A recente divulgação da transferência de Domicílio Eleitoral da Primeira-Dama de São Sebastião, Michelli Veneziani Augusto agitou o meio político Regional. Este ato causou um rebuliço nas cidades de Caraguatatuba e São Sebastião, podendo causar sérias sequelas nas Eleições Municipais nestas cidades.

A Primeira-Dama Michelli Veneziani Augusto transferiu o seu Domicílio Eleitoral de São Sebastião para Caraguatatuba, conforme anunciado recentemente. Imediatamente instaurou-se o Rendevouz Político no Litoral Norte, principalmente por ser ano de Eleições Municipais, marcadas para outubro.

Como já é de praxe o fato foi veiculado e compartilhado as centenas nas Redes Sociais da região. As primeiras informações dão conta de que a transferência se deu na data limite da janela política aberta para o TSE – Tribunal Superior Eleitoral – para transferência de domicílio, troca de legenda ou novas filiações, que era quatro de Abril, deixando o eleitor que fizer isso apto a se candidatar para o pleito deste ano.

Mas há informações também de que a citada transferência se deu agora em Maio, o que deixa a Primeira-Dama apta a votar mas não poderá se candidatar. Michelli Augusto está filiada ao PSDB, é integrante do Diretório Estadual e trocou o local de voto de São Sebastião para Caraguatatuba, mais precisamente à seção 19, localizada no Colégio Módulo, no centro da cidade. A mudança após o dia quatro de Abril se evidencia quando de uma pesquisa de atualização de filiados no site do TSE, onde o nome de Michelli não aparece no Diretório de Caraguatatuba em 23 de Abril.

A mudança de endereço causou espanto e deixou perplexo o cotidiano político das duas cidades, principalmente entre os membros do Diretório Municipal do PSDB em Caraguatatuba, que desconheciam o fato, causando manifestações contrárias e dúvidas, internas e de bastidores da cúpula do partido na cidade.

O fato causou uma ampla repercussão na classe política, principalmente em São Sebastião, onde indagações sobre a vida familiar do Prefeito e da Primeira-Dama teriam sido o motivo principal. O Blog Contra & Verso não conseguiu retorno do Prefeito Felipe Augusto e da Primeira-Dama Michelli Veneziani Augusto. O único que falou a respeito foi o pai da Primeira-Dama, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva. “A Michelli estava sofrendo uma grande pressão em São Sebastião por causa do seu trabalho à frente do Fundo Social, com atendimento e doação de Cestas Básicas para famílias carentes e trabalhadores informais por causa da Pandemia”, disse. Com base nisso cogitou-se que Michelli seria candidata à Prefeitura de São Sebastião no lugar de seu marido, o Prefeito Felipe Augusto e para findar este clima, resolveu mudar o Domicílio Eleitoral para Caraguatatuba.

Baseado nisso questionou-se se Michelli seria candidata em Caraguatatuba, ocupando a vaga do pai ou saindo de vice com ele numa chapa pura, versão essa negada pelo ex-Prefeito que citando a Lei Eleitoral, cometeu um engano ou desconhecimento do fato, quando afirmou que seis meses não seria o período permitido para candidatura em outra cidade.

A versão apresentada pelo ex-Prefeito pode até explicar o fato, mas deixa margem a várias dúvidas e sequelas políticas irreparáveis. A saída de Michelli do cenário Sebastianense mostra que há problemas de relacionamento, fato que é considerado como uma falta grave para um político no Brasil. Ao mesmo tempo Michelli perderá toda força política que arrebanhou nos últimos quatro anos se tentar captar votos para a reeleição do marido.

A questão da pressão política poderia ser resolvida com uma simples declaração pública de que não é candidata e ao mesmo tempo todo o trabalho desenvolvido seria benéfico para um trabalho político e profissional de qualidade na obtenção de votos e apoio para a reeleição de Felipe Augusto.

Em Caraguatatuba as sequelas são diferentes mas igualmente nocivas. O fato de Michelli ter alterado o seu Domicílio Eleitoral em Abril cria margem de que o seu pai, o ex-Prefeito Antonio Carlos não poderá ser candidato nas Eleições Municipais deste ano e esta dúvida poderá atrair a atenção do Eleitor em outros candidatos, incluindo aí o atual Prefeito. Caso se confirme a transferência para depois de quatro de Abril as consequências serão apenas em São Sebastião e prejudicando unicamente o Prefeito Felipe Augusto que vem fazendo um bom trabalho em busca de sua reeleição.

Na última sexta-feira a Primeira-Dama de São Sebastião divulgou um depoimento sobre o caso nas Redes Sociais. Com mais de cinco minutos de duração e alternando imagens do seu trabalho à frente do Fundo Social Michelli apresentou como razões as mesmas citadas por seu pai, o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva.

As ações políticas e estratégias eleitorais devem ser pensadas e repensadas, medidas e preparadas com cautela e atenção, pois qualquer erro pode colocar em risco um trabalho desenvolvido em quatro anos que almeja um total de oito anos ou a reeleição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *