O Pastor Marcos Gonzalez Toledo está acusando a Casa de Saúde Stella Maris de Intolerância Religiosa. O fato se deu quando da visita do Pastor a um integrante de sua igreja, sendo cerceado pela direção da Unidade Hospitalar chefiada pelas irmãs em Caraguatatuba.

O Pastor pertence a Congregação Graça e Vida desde 2004 e graduado em Direito desde 2016. Segundo Toledo tudo começou em 27 de Agosto, por volta das 13h15, na portaria da Casa de Saúde Stella Maris, pertencente as Pequenas Missionárias, instalada na cidade há mais de 50 anos. Neste dia e horário Gonzalez apresentou-se como Pastor e indicou o paciente Robson Oliveira da Silva para uma Assistência Religiosa, devido a um acidente de moto sofrido por ele. O Pastor Toledo afirma que o seu pedido está baseado na Constituição Federal, no seu artigo 5º.

Marco Toledo informa que devido ao Covid-19 a portaria do Hospital estava restringindo as visitas. Ao mesmo tempo, ressalta que a sua ida ao Hospital tratava-se de Assistência Religiosa e não uma simples visita, como ocorre periodicamente entre os familiares dos doentes e internados no local. Até que fosse atendido o Pastor relata que ficou esperando por cerca de 90 minutos e só houve uma manifestação do Hospital depois de muito insistir.

De acordo com o Pastor a Assistência Religiosa durou cerca de três minutos, sob a supervisão e acompanhamento de uma funcionária da portaria da unidade hospitalar

Segundo o Pastor Gonzalez Robson Oliveira da Silva teve fratura de Tíbia devido a um acidente de moto ocorrido em 14 de Agosto, tendo sido operado apenas no dia 20 e recebendo alta no dia 23. Conta ainda Marcos Toledo que no dia 26 Robson sentiu-se mal e foi transferido para o Hospital Santos Dumont e no dia seguinte retornou a Casa de Saúde Stella Maris, razão pela qual Toledo foi dar-lhe Assistência Religiosa. Posteriormente foi diagnosticado com Paralisia por Lesão da Medula Toráxica no início de Setembro em São José dos Campos. Robson tem 50 anos e trabalha desde os 15.

Em razão do tratamento sofrido por ele e da falta de uma maior e melhor Assistência Religiosa ao irmão Robson, Marco Toledo encaminhou uma denúncia para a Ouvidoria do SUS – Sistema Único de Saúde – e pretende acionar a Casa de Saúde Stella Maris na Justiça registrando o seu descontentamento ante o ocorrido, exigindo Retratação Pública para que isso não ocorra mais, bem como o Ressarcimento, que será direcionado à doação para alguma instituição de caridade.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Casa de Saúde Stella Maris a solicitação de Marco Gonzalez Toledo teve a sua solicitação atendida, baseado na Lei e nas normas de Saúde e Segurança da Instituição e que o tempo de espera se deveu ao controle de fluxo de visitas durante a Pandemia do Covid-19, que limita a quantidade de pessoas dentro do Hospital e visa proteger Pacientes e Visitantes do Corona Vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *