É dever do mandatário de um cargo Público a melhoria da qualidade do povo, o progresso e desenvolvimento do município que comanda e de buscar o máximo de conforto e apoio ao povo que o elegeu, mesmo que seja por caminhos incomuns.

Eu explico. O Corporativismo é uma alternativa que vem sendo adotada por Governos Municipais e Federais ao longo dos anos, como forma de resolver as sequelas dos problemas econômicos e do desemprego entre a população, pois é uma medida protecionista que não está protegida por lei, mas que tem um resultado positivo numa cidade.

Em miúdos o Corporativismo é quando Prefeituras ou Governos Estaduais tentam proteger o seu povo com empregos numa determinada atividade ou corporação, seja ela pública ou privada, como por exemplo uma Multinacional, um Projeto ou Convênio, uma obra, um Supermercado ou até um Hospital Regional.

Sim, foi o que eu disse, o Hospital Regional. Em meados de Janeiro a Prefeitura de São Sebastião, por intermédio da equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social (SEDES) e o Departamento de Trabalho e Emprego fez uma visita técnica nas dependências do Hospital Regional, localizado em Caraguatatuba para assegurar vagas de emprego aos profissionais locais, pois na cidade, assim como em toda a região, há um grande número de profissionais ligados a Saúde que necessitam de uma colocação.

Esta é a missão oficiosa do Corporativismo praticada pelos gestores municipais, assegurar que os seus empregos, funções e serviços por eles conquistados, assegurem o sustento do lar e suas respectivas famílias, isso graças aos vários cursos na área da Saúde. A tarefa não é fácil e algumas vezes demora muitos anos. Quando da instalação da Base de Gás Monteiro Lobato em Caraguatatuba não havia profissionais locais aptos para assumir as funções e o prazo para isso levaria em média 10 anos.

Este não é o caso de São Sebastião, que junto com o Sesi, Sesc, Senai e Sebrae, conseguiu ao longo da última década formar milhares de profissionais da Saúde moradores na região, principalmente em São Sebastião, quando serão submetidos a análise de currículo para o ingresso na Organização Social que fará a gestão do Hospital Regional.

Mesmo sendo uma luta inglória, igual à da maré contra a costeira, esta é mais uma tarefa de quem detêm a obrigação de dirigir a cidade, de desenvolver o município e gerar empregos para os seus conterrâneos, aumentando a circulação de capital na cidade, tarefa essa perseguida de forma incansável pelo Prefeito Felipe Augusto.

A história conta que ações Corporativistas, principalmente baseadas em Leis Ordinárias não são respeitadas, com exceção das intervenções de Agentes Políticos junto as empresas, que resultam em contratações e redução do desemprego, assim como o que feito pelo Prefeito Felipe Augusto através de sua equipe, respeitando e mantendo a confiança dada pelo povo Sebastianense para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *