Quando você imagina, ou estima, que a Velha Política desapareceu do Poder Público no Brasil, fica extremamente decepcionado quando se depara com velhos factoides políticos, principalmente ligado a figura feminina que exerce função no Executivo Municipal. Este é o caso da Prefeita de Ubatuba, Flávia Pascoal que sofreu uma tentativa de Cassação do Mandato.

Ser Mulher no Brasil não é nada fácil. Ser Mãe, Profissional, Esposa e Gestora de projetos pior ainda. O assunto piora ainda mais quando a Mulher é Prefeita, Chefe do Executivo de uma cidade, não importando o seu tamanho ou o volume dos problemas que ela tenha para resolver. Bastou ser Mulher que o assunto é 10 vezes mais complicado.

O fato de gerenciar uma cidade, de comandar um município gera uma sequência de Ciúmes, Inveja e a famosa “Dor de Cotovelo”, ainda mais quando esta Mulher, no caso a Prefeita Flávia Pascoal, que estava desacreditava nas Eleições Municipais de 2020, conquista uma Eleição sobre os velhos Caciques políticos de Ubatuba, prova de que o povo pedia soluções para os velhos problemas, de uma administradora de pulso e voltada para os interesses populares e prioritários da cidade.

Prova disso foi quando, no intuito de governar para o povo e junto com as lideranças visando o bem comum, convidou alguns adversários para unidos, fazerem uma gestão honesta e voltada para mais carentes de Ubatuba, contribuintes que conquistam uma vida melhor com o suor do dia-a-dia e necessitam do Poder Público para a sustentação de seus sonhos e conquistas.

Bastou uma destas lideranças, diga-se de passagem a menor delas, não ser incluída no time dos reconstrutores de Ubatuba, para acionar a célula do Ciúme, da Inveja e do famoso “Quanto pior, Melhor!!!”. Imediatamente o preterido vasculhou documentos e em seguida, foi dado entrada na sede do Legislativo, com uma petição pedindo a Cassação do mandato da Prefeita Flávia Pascoal. Como o mal nunca vence a intenção deu errado, pois a alegação, protocolada em 12 de Abril, dizia respeito a uma verba de R$ 37.600,00 oriunda do Governo Federal, na gestão anterior, para aplicação no combate ao Corona Vírus, o Covid-19, além da falta dos protocolos para o acondicionamento de 240 Vacinas, que foram perdidas devido a problemas de refrigeração.

Ao final o Jurídico da Câmara de Ubatuba, analisando a inicial do pedido de Cassação observou que haviam mais indícios políticos do que jurídicos e administrativos, opinando que não havia embasamento, estrutura ou argumentos para cassar o mandato da Prefeita, a primeira Mulher a ocupar este cargo na história da cidade.

Este é o início, o começo de uma dura caminhada em prol do desenvolvimento de Ubatuba, que gerenciado por uma Mulher tornará o trajeto ainda mais difícil, algo assim como um Calvário, que certamente será conquistado e ultrapassado pela Prefeita Flávia Pascoal.

 

Fotos: Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *