Por Bea Moreira *

Sim! Muita comemoração! Jantares, luz de velas, rosas e bombons! Não deixa de ser bom. Eu também gosto!

Mas, quem são os “namorados”? O que os faz ser quem são? *Namorados aqui, me referindo a todos os sexos. O importante é a definição, não o gênero.

Ser namorado é uma escolha, uma opção. Ser namorado é renunciar a si próprio, para tornar-se um pouco mais. Se preencher.

Quando alguém se propõe a namorar, esse alguém dedica sua atenção ao objeto do namoro, admirando, cuidando, ou simplesmente, acompanhando, mas, decidido a fazer parte.

Cá, comigo, penso que namoro é um contrato tácito entre duas partes, que decidem fazer acontecer juntos. Seja o que for! É um ensaio para a construção de laços cada vez mais sólidos, mais profundos. Um estágio (só que muito bem remunerado!). É uma combinação, um complô. São duas vidas se complementando.

Sem namorar, já somos completos, bastantes. Mas, quando estamos namorando com alguém, somos mais fortes, mais seguros, mais valentes. Sabemo-nos apoiados, amparados, confiantes…  Porque, acima de tudo, namorar é confessar amor. É repartir tudo que é bom, que é belo, que é do bem! E receber em troca! É saber-se amado. E acreditar no melhor. O amor nos dá fé e coragem! E o namoro, nos dá a companhia. Namoramos ao longo da vida. Nunca devemos parar de namorar!

Namoro é fazer o outro sentir o coração quase explodir dentro do peito. Só porque você existe. É ser ferramenta, instrumento. Ser ponte, prá atravessar, farol, prá iluminar, é ser asa, e, juntos, aprender a voar. Namorar é complexo! Por isso é bonito!

Mas, o namoro não é uma vacina contra outros atrativos que não seu próprio objeto, e sim um acordo que se faz consigo próprio, de equilíbrio e autocontrole, com a certeza de que a troca da liberdade pela companhia só vem a somar. A troca do muito pelo sem igual, é o que torna essa relação tão rara! Não é uma questão de deixar de fazer, mas passar a fazer juntos! Outras opções! Tão boas quanto! …Ou melhores… A vida passa a ser uma gangorra! Não dá prá brincar sozinho!

Por isso, namoro é coisa séria, não é para qualquer um. Namoro foi inventado por quem sabe das coisas da vida! Certamente, namoro é coisa divina!

Namoro sai de dentro da gente, e toma conta de tudo! Permeia o ambiente, é difuso, e transborda felicidade! Sai pelos olhos, sorrisos, pelo andar…

Namoro é encontro entre almas, é coisa que não se explica, é coisa inventada por Deus.

Namoro é coisa de antes, é mágica da Natureza.

Até parece que os namorados vivem em outra dimensão…

Quando estão enamorados, não atentam prá mais nada.

Nada lhes chama a atenção. Um ao outro são o que interessa, no mundo!

Namorar é coisa boa, quando se faz por amor. Porque namorar é tão profundo, apesar de tão natural… Mas, é que muita gente confunde namoro com propriedade, namoro com posse e ciúme, namoro com falsidade.

Namoro não é nada disso.

É só paz e harmonia.

Namoro não é dia doze!

Namoro é o dia-a-dia.

Feliz 365 Dias dos Namorados! (e seis horas)!

 

*Beá Moreira é Cientista Social, e comenta sobre o cotidiano e suas nuances, de forma descontraída e despretensiosa, buscando fazer do leitor de qualquer idade, um companheiro de bate papo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *