A coluna de hoje irá abordar diversos assuntos que correm nos bastidores da política local, com ênfase ao Processo movido pelos Vereadores Celso Pereira e Flávio Nishiyama com respeito ao Empréstimo de R$ 60 milhões, que de sonho de consumo ao que parece está guardado na caixa de brinquedos.

 

História

Para quem não lembra o processo aberto pelos Vereadores foi uma Ação Popular, baseada no não cumprimento das regras básicas para a marcação e realização de Audiências Públicas sobre o pedido de Empréstimo.

 

Regra

A regra básica diz que as Audiências Públicas devem ter espaço de uma semana entre uma e outra e a sua marcação obedecerá um prazo mínimo de 48 horas para o conhecimento da população.

 

Nada

Não preciso nem mencionar que a regra não foi seguida e a justiça cancelou a Audiência Pública, obrigando a marcação de um novo evento sobre o assunto.

 

Dupla

A prova irrefutável de que a política é mais do que dinâmica vem do fato que na época, Celso e Flávio eram parceiros e comungavam sobre o mesmo pensamento e ideal sendo contrários ao pedido de Empréstimo.

 

Dinamismo

Neste caso o dinamismo foi tão grande que Celso continua sendo Vereador de oposição. Já Nishiyama mudou o seu voto na véspera da Eleição da Câmara e para isso recebeu benefícios, como o de ser Secretário de Esportes do município.

 

Mérito

A Liminar concedida pela Justiça limitou-se apenas a cancelar a Audiência, obrigando uma nova, pois quando do julgamento do mérito, o Juiz João Mário Estevam viu por bem julgar improcedente o processo, extinguindo no julgamento do mérito.

 

Continua

Segundo o Vereador Celso Pereira a briga continua, pois há outros processos relativos ao fato, dentre eles o que investiga a desapropriação da área de 6 mil metros² onde a Prefeitura sonha em construir os novos prédios da Câmara e da Prefeitura.

 

Relembrando

Como o assunto é o nefasto Empréstimo, vale a pena relembrar alguns pontos e detalhes que mostram o quanto prejudicial é esta propositura.

 

Valor

Os valores relacionados ao Empréstimos renderam mais do que Caderneta de Poupança, com todo o respeito melhor do que o Milagre dos Pães e mais ainda do que Leilão na Sotheby’s.

 

Valores

O Empréstimo começou com R$ 30 milhões, meses depois passou para R$ 60 milhões e uma planilha surgida no Portal da Transparência elevou o custo para estratosféricos R$ 85 milhões. Minha poupança não rende tudo isso!!!

 

Engarrafamento

Falar do local onde querem que seja construída a nova Câmara e Prefeitura é como uma Crônica de uma Morte Anunciada. O terreno da avenida da praia vai transformar a mais bela avenida do Litoral Norte no maior caos viário da região de segunda a sexta, das oito às 17h30 a tal ponto que o trânsito em Pequim ou Nova Déli, se comparados, seriam simples passeios ciclísticos.

 

Imobiliária

Há quem dizia que o terreno da Imobiliária Indaiá, localizado depois da ponte do rio Santo Antonio e com 12 mil metros² de área seria a melhor opção e que estaria em poder da Prefeitura Municipal. Ledo Engano!!!

 

Vendido

O citado terreno da nota anterior permanecia em poder de seus proprietários e foi vendido recentemente, sabe para quem??? Simplesmente para o grupo Ibis de Hotéis, que deverá inaugurar em alguns meses o seu novo e primeiro hotel da rede no Litoral Norte.

 

Inexplicáveis

Este Empréstimo tem também alguns detalhes inexplicáveis e sem qualquer entendimento relacionados ao fato.

 

De Olho

A redação do Contra & Verso, bem como todos aqueles que lutam por uma cidade melhor continuam de olho, observando, atentos e sempre dispostos para saber se o projeto não será desarquivado e colocado para votar em Regime de Urgência, sem mais nem menos, de outra para outra, de supetão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *