E o assunto de hoje é o famoso, e viral, vídeo elaborado pelos Conselheiros Tutelares na sua Festa de Confraternização no final de 2018. A farra do pessoal excedeu em gênero, número e grau e causou o maior rebuliço na cidade e mesmo já tendo sido comentado a coluna não pode deixar de publicar o assunto.

 

Vídeo e Áudio

A tal festinha resultou num vídeo e numa versão apenas em áudio, que se espalhou assim como erva daninha pelas Redes Sociais. Quando uma postagem cai na rede e em segundos todos estão vendo, compartilhando e opinando, chama-se “Viralização”.

 

Festa

E mais uma vez o pessoal exagera no churrasco e na caipirinha e acaba produzindo algumas presepadas dignas de constar nos anais da história, tanto do Serviço Público Municipal como da cidade em si.

 

Hipócritas

Apenas um adendo. Não sejamos hipócritas. Me diga qual a turma de trabalho que quando se reúne no final do ano não tira um sarro, fala mal e critica o seu chefe ou os problemas do seu dia-a-dia???

 

Exagerado

Assim como a música do Cazuza, “Exagerado” foi o tema do material em áudio e vídeo que apareceu nas Redes Sociais. Tudo bem que surgem piadas nas festas de fim de ano, mas o que foi produzido passou dos limites, ainda mais quando o assunto principal do trabalho desta turma são crianças e adolescentes problema ou componentes de famílias desestruturadas.

 

Brincadeiras

Trollar o amigo, colega de trabalho ou chefe gordo e careca ou o magrelo que não é lá muito bonito tudo bem, agora mexer com crianças e mães solteiras não ficou lá muito legal!!!

 

Delay

Em Caraguá está nascendo um novo costume, o de produzir material bombástico e apenas meses depois é que o material aparece e viraliza. Não se sabe se quem fez cria coragem de distribuir tempos depois ou o autor sente-se traído e resolve tempos depois colocar merda no ventilador. É o chamado “Delay Bomba!!!”, que é feito numa época e somente meses depois é que aparece!!!

 

Nota

Delay é a expressão usada em televisão quando uma transmissão é feita por link ou satélite e o tempo, geralmente uns 30 segundos é o espaço que o som leva da sua emissão até a recepção ouvi-lo.

 

Cena

A cena em questão que causou tanto estardalhaço mostra uma casa com quatro pessoas assistindo e de cinco a seis Conselheiros cantando uma versão de “Marcas do que se Foi”. Acredito que as outras quatro pessoas também sejam Conselheiros, familiares, amigos ou correlatos.

 

Plantão

Em trechos e etapas a versão cantada narra momentos e episódios do dia-a-dia de trabalho dos Conselheiros. Iniciando pela reclamação de ter que fazer plantão pelo salário que recebem.

 

Aumento

Em outro trecho reclamam que o salário em si é muito baixo, ou seja, que ganham pouco pelo muito que fazem. Reclamação típica, porém errada!!!

 

Paciência

Em determinado momento mostram que não tem paciência para lidar com os problemas mais comuns e corriqueiros da profissão. Digo comuns e corriqueiros para quem é Conselheiro Tutelar, porém grave e delicado para seres humanos comuns como nós.

 

Mãe Solteira

Ainda no quesito problemas do dia-a-dia os “Cantores” falam que a maioria das mães que lá se apresentam, reclamam que os filhos não tem pai, sinal visível da desestruturação de boa parte das famílias brasileiras.

 

Bagunça

Os Conselheiros Cantores chamam o sistema de trabalho de bagunça, o que, dentre as presepadas cantaroladas, é o menor dos males.

 

Perseguição

Falaram também que há perseguição e monitoramento excessivo da chefia quanto ao trabalho dos Conselheiros. Pelo visto o vídeo mostra que neste ponto a chefia tem razão.

 

Federal

Finalizam a versão dizendo aguardar a chegada da Polícia Federal para resolver as coisas, como se a agência federal de polícia e segurança fosse a solução para todos os problemas, principalmente no Conselho Tutelar.

 

Respostas

Já abordamos que as brincadeiras entre colegas de trabalho são respeitadas nas festas de fim de ano, mas venhamos e convenhamos, o exagero superou todos os limites.

 

Venhamos

A questão do plantão não tem qualquer cabimento, pois quando os candidatos tentaram o cargo sabiam quanto ao salário e que a função exigia plantão. Se valores e exigências lhe foram mostradas e você aceitou, não cabe depois reclamar!!!

 

Convenhamos

Outra reclamação descabida dizia respeito aos problemas, as pessoas e os casos que são abordados e resolvidos diariamente. Por um acaso ser Conselheiro Tutelar para eles significava salário fácil e vida tranquila ou eles desconheciam que a função lidava com crises de foro íntimo, com a desestruturação de algumas famílias e de problemas conjugais que interferem na vida de crianças e adolescentes???

 

Rigidez

Se os Conselheiros são perseguidos pela chefia, isso tem nome e chama-se Assédio Moral, fato esse que deve ser reclamado na justiça. Caso contrário, é o seu chefe que é rígido e exigente no trato do trabalho perante a sua equipe.

 

Polícia

Nem vou falar em Polícia Federal pois isso seria perda de tempo para você, leitor e seguidor deste blog.

 

Repercussão

O fato repercutiu para todos os lados no que tange a parte patronal, leia-se chefia do Conselho Regional Sul, Conselho Municipal da Defesa da Criança e do Adolescente e até o Prefeito de Direito e o porrete comeu solto na lomba dos Conselheiros Tutelares.

 

Repreensão

Sabe-se que os Conselheiros, que não tiveram seus nomes divulgados, mas foram devidamente identificados, foram repreendidos, o que é pouco tendo em vista as críticas que sofreram, onde foi pedido da prisão de todos a demissão imediata da tchurminha do excesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *