Uma paciente com Câncer em Caraguatatuba precisou ir a Justiça para conseguir iniciar o seu tratamento depois de meses do seu diagnóstico, sinal de que a Saúde Pública precisa cada vez mais se ajustar para cuidar de seus usuários. Uma Liminar conseguida no final da semana passada garantiu o início do tratamento.

O caso é igual de muitas outras pessoas e como tal, precisou da Justiça para manter os seus direitos, o que seria desnecessário se houvesse uma melhor e maior organização, principalmente na Clínica de Oncologia, que tanto tem apresentado resultado de óbitos de amigos e entes queridos.

A senhora Iara Santos Nunes, de 51 anos, moradora em Caraguatatuba, viúva e mãe de oito filhos começou a sua história de luta contra o Câncer em outubro quando deu entrada na UPA – Unidade de Pronto Atendimento – com fortes dores. Da primeira internação até o mês passado foram várias idas e vindas a UPA onde sempre era medicada, retornava para sua residência mas dias depois voltava com o mesmo diagnóstico. O diagnóstico de Câncer Maligno no Pâncreas foi dado apenas em dezembro, quando após idas e vindas resolveram interna-la na Casa de Saúde Stella Maris.

A partir daí o inferno entrou na vida de Iara e seus filhos. Primeiro veio o temor da perda, pois o seu marido morreu de Câncer no Esôfago e segundo pela perda de 30 quilos devido as fortes dores, onde a morfina não apresenta resultados, e a marcação de uma consulta no Hospital São Francisco de Assis, na cidade de Jacareí, em 26 de Fevereiro. Iara Santos passa os dias na cama sofrendo com as fortes dores sob os cuidados alternados dos filhos.

A Secretaria Municipal de Saúde inseriu a paciente na Rede Hebe Camargo, solicitando urgência, mas as datas são liberadas pela Secretaria Estadual da Saúde. Ainda sobre a Saúde Municipal a Prefeitura alega que com a inauguração do Hospital Regional haverá uma ala de Oncologia, porém quem trata de Câncer sabe que a transferência não será assim tão fácil e rápida como se espera.

Desesperados os familiares de Iara Santos apelaram para a Justiça e através de seu Advogado, Rafael Dias, ingressaram com uma ação, pedindo rapidez no tratamento, o que foi conseguido no dia 30 de janeiro – quinta-feira – através de uma Liminar conseguida na 2ª Vara do Fórum local, através da Juíza Marta Andréa Matos Marinho.

Na Liminar a magistrada relata que a paciente já apresenta Metástase, pois o tumor no Pâncreas já está afetando Fígado, Estômago e Duodeno e que o tratamento deve ser iniciado em cinco dias, ou seja, a próxima terça-feira, dia quatro de Fevereiro, sob o risco de multa diária de R$ 500,00 podendo chegar ao limite de R$ 20 mil. O Estado tem 30 dias para apresentar suas contrarrazões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *