos documentos em questão, pois aproveitou que o Assessor Legislativo da Prefeitura, Lúcio Fernandes estava presente e repassou o documento diretamente a ele, para fazer chegar as mãos do Prefeito Antonio Carlos.

Inquiri novamente se o Legislativo estaria fazendo o papel de “Carteiro Oficial”, eximindo-se de toda e qualquer responsabilidade, fazendo um serviço de entrega oficial ao emissário do Poder Executivo. Esta alegação deixou o Presidente da Câmara profundamente irritado, no qual repliquei, que como Vereador a sua função seria a de manter posse do documento, pois foi aos Vereadores que os Agentes solicitaram apoio, solicitar uma reunião com o Prefeito e tentar resolver da melhor maneira possível este entrave. Chininha replicou que os Agentes queriam apenas ter acesso ao Prefeito para entregar o citado documento. Sendo assim pergunto novamente: Por que não foram entregar o documento na reunião das 16 horas??? Ou então por que não protocolaram o documento como qualquer Requerimento ou pedido de Informações, protegida por lei e com prazo de 15 dias para solução por parte do Chefe do Executivo, ou seja, mais um pecado cometido por uma categoria de Servidores Públicos que aparenta estar lutando mais por resultados políticos do que trabalhistas.

Depois de todo esse imbróglio o citado documento interno foi parar nas mãos do sonhador, poético e lacrimejante Assessor Legislativo Lúcio Fernandes, que manteve a negativa quanto a cópia e assegurou-se da guarda e exposição do documento para várias pessoas durante a sessão, entre elas terceiros, Vereadores e Servidores do Legislativo. Ao mesmo tempo outros Servidores, mais ou menos categorizados, tentavam explicar para eles próprios e seus colegas, que o cerceamento à imprensa era correto.

Ao final resta constatar que a Câmara mantêm o seu grau de serventia ao Executivo, eximindo-se da responsabilidade para com os Servidores Municipais e traindo o voto de confiança que lhe foi dado pelo povo, ou seja, de um poder harmônico e independente, tornou-se um serviçal do Executivo, envergonhando a classe política e transformando a cidade num burgo, onde o Burgo-Mestre manda e desmanda no povoado. Quanto aos Servidores que sentem-se injustiçados, creio que o melhor será a conscientização da atual situação, visto que o Secretário em questão é blindado e protegido pelo Prefeito, que lhe dá total apoio.

Secretaria de Trânsito Segurança Defesa Civil 2

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *